Douglas Dias
Cinema dentro do carro: a moda dos anos 1930 voltou  

A pandemia causada pelo novo coronavírus mudou a rotina de muita gente. Se no primeiro momento a orientação de ficar em casa foi seguida à risca pela maioria das pessoas, com o passar das semanas, foram surgindo alternativas para sair de casa de maneira segura, evitando o risco de contaminação. É nesse cenário que os cinemas drive-in vêm ressurgindo. Nos Estados Unidos, esse tipo de exibição foi muito comum entre os anos 1930 e 1970, assumindo um papel essencial no entretenimento cultural do país. Naquela época, os drive-in theaters eram uma alternativa de lazer para famílias, que se reuniam dentro do carro nas noites estreladas de fim de semana e assistiam ao novo longa-metragem do momento. Esses espaços também foram cenários de muitos primeiros encontros entre casais, já que a vibe casual dos drive-ins e o preço mais acessível do que o dos cinemas tradicionais também atraía o público jovem. Foi por isso que, em 1958, os EUA chegaram a ter 4.063 espaços espalhados por todo o país. Com o passar do tempo e com o aprimoramento do entretenimento em casa (a TV em cores, por exemplo), os drive-ins foram perdendo espaço. Nos anos 2000, alguns estabelecimentos seguiam abertos, bancados, principalmente, pela nostalgia de quem viveu o auge dos drive-ins. O que ninguém esperava é que, em pleno ano de 2020, o cinema ao ar livre voltaria à ativa e passaria a ser uma opção de entretenimento cobiçada por muitos. Mas, aparentemente, é isso mesmo que está acontecendo. (Fonte: site Novos Tempos)


A arquiteta ELLEM Chemin marcou presença em um desses eventos que,
antes do isolamento social, reuniram nomes tradicionais da sociedade iguaçuense 



     MODULINEA SEMANA DE INAUGURAÇÃO DE 16 A 19 DE JUNHO