Cobrança


- Por: Redação 1

Cobrança

Alguns setores estão indignados com o novo decreto, que impõe regras bem mais duras a quem ajudar o vírus. Algumas pessoas se juntaram e a arranjaram serviço pesado para os pintores de faixas, com uma campanha inusitada, dirigida ao prefeito Chico Brasileiro. O pessoal que atua na noite, especialmente, fez protesto.
 

Decisão
O vírus pega de dia, de noite, madrugada, a qualquer momento, com chuva, sol, frio, calor, não faz diferença. Mas isso não quer dizer, que porque gruda nas pessoas de dia, vamos dar mole na noite. Segundo as estatísticas, é de madrugada que a rapaziada se espalha em festas, botecos e aglomerações das mais variadas e depois, regressam contaminados, mandando para prontos socorros, hospitais, UTIs e cemitérios, pais, irmãos, avós e suscetíveis, em maioria, indefesos. Covarde não é aquele que tem medo do vírus, mas quem se deixa contaminar e acaba matando outros.  Chegou a hora da população decidir de que lado está, se do Covid-19, ou conta ele. 

Multa pesada
O Corvo está analisando com muito cuidado e atenção, o desempenho dos novos vereadores. Alguns estão fazendo a lição de casa exemplarmente. Adnan El Sayed assina uma proposta prevendo multas de arrancar o couro de quem furar o plano nacional de vacinação contra a Covid-19 em Foz. A mão no bolso dos contraventores pode varia de 20 mil a 40 mil reais, além de processo administrativo e afastamento de agentes públicos. Dá-lhe!   

Posição incômoda?
Corvo, você defende as regras duras contra a covid-19. Das duas uma, ou sua atividade não foi afetada pela pandemia, ou está rico, sem precisar trabalhar. Veja, eu sou cuidadora e fiquei desempregada, porque as famílias não queriam “gente de fora” para cuidar os idosos. Abri uma cozinha de vender marmita e estou me dando bem. Saio para fazer entregas e não peguei covid. No fim, todos os dias sei do que acontece na casa das pessoas e o que elas pensam. Estão erradas! Lamentavelmente, muita gente pensa diferente de mim. Não concordo com esses fechamentos na noite e nem nas outras regras de endurecimento. 
Leila V. B. Vargas

O Corvo responde: prezada, os jornais impressos foram muito afetados; o Corvo não está rico e trabalha cerca de 16 horas ao dia. Tomara a senhora volte a tratar idosos e deixe de ser “cuidadora” da vida dos outros. Se sabe que a maioria concorda com as regras, deveria procurar entendê-las. Sucesso em sua nova atividade! 

João Francisco, Joaquim e Jair
Vamos fazer aqui uma correção. Os generais João Francisco Ferreira e Joaquim Silva e Luna, formaram na mesma turma na Academia Militar das Agulhas Negras, em 1972. Quando eram capitães, é que Bolsonaro deixou a mesma instituição, em 1977. Logo, não são contemporâneos. A diferença nesse perfil militar, entre os “JJJ”, é que Silva e Lula, e, João Francisco, se despontaram nas escolas militares; cursaram escolas de comando, realizaram cursos de altíssimo padrão, e ao longo da carreira, exerceram postos de muita responsabilidade, ocupando os ombros, no generalato, com a capacidade máxima de estrelas, em tempos de paz. Bolsonaro deixou a farda como capitão e enveredou-se na política. Nas voltas que o mundo dá, os generais, pessoas muito preparadas, ocupam postos estratégicos em seu governo.

Saída
Silva e Luna vai deixar muita saudade em Foz, afinal, é um dos seus mais proeminentes cidadãos, quiçá, com a maior índice de estima por parte da comunidade. Há quem tenha caído em choro no sábado, ao saber de sua nova missão. Mas Itaipu estará em boas mãos, com certeza. Basta ler o currículo do novo diretor-geral.

Na Petrobras
Ao assistir o Jornal Nacional de Sábado, o Corvo meio que se agarrou na poltrona, porque a matéria derramava um certo veneno, colocando em dúvida a capacidade do general, diante de assumir a maior empresa brasileira, cuja frota de navios é maior que a das marinhas de muitos países. Eis que resolveram entrevistar o engenheiro Luiz Fernando Leone Vianna, ex DGB e que elogiou o perfil de bom negociador de Silva e Luna. Negociar, na Petrobrás, é tudo. 

Escola
Itaipu, embora na área de energia, é uma escola muito eficiente para alguém, depois, assumir a Petrobrás. Silva e Luna não deve enfrentar problemas com o conselho da empresa e já deu pintas que está de olho nos preços dos combustíveis, a grande ratoeira no bolso do cidadão brasileiro.  

Caso Daniel 
Que fiasco. Antes o machão afrontava idosos, arrancava placas de rua, marchava como fosse um camisa negra do Mussolini, e, ao saber se ficaria na cadeia, passou a se comportar como moça de internato. Oras, por favor né? Deveria pensar antes de destemperar o bocão. A medida do STF e também dos deputados, pode dar um basta nos reacionários que usam a liberdade de expressão para ofender. 

AI5
Como pode alguém clamar por atos ditatoriais, por medidas de exceção e depois chorar pela liberdade de expressão? Que situação hein? Segundo o José Simão, agora é Daniel Sujeira. 

Nosso representantes
Os deputados federais por Foz, Giacobo e Vermelho votaram “Sim” para Daniel Silveira permanecer confinado por mais um tempo. 

No Porto Meira
Alô, alô Chicos, prefeito e vice, o povo do Porto Meira, um dos bairros mais populosos da cidade, pode entrar em pé de guerra caso a prefeitura não adote medidas para controlar abusos no trânsito em algumas vias, com destaque para a Morenitas. Por lá passam motos com escapamentos abertos em toda a velocidade, além dos artistas de circo, que ficam empinando os veículos para se exibirem, colocando em risco os transeuntes. 

Passarelas
Uma das soluções seria passarelas elevadas, ou faixas mais altas, em locais onde há movimento. As faixas elevadas estão em locais distantes, onde praticamente não há movimento, dizem. São medidas bem fáceis e que agradariam e muito os moradores e comerciantes. 
 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas