Corvo
Corvo

  O caminho "Progresso com preservação ambiental" é o lema do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Sales, e encampado pelo presidente Jair Bolsonaro. E foi a fala que serviu como luva, em Cascavel, para justificar a abertura da Estrada Ecológica do Colono. Até os ambientalistas já estão tratando o assunto com essa denominação.   Integração A estrada, além de unir duas regiões prósperas, será na verdade mais uma área de proteção, porque a presença do homem ambientalmente esclarecido, educado, ajuda no controle da área e na sua guarda enquanto um patrimônio. Mas a discussão está só começando. O apoio da máquina que governa é fundamental, e as bancadas estão menos radicais nas questões ambientais. Pelo menos os atores aceitam conversar. Só deu Vermelho O deputado está igual peixinho no aquário de água trocada, ou seja, feliz da vida. A edição de ontem do jornal enfrentou um sufoco no fechamento, porque nas duas matérias mais importantes aparecia o Vermelho fazendo articulação. Não queremos parecer chapa branca, ou colorada, mas não houve escapatória. Os conteúdos mereceram o destaque. O principal foi sobre o apoio de Bolsonaro à Estrada do Colono; e o segundo, não menos importante no aspecto local, foi a possibilidade de reconhecimento do Hospital Germano Lauck como instituição de ensino. Isso será um avanço em matéria de investimentos públicos federais. Hospital-Escola Segundo sabemos e acompanhamos o assunto "despacito", a Unila vem atuando com firmeza na proposta. Mas há uma distância muito grande entre os dois pontos, Hospital-Escola, o que todo mundo quer, e Hospital Universitário, o que é uma ação bem mais ousada.   Mexendo-se Como Brasília sempre esteve longe de Foz, até nos mais dourados sonhos, a imprensa perdeu um pouco a prática de lidar com essa enxurrada de propostas. E o deputado Vermelho, com essa hiperatividade, trabalha tal equilibrista de pratos, com uma porção de assuntos importantes ao mesmo tempo. É bom de pegada. Está em várias comissões; em assuntos de destaque como a liberação dos cassinos, temas ligados ao Mercosul, turismo e mais uma penca de projetos. Paralelamente demonstra força colando nos ministros do presidente.   Alvo E para variar, quando um político ascende dessa maneira, igual foguete russo, acaba despertando ciúme, incomodando, e naturalmente quem não sabe enfrentar a situação olhando nos olhos e na base do debate sério paga vagabundos para descer o pau. É triste, mas é verdade. O bom é que as pessoas já sabem identificar esse tipo de ação nefasta, de fundo de quintal. Discussões sérias acontecem nos veículos tradicionais, como é o caso da Rádio Cultura. O programa comandado pelo Airton José esquentou com relação à Estrada do Colono, com excelente mediação e clareamento de ideias. Contaram para este colunista que as emissoras de Capanema estão falando sobre o assunto o tempo todo.   Ecologia Mas prestar a atenção nos debates é algo até divertido, sobretudo quando certas pessoas se metem a tratar do assunto sem o mínimo de conhecimento. Este Corvo recebeu um e-mail que se fosse publicado irritaria ambientalistas, ecologistas, pessoas devotadas ao meio ambiente, e também tiraria do sério os protetores de animais. Há pessoas que falam da fauna silvestre esboçando tamanho conhecimento que a gente acredita, mas não são capazes de cuidar do cachorro em casa. Um vizinho denunciou os maus-tratos a dois cães e um gato de um devotado ser protetor das florestas. Os bichos ficaram trancados quase uma semana, sem água e comida. Tiveram de pular o muro para salvar a situação.   A cervejinha do Moro Poxa Corvo, vocês não dão moleza, hein? Qual o problema de o ministro Sérgio Moro gostar de degustar uma cervejinha de vez em quando? Até isso as pessoas notam? Que barbaridade! Deixa o homem curtir a vida, bebericando uma Heineken no bico! Alexandra Passos O Corvo responde: quem manda ser uma celebridade? Se fosse o Corvo, ou outro desconhecido, não chamaria tanto a atenção. A foto em questão, do ministro no caixa do supermercado, correu as redes sociais, e os comentários foram os mais positivos. Ministro que dispensa motorista para ir fazer as compras de casa deve ser gente muito boa.   