No Bico do Corvo
Pontos de alagamento

E basta cair um chuvisco para o trânsito de Foz tornar-se uma calamidade, um sufoco só. Quem não tiver um pouco de paciência ou experiência ao volante corre perigo. E, dependendo do volume, ainda surgem lagoas na Avenida das Cataratas e JK. Como pode? Uma cidade cercada por grandes rios sem escoamento? 

Chuvas
Sem comparação com Belo Horizonte os estragos causados pelas chuvas em Foz, mas ainda existem pontos de alagamento que parecem sem solução. Não há o que freie a água no bairro São Luiz, por exemplo. Não adianta, é o tempo fechar e o povo começar a se preparar, porque lá vem a enchente. Será que isso é tão difícil assim de solucionar? 
Marcos Roberto C Lages

O Corvo responde: prezado, e veja que o rio foi dragado, aprofundado, e mesmo com as obras a água ainda toma conta de alguns pontos, como nas imediações de um supermercado. E é sempre aquela situação, depois da cheia, a maior dor de cabeça para a população. Mas nem sombra do que ocorreu na capital mineira. Aquilo sim é cenário de guerra. Pensa estar num restaurante jantando e apreciar aquele aguaceiro todo do lado de fora? Isso sim é surreal. 

Vai piorar
Quem conhece um pouco de urbanismo sabe que Foz enfrentará um problema bem maior no futuro, e vão jogar a culpa no prefeito Chico Brasileiro e sua usina de asfalto. Se ele cumprir o programa de asfaltamento, irá aumentar a impermeabilização do solo, e a densidade pluviométrica vai escorrer para onde? Tudo vai parar nos riachos, cujas capacidades já estão acima da média. É, seu Chico, a demanda por asfalto é a maior reivindicação da população, mas daqui uns tempos isso vai virar um martelo na cabeça da administração. É aquela história, se correr o bicho pega, se ficar... 

Mata a cobra e mostra o pau
O deputado Vermelho está trabalhando, e muito. Não faz muito tempo, deu-nos a ótima notícia sobre a Escola Nacional de Turismo. Em sua estada por Foz, por estes dias, ele anunciou o início das atividades em abril. 

Desempenho
Algumas pessoas fazem questão de testemunhar o desempenho do deputado federal. Um empresário de peso, que pediu para não ter o nome revelado (por simplesmente evitar a ciumeira), disse textualmente: "Vermelho está fazendo a diferença que Foz precisava". E o Corvo repete: pensar que a cidade ficou tantos anos batendo a cabeça para eleger um deputado, e os políticos matando-se para "deseleger". 

Candidatos
Alguém lançou a maldade de que o Vermelho deixaria Brasília para disputar a prefeitura de Foz. O Corvo o procurou, e ele disse que isso é uma redundante mentira. Agora, claro que ele tem interesse na eleição local, mas se limitou a dizer que, pelo momento, está dando uma de olheiro.   

PSD
E como é que fica o mais importante partido político do Paraná e, por tabela, de Foz do Iguaçu? Sim, porque é a legenda do governador Ratinho, do prefeito Chico e do deputado Vermelho. Em Foz, tudo se encaminha para um consenso, mas pode sim haver embate, caso alguém não resolva ceder. Na queda de braço, teremos mais um mico a ser pago. Isso o Corvo pode antecipar. 

Todos estão interessados
O governador está sim muito antenado em seu partido na fronteira. Ele sabe que fortalecê-lo é uma maneira de caminhar bem para as eleições municipais. Já o prefeito Chico esboça um certo mistério sobre o que quer. Alguém assoprou para o Corvo que, dependendo, ele pode até mudar para outro partido. Mas o Corvo consultou Curitiba, e parece que essa possibilidade de mudança é mais um factoide para embolar o meio de campo. 

Expectativa
Vermelho luta pela união do PSD, até porque, caso isso ocorra, é provável que outros seis partidos se somem com vistas às eleições de outubro. O partido unido tem tudo para fazer barba, cabelo e bigode. O Democratas já bateu o cartão e vem de chapa forte.  

