No Bico do Corvo
Mandetta, o maioral

Na queda de braço com o presidente Bolsonaro, o ministro da Saúde bate a popularidade até do Luciano Huck, superou até o Lula e faz tempo. E quem diria ele declarou que nem faz parte do mundo virtual. Imagina se fizesse. Será que o ministro já está contabilizando votos nas próximas eleições?

Enquanto isso…
…o mundo gira, a pandemia assusta, pessoas morrem, políticos se pegam, e tentam por tudo encontrar foras de frear o Covid-19. A Cloroquina tornou-se a discussão do momento. O presidente Bolsonaro praticamente dá a crise por encerrada, se depender de administrar o remédio. O mundo se divide entre a opinião dos favoráveis e receosos em receitar o medicamento. "Por enquanto não se sabe se o medicamento é 100% eficaz no tratamento". Mas se fosse 20% benigno, na proteção contra o novo coronavírus, já era motivo de prescreveram. Se disserem que injeção no olho ajuda a prevenir, nessas alturas, já haveria fila nas portas das farmácias.   

Quebra de patentes
Quem diria, o covid-19 está causando efeitos colaterais inimagináveis; deputados do PT e do Psol se uniram à base de apoio ao Bolsonaro, no pedido de quebra de patente para medicamentos possivelmente eficazes contra a doença.  

Alexandre de Morais 
O Ministro do STF proíbe o governo federal de derrubar decisões de estados e municípios quando o assunto é o "isolamento". Foi a OAB quem pediu ao STF, que o presidente Bolsonaro seja "obrigado" a respeitar atos locais. O ministro quer a união entre poderes contra coronavírus. 

Paulo Mac
Ele estava na trincheira, esperando o bombardeio passar. No momento deve estar alçando a baioneta, ou preparando uma carga de cavalaria para adentrar ao processo político eleitoral. Paulo é assim, não há meio termo. E não venham dizer que o Corvo não alertou que isso aconteceria em tempo hábil dele encarar as eleições. 

Podemos
Todas as evidências de que Paulo restabeleceria os direitos políticos, sinalizaram quando ele foi convidado a ingressar no Podemos. Tanto o senador Álvaro Dias, quanto o Oriovisto, são pessoas muito criteriosas e não embarcariam numa filiação assim, sem antes analisara situação. Obviamente eles viram o potencial de injustiça no processo. E se agiram assim, acertaram. O Gdia fez uma entrevista exclusiva com o senador Álvaro Dias, está nesta edição.  

O Processo
A esta altura, a decisão é matéria vencida, velha, porque não possui segredo de Justiça e já foi compartilhada nas redes sociais e numa centena de sites. O Corvo leu de cabo a rabo e, apenas um trecho define tudo: "ausência de locupletamento ilícito por parte do gestor público - aliado à circunstância de o serviço ter sido prestado e o valor e o valor em comento não ser de modo algum exorbitante com a expressividade financeira do Município de Foz do Iguaçu - também revela que a exasperação da pena-base é descabida". E a tal pena-base, foi que tirou a eleição do Paulo e forçou a realização de outro pleito. 

Paciência
Para qualquer pessoa, seria impossível atravessar uma situação semelhante sem surtar, ainda mais com todas as convicções de inocência. Paulo Mac até que levou bem, sem tanto sangue nos olhos, foi frio, calculista, acreditou na competência dos advogados e na Justiça, e, esperou o tempo passar. E a decisão saiu em conformidade com as vigências eleitorais, o que muita gente considerava impossível. Agora sai de baixo, que a energia contida, à espera da demorada decisão, será descarregada como raios em tempestade. 

Dupla vitória
O Gdia publica uma sequência de informações, até pelo fato da manchete de ontem ser editada em tempo espremido. O fato é que o Paulo, na prática, teve duas vitórias; corrigiu a injustiça da condenação e voltou a ter o direito de se filiar em partido político, podendo, se quiser, concorrer a qualquer cargo eletivo.

E agora?
Em casa, cumprindo o distanciamento social, o que será, ele vai fazer? Com a cabeça que tem, Paulo Mac bem que poderia se antecipar e tratar de encontrar fórmulas para ajudar a tirar a cidade do buraco, no limbo do que virá, a pós crise do Covid-19. Capacidade ele tem é de sobra. No fim, essas ideias vão acabar se convertendo em propostas de campanha. Ou alguém duvida que o tema será diferente, caso ocorram eleições? Candidato que souber vender melhor as saídas de uma provável depressão, é o que vai cair na graça dos eleitores.    

