No Bico do Corvo
Olha o aperto aí gente!

O GDia publicou que Foz registrou 13 novos casos de covid-19 em uma semana, na verdade foram 14. E esse acréscimo está mexendo com a cabeça das autoridades. Basta um vacilo e o torniquete apertará de novo. O prefeito Chico Brasileiro nunca escondeu essa possibilidade.

Projeções
Falar em GDia, o portal publicou uma matéria especial no último sábado e ela rendeu muitos comentários durante o final de semana. Um físico da USP de São Carlos, realizou um estudo, no qual o Brasil teria algo perto dos dois milhões de infectados pelo covid-19, quase 15 vezes o número atual. No rabo desse foguete, todas as cidades estão esquentando a cabeça e usando a fórmula. Em Foz, o número de casos, segundo os cálculos do estudo, chegaria a mil. Algumas pessoas contestaram, mas quando o resultado é matemático, fica difícil dizer que 2+2 é igual ou menos que 3. Quem fecha os olhos para a realidade, acabará na fila do respirador.  

Lockdown
Não adianta ficarem encontrando significados para "lockdown", isso quer dizer "bloqueio total" e fim de conversa. E é o que vai acabar acontecendo com boa parte das cidades brasileiras, onde a população não colabora. Isso não é descartado nem mesmo em Foz do Iguaçu, que atravessa uma flexibilização gradual e caso que se espera, controlada. Se o sistema de atendimento hospitalar entrar em módulo de ameaça, teremos um lockdown bem no meio da cabeça, igual uma tijolada. 

Semana apurada
O presidente Jair Bolsonaro terá pela frente uma semana das mais agitadas, provavelmente a mais tensa desde o início de seu governo, e, dependendo o teor dos depoimentos PF, "sessão de cinema" entre delegados e o que mais ele disser por onde vai, o cenário pode incendiar de vez. 

Exibição de vídeo
Hoje haverá a exibição única, segundo determinação do Ministro Celso de Mello, do que se passou na reunião entre o presidente, Moro e três ministros, todos generais da reserva. Dependendo das revelações, será possível medir a temperatura do relacionamento de Bolsonaro com os militares. Abrem-se as bolsas de apostas para saber se o general Mourão será ungido à faixa presidencial.  

Depoimentos
Nesta segunda-feira, houve um certo tumulto em frente a PF de Curitiba, que recebeu o delegado Mauricio Leite Valeixo para ser ouvido no inquérito que apura a suposta interferência política de Jair Bolsonaro. Com tantos depoimentos, e simultâneos, pode ser que alguma coisa vaze, na base do "sem querer querendo". 

Simultâneo
Os depoimentos de ontem, em verdade, pareciam até os jogos de semifinal de campeonato, ocorrendo ao mesmo tempo, para não antecipar resultado aos adversários. Maurício Valeixo em Curitiba e o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, mais o ex-superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro Ricardo Saadi em Brasília, todos os depoimentos marcados para 10h, mas depois os horários foram mudando. 

Hoje
Está marcado para logo mais, às 15h, os depoimentos de três ministros de Estado. A saída de Sergio Moro do Ministério da Justiça está causando uma bela rebordosa. Falarão aos investigadores, os generais Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI); Walter Braga Netto, ministro-chefe da Casa Civil; e Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo. Segundo está agendado, eles serão ouvidos no Palácio do Planalto. Parece que na história, é a primeira vez que um inquérito reúne tantos oficiais de alta patente, numa única vez. Eles prestarão depoimento, porque foram citados por Moro.
 

Centrão
O "toma lá, dá cá" está meio travado. Em meio a tantos eventos investigativos, há uma turbulência em Brasília e a negociação de cargos entre governo e deputados anda um tanto truncada. No mais, qualquer indicação se torna alvo de enorme divulgação, o que não é confortável para alguns indicados. Basta surgir um nome, que ele é revirado do avesso e tudo, claro, vai parar na mídia. 

Intimidação
Como as nomeações são públicas, e nos tempos atuais, mais do que nunca, o governo demora para realizar a escolha de quem comporá os cargos loteados, porque há uma avaliação preventiva quanto ao estrago que a nomeação poderá causar.  