Correndo solto
Os bastidores políticos começam a esboçar um interesse mais aberto com relação às eleições. A pergunta é: quem será o nome para pelo menos contrabalancear com o candidato da situação, Chico Brasileiro? Será que veremos mais uma vez o torneio Chico x Phelipe?

Noivado
Tudo nos leva a crer que o episódio mais emocionante das eleições este ano será a escolha de um vice para o Chico. Há rumores de que ele quer fazer dobradinha com Nilton Bobato, mas para isso terá de brigar por um convencimento duplo: fazer a cabeça de Ratinho Jr. em dobrar com um emedebista e convencer a ala do MDB em se associar ao partido do governador. Cá entre nós, é muito empenho. É mais fácil e tranquilo procurar outra noiva para casar, politicamente, em outubro.  

E o Paulo? 
Mac Donald está em silêncio, fora uma ou outra manifestação nas redes sociais. Ele continua brigando na Justiça — e, diga-se, havia o prenúncio de uma nova decisão após as férias forenses. Dependendo, ele pode colocar combustível para mover as turbinas eleitorais. Aí sim o celeiro vai incendiar e provavelmente a encrenca alcance o nível da "polemização". Por enquanto, tudo está "despacito". 

Paulo e Chico
Não adianta. Por onde o Corvo vai, há duas perguntas sobre o setor político. A primeira é: "Paulo sai candidato"?; e a segunda: "Quem vai brigar com o Chico na disputa pela prefeitura"? 

Economia
O Corvo não é estraga-prazeres, mas a Câmara divulgou uma baita economia nos gastos com pagamento de diárias. Entre 2013 e 2015, os valores ultrapassavam os R$ 300 mil. No fechamento dos números de 2017 a 2019, o valor caiu para a casa dos R$ 143 mil. Qual a fórmula do milagre, se os componentes do Legislativo são praticamente os mesmos? E o detalhe é que os que não possuem mandatos hoje quase não viajavam. Mas o valor já foi bem menor em 2017 (R$ 34,9 mil) e 2018 (R$ 42,6 mil). Detalhe, 2016 ficou fora da conta (R$ 96,5mil). É que a base demonstrativa é para os três primeiros anos de cada legislatura.

Conta completa
O Corvo ficaria muito satisfeito em conhecer a planilha completa de gastos do nosso glorioso Legislativo, ou seja, todos os gastos em planilha. Aí sim teríamos a prova dos nove de como nossos valorosos vereadores tratam a grana do orçamento. Economia, o povo gosta. 

Defesa
Segundo uma informação, "entre 340 câmaras em que o TCE fez levantamentos, Foz ficou lá embaixo em relação aos gastos com diárias e passagens; ocupou o 145º lugar, ou seja, ficou entre as câmaras que menos gastaram ano passado". O levantamento é dos primeiros 180 dias úteis do ano passado, e esse "lá embaixo" não é bem assim. A Câmara de Foz ficou um pouco abaixo da linha que divide os que gastam "mais" e os que gastam "menos". É uma questão de matemática: 340 dividido por 2 é = 170. Lá embaixo seria no 3º ou 4º lugar de menos gastos. Mas já está bom, pois 50% é um número expressivo. Vamos gastar menos!   
 
Huck em Foz


Neste sábado, 99% dos televisores da cidade estarão garantindo os pontos no IBOPE em favor do programa do Luciano Huck, que exibirá um emocionante reencontro de irmãs nas Cataratas do Iguaçu. Aliás, ele adora mostrar as quedas. Está na hora de a cidade oferecer uma lembrancinha do tipo "reconhecimento" pelo entusiasmo com o qual o apresentador se desdobra em favor dos nossos atrativos. O Corvo viu a informação no H2Foz, assinada pelo amigo Cláudio Dalla Benetta, e não vai oferecer mais detalhes para não enfraquecer a audiência.