No Bico do Corvo
Chuva em Minas

O estado é de calamidade. Muitas pessoas perderam a vida em decorrência de alagamentos e deslizamentos. As imagens são chocantes, sobretudo a agonia e o desespero das pessoas. O Brasil precisa somar esforços e ajudar os afetados. E a previsão não é das melhores, toda a faixa litoral está em alerta. 

Cães de rua
Este colunista tem recebido cartinhas e e-mails sobre o virtual aumento de animais nas ruas. Alguém escreveu que os gatos e os cães de uma casa ao lado estão passando fome e sede. A família viajou e, na ansiedade de pegar a estrada, esqueceu a bicharada. Os  vizinhos é que estão cuidando dos animais. Até um passarinho foi esquecido. Que judiação! 

Paradinha perigosa
Corvo, Foz do Iguaçu é um caldeirão no verão, com temperaturas derretendo os termômetros; chega acontecer uma fusão entre pneus dos nossos carros e o asfalto, mas isso não justifica alguns motoristas pararem 20, 30 metros antes do semáforo, apenas para se refrescar na sombra de uma árvore. Outro dia por pouco não colidi na traseira de um desses folgados, cujas placas do veículo eram paraguaias. O caso virou discussão. E o mais curioso, Corvo, é que o veículo do chiru possuía a placa traseira diferente da dianteira, pode? 
Arnaldo G H Ramos

O Corvo responde: essas estacionadas são muito perigosas, alguns acidentes ocorreram por causa disso, sem contar que, após o semáforo abrir, as pessoas aceleram. É normal até desligarem o motor do veículo, o que de certa forma é grave, porque é proibido estacionar na pista de rodagem. Os motoristas devem parar o veículo junto à faixa de retenção que fica abaixo do semáforo. Os demais devem obedecer à fila. De outra maneira, não existem veículos com placas diferentes. Isso deve ser denunciado. Se o infeliz cair numa blitz, certamente irá a pé para casa.  

139 mil multas
Foz do Iguaçu, segundo informações, possui uma população na casa dos 268 mil habitantes e uma frota perto de 200 mil veículos. Logo, se foram registradas 139 mil infrações, o número arrepia pela quantidade de semáforos furados, gente transitando na contramão e outros tipos de imprudência. Devemos considerar que as multas não significam o total de infrações; elas são o resultado daquilo que foi flagrado pelas autoridades de trânsito na cidade e estradas no perímetro urbano. Há muita gente aprontando ao volante. 

Movimento

Apesar do número de veículos, quase não há congestionamentos, a não ser se algum caminhão encrenque nas vias expressas, mesmo assim há escapes. Os horários de pico é que são um problemão, quando todo mundo sai ao mesmo tempo para trabalhar ou voltar para casa. A hora de trabalhar coincide com a entrada e a saída dos alunos nas escolas. Fora isso, ainda temos paraguaios, argentinos e turistas ocupando as ruas. Controlar o trânsito em Foz é um exercício e tanto de sincronização. Portanto, quem atrapalha isso, ou cria situações de embaraço, leva multa.  

Saída impossível


Corvo, sempre leio as suas notas sobre o movimento na BR-469. Pensa o que viveremos quando a rodovia entrar em obras? Isso terá que ser muito bem organizado, porque o tráfego é muito grande tanto para os turistas como aos que usam o aeroporto. Qualquer erro, muita gente vai perder o voo. E o pior é que não existe outra saída para o aeroporto. Mas como dizia a minha avó, "pelo menos estão fazendo e depois que terminarem ficará bom".  
Sueli B G Giustti

O Corvo responde: prezada, é de fato uma situação e tanto, porque a pista é estreita. Mas devem encontrar solução. O Corvo sempre escreve sobre o trevo de entrada para o Clube Hípico, onde há uma confusão permanente. Só quem usa sabe explicar. A boa notícia é que a Rua Tigre finalmente receberá a ponte de acesso ao Jardim Cataratas, e os moradores estão eufóricos. As máquinas estão trabalhando na pavimentação do trecho.
foto do corvo 1

Creches


O Corvo sempre anda pela Vila Carimã e adjacências. Disseram que a prefeitura tem planos para criar um parque ambiental lá, com passeios pelas cachoeiras que vão dar no Rio Iguaçu. É um lugar muito bonito e que merece a contemplação dos amantes da natureza. Falar nisso, a creche do Jardim Buenos Aires está quase concluída; colocaram até os vidros. A travessia para o Cataratas se faz necessária, para as crianças da região chegarem até a estrutura.
foto do corvo 2