Indicação para o STF
O zum-zum da hora, é a antecipação de um nome para compor a Suprema Corte. Com Sérgio Moro fora do páreo, Bolsonaro teria declarado predileção por Augusto Aras, procurador-geral da República, uma das maiores pedras no caminho do presidente. É ele quem move as ações de investigação e pede a apuração de supostas falhas cometidas pelo governo.

Evidência
Mas será que isso cola? Pode ser, os ministros não engulam uma estratégia dessas, porque antes da indicação, requer-se qualidade para o exercício do cargo; ministros do STF necessitam profundo conhecimento jurídico e isso é avaliado pelo colegiado. Bom, o currículo de Aras é bom, trata-se de um conceituado jurista brasileiro, professor da Faculdade de Direito da Universidade de Brasília. É bacharel em direito pela Universidade Católica do Salvador, possui mestrado em direito econômico pela Universidade Federal da Bahia e doutorado em direito constitucional pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Leciona as disciplinas de direito eleitoral e direito privado na UnB. É membro do Ministério Público Federal desde 1987. Em 2019, foi indicado pelo presidente da República Jair Bolsonaro ao cargo de procurador-geral da República, embora não fosse um dos nomes integrantes da lista tríplice votada por membros do Ministério Público Federal. Mas foi aprovado pelo Senado Federal com 68 votos favoráveis e 10 contrários, Aras tomou posse como procurador-geral em 26 de setembro de 2019. O Corvo gosta de prestar esse tipo de serviço, antecipando o currículum vitae das figuras ilustres.  

Dona Regina
Que faisqueira a secretária da Cultura anda aprontando hein? Difícil imaginar tantas declarações polêmicas externadas por alguém que já foi considerada "a namoradinha do Brasil". Bom, no tempo que o país namorou com ela, não cantava "Pra Frente Brasil" e nem havia covid-19, para minimizar. Depois de ouvir a entrevista que ela concedeu à CNN, a conclusão é que sem um roteirista, ela não sabe se expressar na telinha.  

Enem 
As inscrições estão abertas desde ontem, mas, será que haverá mesmo a prova? Muitos alunos estão reclamando da novidade, o Enem Digital, pelo simples motivo de não possuírem computadores. A partir deste ano o Enem terá duas modalidades de provas, as impressas, com aplicação prevista para os dias 1º e 8 de novembro, e as digitais, para os dias 22 e 29 de novembro. O participante que optar por fazer o Enem impresso não poderá se inscrever na edição digital e, após concluir o processo, não poderá alterar sua opção. Taí uma dúvida quase cruel. 

Abertura dos hotéis
Em Foz do Iguaçu, o setor de Turismo está em festa, porque muitos hotéis abriram ontem, segunda-feira (11). Mesmo sem quase hóspedes, a iniciativa dá um "up" na moral, porque os estabelecimentos como estavam, fechados, causavam uma espécie de depressão coletiva. 

Reformas
Alguns grupos hoteleiros aproveitaram a quarentena para dar uma geral nos estabelecimentos; alguns em verdade, estão sendo praticamente reconstruídos, como é o caso do Hotel Carimã. Quem passa em frente notará muitas mudanças. O telhado foi quase todo restaurado e pelo visto, todo o piso foi trocado, pois o entulho está ajudando a nivelar um espaço ao lado. Agora, o que chama mesmo a atenção é o portal de entrada, aquela estrutura enorme que há em frente ao estabelecimento. Os investidores, que adquiriram o hotel, estão caprichando.   
 

Festival de máscaras
O que este Corvo nota, é um desfile de gente mascarada, onde uns são mais criativos que outros. Muita gente está tentando imaginar um desenho criativo, ou mesmo usando pedaços de tecido. Isso quase virou uma mania entre os brasileiros. Numa rápida busca pela internet (porque o Corvo não pode sair de casa), foi o suficiente para encontrar ilustrações muito interessantes .

Indústria
Os orientais são um pouco mais sofisticados, partiram para a industrialização de máscaras muito bem acabadas e que transferem um pouco de humor em quem utiliza. A pessoa pode estar triste de cara amarrada, mas a máscara muda tudo. 

Operações rápidas
Olhando o guarda-roupas, ou um baú de retalhos é possível encontrar uma estampa criativa para inventar uma máscara, como é o caso de achar uma camisa dos Rolling Stones.