Armas Que confusão isso, hein Corvo? Primeiro anunciam que a gente pode comprar até um fuzil. A notícia animou quem gosta de armas e até mesmo quem nunca pensou em possuir uma, como é o meu caso. Depois, num espaço de dois dias, mudaram tudo? E você, Corvo, vai comprar uma arma? Parece que jornalistas terão esse direito. Wagner dos Santos O Corvo responde: prezado leitor, jornalistas que atuam na área policial poderão adquirir uma arma para a defesa própria; advogados também. Segundo os especialistas, mesmo com algumas limitações, é provável que alguns milhões de brasileiros estejam armados daqui uns tempos. O Corvo não tem essa pretensão. Não sabe nem como segurar um revólver. É bem provável que ao atirar acerte o pé. Para se defender em casa, em caso de ladrões, o Corvo guarda uns rojões atrás do guarda-roupa.   "Jus sperniandi" A polêmica em torno da suposta nomeação do ex-deputado e advogado Osmar Serraglio, para o cargo de diretor jurídico de Itaipu, está ganhando ares nacionais. O assunto já foi parar em colunas e blogues de destaque. O jornal Gazeta Diário apenas registrou a indignação de vários iguaçuenses, o que é normal, porque o professor Serraglio é um político de outra região. Durante anos, Foz do Iguaçu vem sendo aviltada com este tipo de situação, de ser mandada por gente de outras localidades. Se bem que no caso Serraglio não iria mandar em absolutamente nada; pelo contrário, receberia ordens. Mas acontece que o cargo, de "diretor" de Itaipu, independentemente da área, sempre foi uma espécie de plataforma para os políticos, como foi para Rubens Bueno e Gleisi Hoffmann. Dona Gleisi saiu daquela diretoria para o Senado da República. Pensa?   Qualidade Ninguém, em momento algum, questiona o emérito professor de direito quanto ao seu conhecimento e capacidade. O que causa estranheza é o fato de mais uma imposição política, aos moldes do que tem acontecido ao longo da existência de Itaipu. Agora, as feridas criadas pelo Dr. Osmar Serraglio em sua insólita carreira política não são culpa nossa. Apenas defendemos a cidade e também as propostas da nova diretoria de Itaipu no corte de gastos e ao prestigiar funcionários e pessoas da região. É, ineditamente, uma diretoria técnica, com pesados compromissos assumidos em favor de Foz, logo não precisamos de pitaco de fora.   Nomeação Se Osmar Serraglio for nomeado diretor jurídico de Itaipu, será bem recebido, com todo o respeito que merece. Mas, como político, deve aceitar a rejeição de seu nome com naturalidade; como ocorreu com tantos outros indicados. No mais, a vida segue. Foz começa a desabrochar um senso de bairrismo; e em muitos aspectos isso é muito bom. Dar valor ao que é da cidade, pertence a ela, é uma maneira de olhar para o futuro e concretizar muitos sonhos.   Centro Integrado Puxa vida, né Corvo, o progresso sempre chega tarde. Lembro quando Foz era um exemplo na área de segurança comunitária, por meio de um "Centro Integrado". Ele possuía membros de todas as forças de segurança, tal qual é esse projeto que agora será apoiado por Itaipu. Se na época a iniciativa, de empresários de Foz, contasse com um apoio assim, a cidade seria uma das mais seguras do mundo! Joice Ramires O Corvo responde: a leitora lembra o Conselho Comunitário de Segurança, elaborado por empresários como Narciso Valiatti e Cesar Cabral e depois capitaneado pelo Dr. Carlos Duso. O grupo ajudava inclusive na manutenção das viaturas da polícia, com pneus, combustível e outras formas de apoio; até na área publicitária, com campanhas envolvendo toda a cidade. A sensação de segurança ajudou muito a erguer o ego dos iguaçuenses. Mas a proposta divulgada ontem no jornal pretende atuar num nível bem maior, o que poderá resultar num enorme avanço, por meio de uma força conjunta inédita. Bons de gramado A Panorama Home Center também está nos gramados. Os profissionais que atendem a clientela em todas as áreas das lojas montaram uma bela equipe de futebol de campo, o que ajuda muito no entendimento entre os colegas. Uma grande iniciativa! O Corvo quer saber o resultado dos jogos.