Projeto Unila ao seu Alcance leva informações sobre o acesso à universidade

Câmara de Vereadores pede explicações e detalhamento sobre contrato dos radares
18 de maio de 2019
Encontro de Líderes termina com painel sobre importância dos cassinos
18 de maio de 2019

Mostrar que o acesso ao ensino superior numa universidade pública, gratuita e de qualidade é direito de todos os brasileiros é o objetivo do projeto Unila ao seu Alcance. O trabalho é desenvolvido por um grupo de servidores técnico-administrativos, docentes e estudantes da universidade junto às escolas estaduais de Foz do Iguaçu e municípios da região trinacional. Neste ano, as visitas tiveram início em 30 de abril e se estendem até outubro, com a expectativa de atender 3.500 alunos do terceiro ano do ensino médio.
Numa conversa de 50 minutos (tempo de uma aula), os alunos de turmas concluintes do ensino médio recebem informações sobre a Unila, os cursos que a universidade oferece, as formas de ingresso, a distribuição de vagas entre brasileiros e estrangeiros e a reserva de vagas para cotas. Os estudantes também são esclarecidos sobre as formas de ingresso no ensino superior a partir do ENEM — a prova é utilizada pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e para programas de financiamento estudantil, como o Prouni e o Fies.
Este é o quarto ano de realização do projeto, que é coordenado pela Pró-Reitoria de Extensão (Proex) e desenvolvido por voluntários de diversos setores da Unila. “Ao longo desses quatro anos, o projeto possibilitou maior visibilidade da Unila e vem despertando cada vez mais o interesse dos estudantes de escolas públicas pelo ensino superior público, oferecido pela Unila e outras instituições da região”, avalia a atual coordenadora do projeto, Márcia Lurdes de Souza Maschio, que é servidora técnico-administrativa atuando na Proex. Para ela, o Unila ao seu Alcance também está mudando a perspectiva de muitos estudantes. “O projeto vem provocando esses estudantes a se verem dentro da universidade, a verem a instituição como um espaço de direito e acessível”, completa.

AI UNILA /

Share

Leia mais sobre este conteúdo e outras informações na edição impressa.

GDIA