No Bico do Corvo
Tremedeira

Os boatos sobre as ações do PCC na região estão colocando a AMOP em prontidão. Há prefeito usando fraldas geriátricas. Pudera, o modus operandi da marginalia é mais tenebroso que filme de bang-bang. Cercam as cidades, explodem bancos, sequestram o povo de caminhão. Ou não é isso que a gente vê pela televisão? Voltar a dormir de janelas abertas é um sonho impossível; coisa dos tempos em que fumo em corda se vendia na padaria. 

Na trincheira
Há uma informação que pode causar tranquilidade aos prefeitos, só não sabem medir o resultado de um possível enfrentamento entre os "terroristas" do PCC e as forças de segurança que estão de plantão na área. Contaram para o Corvo que há militares estrategicamente inseridos em quase todos os pontos vulneráveis. Eles trabalham com informação, disfarçados; operam em áreas rurais e povoados. Num piscar, em questão de minutos, há todo um aparato de reação e é aí que mora o perigo, ou seja, os focos de enfrentamento podem resultar em pequenas batalhas. É isso que chamam de guerrilha. A diferença é que não há a palavra "ideologia" do outro lado. Bom, pelo menos é o que se espera. 

Nervos à flor da pele
As PMs estão engrossando no trato com os suspeitos. Em São Paulo, a famosa ROTA demonstra uma falta de ânimo latente. Batem até no céu da boca. Não estão ligando nem um pouco para as questões que envolvem direitos humanos, sobretudo se há bandidos confirmados do outro lado. Dão o troco sem conversar, independentemente a ação ou ocorrência. Esta análise não faz apologia, retrata a frieza na resposta da sociedade, porque é por meio dos impostos que as forças de segurança são sustentadas. 

Jahnke prefeito?
Então Corvo, acho que vocês comeram uma bola mais ou menos. Onde é que o tenente-coronel bombeiro enfrentou campanha de prefeito? Só se foi em Santa Terezinha, porque em Foz isso é novidade. Para começo de conversa, se ele foi candidato à prefeito, como é que se tornou vereador? Quero ver você sair dessa Corvo?
Jandir A. R Leão

O Corvo sai dessa tranquilamente: amigo e querido leitor, o Google responde a esta sua dúvida cruel, e, muito facilmente. O Tenente Coronel Jahnke disputou as eleições suplementares, juntamente com Chico, Mansur e Osli e conseguiu mais de 8 mil votos. Antes, porém, ele havia se tornado suplente de vereador (Darci DRM) e com a rebordosa na Justiça, assumiu uma das cadeiras na Câmara. Tornou-se secretário de Governo, de onde não saiu mais, embora tenham engenhado algumas especulações no mundo da futrica politiquesca, coisa que o Corvo não dá bola e não pratica. Não pesquisar, o que é muito fácil hoje em dia, é que faz as pessoas almoçarem, e, jantarem bola murcha.

Mamadeira rachada
Tem muita gente se gabando de futuras nomeações em secretarias do governo municipal. Calma, não dá para acreditar e nem cair em conversa fiada. O que vai haver é choradeira do tipo: "mamãe eu quero". O prefeito Chico está com as cartas na mesa e ao que consta não fará mudanças agravantes no quadro até porque o grau de satisfação com os parceiros é alto.

A "reforma"
Esperto, o Chico está esperando os dias do ano eleitoral passarem. Não é segredo que em geral, alguns secretários e diretores, partem para encarar a sorte nas urnas. Chico deve aproveitar o momento para reformar o estafe com tranquilidade e meio que naturalmente. Será este Corvo apurou, deve haver alterações no máximo em duas ou três secretarias. É por aí a informação. O que surgir além disso, não dá para confiar. O Corvo brinca com "facão", "guilhotina" e expressões do tipo, mas tudo faz parte do fetiche em tempos pré-eleitorais. 
 
Sanidade agropecuária
Quem diria, estão formando até "conselhos" para controlar a emissão de agrotóxicos nas lavouras. Contaram para o Corvo que a tarefa de formar grupos de fiscalização não é coisa fácil de se fazer. O povo do campo, em grande maioria, não é chegado em abandonar os produtos que fazem mal ao ambiente. E a lei mudou e o que não falta é pesticida nas lavouras. Viajar pela BR-277 se tornou uma tarefa complicada além do trânsito. Há épocas que despejam veneno e tudo vem pra dentro do carro da gente. Só usando máscara para suportar. Foi-se o tempo do "cheiro de relva" na estrada.  

Combate à dengue
Itaipu está pegando pesado nas ações de combate ao mosquito. Pode ser, com essa iniciativa, algo mude na luta contra a Dengue. O problema é convencer a população, as pessoas só mudam, depois que levam picadas. No mais, segundo um apanhado, se dez residências fizerem a lição de casa e apenas uma não, o risco de infecção ainda é grande. Vencer o mosquito parece algo impossível, no entanto, um conjunto de atitudes simples fazem a diferença. O problema é a preguiça de quem não dá bola para a situação.  

