No Bico do Corvo
Documento vazado em reunião ente entre poucos

Parcialmente presencial
Como uma coisa dessas acontece? E ao que consta, seria uma reunião parcialmente presencial, logo, não deveria reunir muitas pessoas, o que contraria o decreto da prefeitura. Segundo este colunista apurou, uma parte dos componentes se reuniou na ACIFI e o pefeito deliberou por vídeoconferência.

 

O vazamento
Mas o fato do esboço vazar, não foi rui, porque acabou gerando um certo aívio no meio empresarial, sobretudo pelos cuidados com a saúde das pessoas que frequentam os ramos que possivelmente voltarão a atender. 

 

E como foi?
O que seria um rascunho do documento vazou enquanto autoridades e empresários discutiam o assunto. Um "rascunho em papel timbrado da prefeitura, leia-se. Denominado como “Plano para o segundo ciclo da contensão do covid-19 em Foz do Iguaçu”, o documento é dividido em três etapas, incluindo uma programação na área de Saúde, para as duas próximas semanas. Na segunda etapa, do documento consta que “Considerando que a adoção do TERMO DE RESPONSABILIDADE SANITÁRIA foi cumprido pela maioria das empresas previstas no artigo 9º do Decreto Municipal no 27.994/2020 e que o cenário epidemiológico se mantenha nos patamares da curva alongada, permitir a abertura monitorada e regrada de vários setores da economia local que possibilitem o atendimento individualizado e agendado, com uso de EPI’s determinado em novo Decreto, como óticas, lavanderias, barbearias, salões de beleza, clínicas médicas, de fisioterapia, odontologia, gráficas, floriculturas, chaveiros, bicicletarias, oficinas de refrigeração e comércios familiares”.

Na tarde do sábado, (04), vários grupos circulavam as medidas que sequer haviam sido aprovadas e mesmo assinadas, nas redes sociais. O vazamento causou certo desconforto na administração municipal que imediatamente emitiu nota: “A PREFEITURA DE FOZ DO IGUAÇU informa que este documento não é uma normativa oficial e, portanto, não tem validade até o momento. O que existe é um plano de ação que está sendo construído com a colaboração de diversos segmentos oficiais do Município de representatividade de classes organizadas. Portanto, será apresentado um plano de ação no momento certo”.

Editores da coluna No Bico do Corvo, conversaram com alguns empresários e a notícia foi recebida com certo entusiasmo, embora o que seria uma “lapidação do documento”, pode apresentar mudanças nas datas e nos procedimentos. Uma fonte adiantou que a redação final deve ser apresentada no início da próxima semana, mas o governo estaria de olho na evolução no índice de contaminação do covid-19.


Leia o conteúdo do esboço, na íntegra:

PLANO PARA O SEGUNDO CICLO DA CONTENÇÃO A COVID-19 EM FOZ DO IGUAÇU

Feito o diagnóstico epidemiológico da pandemia da Covid-19 em Foz do Iguaçu até o dia 03 de abril de 2020 e apresentado alguns cenários de previsão de comportamento a curto e médio prazo da disseminação do vírus em nossa cidade, com a evolução do número de doentes leves, graves e muito graves, a Prefeitura de Foz do Iguaçu, através da Secretaria Municipal da Saúde, Vigilância Epidemiológica e Fundação Municipal de Saúde – Comitê de Crise Covid-19, apresenta o seguinte cronograma para enfretamento da pandemia nesta fase e retomada da economia local, a qual denominamos segundo ciclo:

 

PRIMEIRA ETAPA: Semana de 06 a 12 de abril

 - Implantação do TERMO DE RESPONSABILIDADE SANITÁRIA aos setores previstos no artigo 9o do Decreto Municipal no 27.994/2020;

- Ampliação da fiscalização e tomadas de medidas mais duras contra as empresas que não cumprirem o TERMO.

 

SEGUNDA ETAPA: Semana de 13 a 21 de abril.

- Considerando que a adoção do TERMO DE RESPONSABILIDADE SANITÁRIA foi cumprido pela maioria das empresas previstas no artigo 9o do Decreto Municipal no 27.994/2020 e que o cenário epidemiológico se mantenha nos patamares da curva alongada, permitir a abertura monitorada e regrada de vários setores da economia local que possibilitem o atendimento individualizado e agendado, com uso de EPI’s determinado em novo Decreto, como óticas, lavanderias, barbearias, salões de beleza, clínicas médicas, de fisioterapia, odontologia, gráficas, floriculturas, chaveiros, bicicletarias, oficinas de refrigeração e comércios familiares.

- Implantação da obrigatoriedade das pessoas usarem máscaras em ambientes comerciais (clientes e funcionários), no transporte coletivo e transporte privado de trabalhadores.

- Implantação do bloqueio a acessos da BR 277 a Avenida Olimpio Rafagnin (exceção do acesso ao Jardim Nacional) e Jardim Jupira, bem como barreira sanitária nos demais acessos (trincheira Três Lagoas, Jardim Nacional, Costa e Silva, Garibaldi, Paraná e Tancredo Neves.

 

TERCEIRA ETAPA Semana de 22 a 26 de abril.

- Considerando a oportuna análise epidemiológica da pandemia em Foz do Iguaçu e do cumprimento das normas do TERMO DE RESPONSABILIDADE SANITÁRIA pelas empresas previstas no artigo 9o do Decreto Municipal no 27.994, bem como pelas empresas previstas na segunda etapa e manutenção de todas as demais medidas tomadas até então, reabertura dos demais setores empresariais da cidade, com limitação de quantidade de atendimentos e prioridade para agendamentos, além dos usos de EPIs previstos em decreto editado oportunamente;

- Mantém-se fechados os setores que aglomeram pessoas, como: casas noturnas, tabacarias, bares, academias, clubes, salões de bailes, cinemas, museus, teatros, escolas, faculdades, etc. PROGRAMAÇÃO NA ÁREA DE SAÚDE

- Para este segundo ciclo, levando em conta as previsões sobre o número de possíveis doentes leves, graves e muito graves, o Plano prevê:

 

Semana do dia 06:

- Início da testagem dos casos suspeitos pelo laboratório CMT;

-  Recomendação do uso de máscaras, mesmo domésticas, para todos;

-  Emissão, pela Secretaria Municipal da Saúde de instruções para confecção e orientação sobre o uso de máscaras domésticas.

 

Semana do dia 13:

- Testagem de todos os casos suspeitos, com exames PCR feitos nos laboratórios CMT e Municipal/Unila;

- Internação de todos os casos leves para cumprimento de quarentena;

- Negociação com o setor hoteleiro ou a utilização do recurso da requisição administrativa para transformar gradualmente até 1.500 quartos de hotéis da cidade em leitos para os casos leves confirmados;

- Ampliação de 60 leitos no Hospital Municipal, para casos graves, com a transferência da clínica médica para o Hospital Cataratas;

- Aquisição de mais 40 respiradores;

- Manutenção da recomendação do uso de máscaras, mesmo domésticas, para todos.

 

Foz do Iguaçu, 4 de abril de 2020.

Francisco Lacerda Brasileiro

Prefeito Municipal

 

Nilton Aparecido Bobato

Responsável pela Secretaria Municipal da Saúde