Choradeira 
Mal saiu a decisão em favor do Mac, a patifaria inundou as redes sociais, tentando induzir a população sobre os riscos do ex-prefeito ser condenado em outras ações. O Corvo consultou vários advogados e as possibilidades de isso acontecer são tímidas. O que não faltarão nas redes e na internet serão certidões positivas, depoimentos de advogados, analistas políticos, fakenews aos montes e aí por diante. O fato é que pelo momento, Paulo pode ser, sim, candidato. Durmam com isso. Bola pra frente. 

E o Chico?
Não deu um pio, e, no corre-corre que está enfrentando, provavelmente nem deu bola para a situação. Está correndo atrás do prejuízo, como todos os administradores públicos no mundo. Ontem este Corvo foi pesquisar e descobriu que a arrecadação do município caiu cerca de 80% ao dia. A estas alturas, foi-se o orçamento do ano e no próximo exercício, não haverá dinheiro para absolutamente nada. 

Eleições
Este Corvo bateu um papo cibernético com o senador Álvaro Dias e ele disse que se até agosto, a covid-19 for dominado, haverá eleições, sem qualquer sombra de dúvidas. Mas se a crise agravar, adeus urnas em 2020. Álvaro admitiu que há defensores da ideia de juntar as eleições proporcionais com as majoritárias, mas existe o entrave constitucional e isso terá que ser decidido um ano antes. 

Emoção, enfim
Corvo, com essa possibilidade do Paulo Mac Donald disputar as eleições, quem ganha é Foz, porque o Chico estava correndo solto, sem oponente para as eleições de outubro. Temos sempre que pensar no lado positivo, porque corremos o risco de encarar uma disputa de alto nível, caso não entre algum estrupício para estragar o debate. 
Romário R. S. Santos

O Corvo responde: prezado, vivemos uma democracia e é normal que numa eleição existam candidatos de várias agremiações. Ontem o Corvo recebeu vários telefonemas perguntando onde é que conseguimos as informações quanto ao resultado em favor do Paulo. É fácil, basta ter paciência e ler a ação. Ela está disponível na Justiça. Sim, respondendo ao comentário do leitor, "corremos o risco" de participar de um debate bem elevado. Foz, enfim, merece.  
 

Ansiedade
Ontem, véspera deste feriado eucarístico, havia muita expectativa na assinatura do decreto que autoriza a abertura gradual do comércio. Infelizmente o Corvo não pode esperar, porque em "tempos de guerra", o jornal anda fechando cedo. Mas uma coisa é certa nunca uma caneta "trimilicou" tanto nas mãos do Chico Brasileiro, sobretudo depois das notícias de aglomerações e tumultos, nas cidades em que afrouxaram as medidas. Em Cascavel, por exemplo, parece que todo mundo vai voltar para casa. Falar nisso, o Corvo passou um olhar na análise da Secretaria de Saúde de Cascavel e ela é simplesmente show de bola em matéria de informações; esperam o pico da doença na "semana 24" ou seja, entre 07 a 13 de junho. Não deve ser diferente em Foz. 

Gripe
Até ontem, no início da tarde, exatamente 21.308 idosos haviam sido vacinados contra a influenza em Foz do Iguaçu. Segundo uma fonte, todos receberão a vacina, até os que se esconderam embaixo do guarda-roupas, com medo da agulha. 

Transporte
Em meio à crise, e a queda a receita no transporte público na ordem de 95%, vazou a informação que o Consórcio Sorriso pode demitir cerca de 100 funcionários. É a maior dentre todas as crises já enfrentadas no segmento em Foz. Nem a quebradeira da Gato Branco causou estrago assim.  

Sucatas
O leitor Paulo Menezes entrou em contato com as redes sociais do GDia e fez um comentário pontual em relação à notícia de que Foz possui mais 6 mil casos de dengue. Segundo ele, o 14º Batalhão da PM, que fica na Av. General Meira, deveria estar atento às responsabilidades sociais, porque seu pátio de veículos está repleto de sucatas. O recado do leitor foi pontual, porque uma situação dessas dá asas ao mosquito, natural e literalmente. 

Boa Páscoa!
Em meio a tantas dúvidas, tristezas, o Corvo manda um recado: vamos celebrar este momento com altivez e pensa nas lições que a vida nos dá. Pelo momento, lembrar Jesus e o que nos ensinou, e, entender o sentido pascal, nos ajudará muito a percorrer esse caminho que sabemos, logo vai passar. A humanidade superou períodos muito piores, de anos a fio de privações, como foram as guerras mundiais, pestes, e mesmo, tem litado contra a fome e as diferenças sociais. Vamos nos unir, definitivamente e quem sabe, depois da pandemia, seremos pessoas muito melhores!