Hospitais na China


O Corvo ficou de cara com a rapidez em que ergueram um hospital na área infestada pelo coronavírus. Em dez dias construíram uma estrutura que na cabeça de muita gente, é impossível fazer. Este colunista teve o cuidado de olhar os vídeos e fotos. É algo de cinema. As imagens das máquinas trabalhando é surreal. Difícil imaginar como havia espaço para tantos braços mecânicos escavando ao mesmo tempo.   


Turminha PET
A iniciativa agradou tanto, que passará a ocupar mais uma página semanal. Teremos espaço para a bicharada nas terças e quintas-feiras. Pudera, o universo "pet" está se ampliando por todos os lados, basta olhar para os setores especializados nos supermercados? É bom saber que animais são tratados como gente.

Mendicância


Corvo, não quero com esta minha cartinha, ofender os profissionais da área de assistência social da cidade, mas as ruas estão cheias de pedintes, inclusive nas portas dos supermercados. É uma situação muito chata. E os caras vendendo coisas nos semáforos? No lado da Avenida Paraná, antes da Costa e Silva, está um horror. Ontem quase atropelei um infeliz que distribuía panfletos. Eles se metem embaixo dos veículos da gente. E os artistas de rua? Sei dizer que está difícil. 
Helô A. Silveira

O Corvo responde: prezada, este colunista recebeu muitas informações acerca do tema. Um amigo que esteve no Rio de Janeiro, disse que a situação lá é de arrepiar. Nunca, jamais, em nenhum período da história, registrou-se situação igual. Há pessoas morando em bueiros, galerias telefônicas e as praças e chafarizes se tornaram banheiros públicos, como na foto publicada pela Folha de São Paulo. Isso parece ser um problema de muitas cidades e Foz não fica fora da lista. 
 

Casal da avenida
Uma cena conhecida por todos, tornou a chamar a atenção. Não faz muito tempo, um casal habitava a calçada da Avenida das Cataratas, nas proximidades do Shopping Catuay Palladium. A prefeitura os retirou de lá e passado um ano, eles retornaram, para o mesmo local e já armaram uma tenda. A cena não é das melhores, uma vez que na cerca ao lado, as roupas íntimas são expostas ao sol.  

Só o lado brasileiro


Olá senhor Corvo, meu nome é Danilo, moro no Porto Meira e estou muito interessado em saber como será a nova ponte com o Paraguai, porque andam dizendo que o acesso vai passar em cima da casa de um monte de gente. Daí fui lá olhar e as coisas parece que acontecem só do nosso lado. No Paraguai nem "tchum", por enquanto.
Danilo G. Reis

O Corvo responde: ultimamente parece que tudo vai passar em cima de alguma coisa em Foz. Não é bem assim. Vamos aguardar os projetos. O Paraguai, para variar, é cheio de triques-triques para qualquer iniciativa. A burocracia lá é monumental. Mas sobre a nova ponte, o repórter Roger Meireles fez uma sequência de fotos atuais e elas nos oferecem uma dimensão da grandeza da obra. Na primeira, é possível notar a relação entre estrutura e trabalhadores e na segunda, as duas cabeceiras em obras. Roger fez uso de drone e lentes em 360 graus. Um relevante trabalho. O profissional pretende acompanhar a obra no passo a passo. Será um registro histórico muito valioso. 
 

Relacionamentos seguros


Caros leitores e leitoras, se vocês possuem dúvidas com o futuro e nas "cara metades", não desistam facilmente, não chutem o balde! Os segredos nos bons relacionamentos são facilmente desvendados e basta ter calma para procurar o caminho. O Corvo também é sentimento! A jornalista Abilene Rodrigues é especialista nisso e ela fará uma palestra neste dia 17, às 18h30, na Rua Marechal Floriano Peixoto, 1134.  Taí uma chance de salvar a relação.   


Tragédia
Algumas pessoas ligaram para o jornal e para este colunista, questionando a "falta" de uma manchete sobre o caso que envolveu a servidora Ramiciely Carlessi. Acontece que este jornal respeita as famílias e o que mais as pessoas querem saber além daquilo que foi divulgado e exibido durante toda a quarta-feira? Calma, não trabalhamos com o sensacionalismo. Lamentamos muito o ocorrido e nossa obrigação é prestar solidariedade e momento assim, de profunda dor e sentimento. Vamos aguardar os desdobramentos e o tamanho da notícia, depende muito das investigações e resultado de perícia. Pelo momento, esperamos que os familiares e amigos superem o trágico momento.