Obras da ponte
Corvo, depois de ler as reportagens em seu jornal, fui lá no Porto Meira dar uma conferida nas obras da nova ponte com o Paraguai. Moro bem perto, no Ouro Verde. Como fui barrageiro, assim que vi a rampa de concreto, me lembrei do vertedouro. O lado brasileiro está bem adiantado, no entanto o paraguaio ainda está cheio de mato. Mas do alto dá para ver uma poeira vermelha. Concluí que estão fazendo um acesso. É um momento histórico, Corvo, como foram as construções das duas pontes.
Marcio A Nakamura

O Corvo responde: prezado, logo o lado paraguaio iniciará as obras na cabeceira, isso segundo uma informação que foi repassada ao Corvo ontem. Após o presidente Marito ter decretado a ponte como "utilidade pública", as coisas caminharão em velocidade similar à do Brasil. O Corvo tem lá as suas dúvidas, mas vamos aguardar para ver.  

Mordomia
Está certíssimo o presidente Bolsonaro ao mandar para a rua um servidor que usou um jatinho da FAB para ir de Davos até a Índia. É muita cara de pau. Deveria inclusive cobrar o combustível e os gastos do avião com tripulação e aeroportos, coisa que não é barata. Os políticos brasileiros deveriam fazer como o papa Francisco: viajar em voos comerciais, pagando a passagem do próprio bolso. No dia em que isso acontecer, poderemos imaginar que algo de fato mudará na cabeça dos nossos representantes.   

Vírus chinês


O coronavírus pode estar espalhando-se mais que o imaginado pelas autoridades sanitárias. No Japão, há um caso de infectado que não foi à China e não manteve contato com oriundos. Pensa? Vai que essa coisa escapa pra valer? O assunto merece um pouco mais de atenção no Brasil. As coisas andavam muito calmas, se comparadas aos alertas ao redor do mundo. Só depois de uma suspeita é que subiram o nível de alerta.
 

Resgate


Muitos países estão trabalhando para resgatar seus cidadãos nas áreas afetadas na China. O presidente Bolsonaro parece ser contra, e sua opinião vai ao encontro do pensamento da OMS (Organização Mundial da Saúde). Trazer as pessoas é uma maneira de importar a doença. A China está preparando-se para acolher os visitantes em quarentena. 

Calçadas
Prezado Corvo, a cidade ficaria muito bonita e mais ordeira, se as pessoas cumprissem a lei e providenciassem calçadas táteis, como muitas que já foram construídas. Eu mesmo já fiz a minha. Custou uma grana, mas a casa ficou bem mais bonita. A casinha da gente é tudo na vida! Mas de que adianta só eu fazer? Outro dia fui até a padaria e enfiei o pé num buraco e de lá fui parar na UPA. O mato tampou a cratera, e o estrago no tornozelo foi grande. A prefeitura deveria obrigar todos a fazerem as calçadas. 
Mario José F Costa

O Corvo responde: prezado, muitas pessoas estão interessadas em pavimentar as calçadas, o problema parece que é o preço. Ele está um pouco alto. O Corvo fez uma pesquisa e encontrou valores muito díspares, e um dos fornecedores perguntou se o serviço seria com ou sem faixa de deficientes. Para começo de conversa, não poderiam sequer questionar se as calçadas obedecem a um padrão. Será que não seria o momento de a prefeitura dar uma boa olhada nisso e fazer valer a lei? 

Emendas
O Corvo tem lido com atenção a destinação de verbas públicas por meio de emendas impositivas e coletivas. Algumas entidades foram citadas. Acontece que há gente sem a documentação para o aporte de verba pública. Entidades sem as prestações de contas em dia estão impedidas no benefício de repasses. Isso pode resultar em improbidade. 

Barbeiragem
O Corvo errou o nome do amigo barbeiro, cujo salão chama-se "Lírio Cabeleireiros", na Vila A. Mas este colunista vai dividir a culpa com um colega, freguês do estabelecimento. Seu Clóvis, nome que foi publicado, também conhecido do Corvo; ele estava na barbearia, como cliente, daí a confusão. E o Corvo ficou pensando: será que o Mazzuti virou barbeiro, de tanto frequentar a barbearia? Não, o barbeiro é o seu Orélio, figura mais do que conhecida na zona norte da cidade. Pedimos desculpas pelo equívoco e enviamos aqui aquele abraço!