No Bico do Corvo
Autorização

Corvo, o Turismo quer retomar as atividades no dia 10/06 feriado do aniversário da cidade. Mas e já há autorização para isso? O Parque vai abrir, os atrativos vão poder funcionar? Como está isso? Porque estou ouvindo falar que vão arrochar a circulação de pessoas de novo. O que você sabe Corvo? 
Matheus G. A. Linhares

O Corvo responde: prezado, todos os setores pediram autorização e alguns já a possuem. O GDia está em cima para colocar a população a par dos acontecimentos. Fique ligado! Tudo indica que teremos sim a retomada, embora os números no Paraná sejam preocupantes.  

Pizza
É o que poderá acontecer com vários inquéritos, a começar pelo que combate fake news. Podem começar a escolher o sabor da redonda. Infelizmente é assim que as coisas acontecem no Brasil. Quem viveu o suficiente, conclui até com um certo conformismo; embora essa comodidade ainda não cabe no Corvo; é admissível compreender que é difícil, é complicado e isso nos traduz impotência, aumentando o descrédito nas instituições. Uma pena, um país tão rico, convertido numa imensa massa falida, no campo econômico, político e das perspectivas. Bola pra frente! Avante! 

Peladão na tribuna
O deputado Jorge Britez, de Alto Paraná (PY) não ficou pelado como noticiaram alguns veículos de comunicações. Ele apenas tirou o paletó e a camisa. Para se pronunciar sobre a crise econômica em Ciudad del Este, provocada pelo fechamento da Ponte da Amizade, em função da pandemia da covid-19. 
"Essa região que teve muitos anos de prosperidade foi relegada a segundo plano pelas autoridades federais. Com o fechamento das fronteiras a crise se aprofundou, gerando fechamento de lojas e desemprego em massa", disse. As declarações acaloraram os setores políticos de Assunção, mas ninguém se desvestiu por causa disso.

A crise além rio
Corvo, seu jornal publicou que mais de 100 mil pessoas são afetadas pela crise do covid-19, em CDE. Eu diria, por meio deste milagre que é a internet, que nos permite a comunicação, mesmo em tempos de pandemia, que o problema abarca 98% da população da vizinha cidade. Todos sofrem, empresários, empregados, terceirizados, gover-nantes, todo mundo está em deriva, sem saber o que será da vida, porque não há absolutamente como sobreviver até o final do ano, quando o governo pretende flexibilizar. Não é possível encarar uma situação assim Corvo, deve haver saída. 
Raúl G. Gonzalez 

O Corvo responde: é muito triste saber e nada poder fazer diante de uma situação assim. O Corvo pesquisou e ficou de cara ao descobrir que apesar da situação ainda há quem concorde com a decisão do governo federal paraguaio. O temor de perder o controlo se justifica, pelo o que ocorre no Brasil, onde o descontrole é total. O que seria de Ciudad del Este e populações vizinhas, casos fossem arrebatadas pelo covid-19? Onde as pessoas receberiam atendimento? De que forma o processo seria conduzido, quando nem há mais ajuda humanitária disponível, com os recursos tão escassos. É muito difícil compreender uma situação assim. Mas os empresários estão se mobilizando na criação de meios que permitam pelo menos um pouco de movimento. O caso é o governo se sensibilizar. 

Números que assustam
O Brasil escala o pico da tal curva epidêmica e parece que está difícil chegar lá. Segundo os cientistas, pode levar muito mais tempo do que em outros locais, porque a população não colabora. Há cidades onde os números simplesmente dobraram e não há a mínima chance de atendimento o que leva muitos se tratarem em casa e de lá, vão direto para o cemitério. É triste, mas é verdade.

Depósito
Corvo, não quero o meu nome nessa nota, mas tenho a dizer, que fui uma das pessoas que tiveram o depósito na conta, do auxílio emergencial. Veja, sou servidor sim, mas em momento algum preenchi formulário em busca do recurso e penso que muitos colegas também não. Não entendo como isso foi ocorrer. Esses dias quase apanhei na rua de um vagabundo que veio com o dedo em riste, me acusando de ser um aproveitador. Estamos querendo saber como essa lista se espalhou e vamos processar quem fez isso. Já devolvi o dinheiro inclusive. Certas coisas acontecem e não deveriam receber condenação, sem ao menos uma explicação. E quem deve explicar, neste caso, é quem fez o depósito.
P.L.H.M (O leitor pediu para não ter o nome revelado)

O Corvo responde: várias pessoas comunicaram este colunista sobre fato semelhante e pediram para que as mensagens não fossem publicadas. Respeitamos. O caminho é só um: devolver o dinheiro e buscar solução para o ocorrido. Cabe a cada um considerar o que fazer, mas o ideal é procurar desde já um advogado. Como a lista vazou, isso até ao momento é ignorado. O que o corvo sabe, com certeza, é que não publicou. 

Segundo lugar
Nossa país, não demora, será o segundo lugar absoluto no ranking de novos casos e óbitos. Já deixamos para trás a Espanha, França e deveremos superar a Itália em questão de horas. Faltará bater o Reino Unido, mas os especialistas garantem que isso acontecerá no final de semana. Será que as autoridades dormem, em situação assim. Bom, o presidente Bolsonaro não deve ter problemas com o sono, se depender de suas declarações. Mas ele que tome tento, porque os efeitos da crise poderão incomodá-lo e muito no futuro. Graças às pantominas, a situação perdeu o controle e essa conta não sairá barata. E agora os vetos de distribuição de verbas, olha, a coisa está ficando muito feia. 

Abraham Weintraub
Será que vale a pena o governo se desgastar tanto assim por causa de um ministro tão ineficiente que nada fez para melhorar a Educação no país? Corvo, o que será que o presidente Bolsonaro vê nesse cara, ele está ajudando a afundar o governo. Por que será não mudam logo esse cara? 
L.O.P (O leitor pediu para não ter o nome revelado)

O Corvo responde: não mudam, vai ver é porque já mudaram várias vezes o ministro da pasta. A área da Educação já era uma tragédia, com a pandemia então, é difícil arranjar uma palavra para definir. E francamente, o que será da Educação no Brasil, no pós-pandemia? Alguns Estados já assumem o ano como "perdido". Que barbaridade! 

Vacina e cloroquina
Agora a OMS resolve retomar os estudos com a cloroquina. Receberam sinal verde nas pesquisas. Só falta descobrirem que o remédio era a salvação? Pensa? Enquanto isso, iniciam-se os testes com o produto imunológico de Oxford; ele deverá produzir resultados em 30 dias e segundo ele colunista pesquisou, a coleta de informações dirá se a agulhada valeu a pena em dezembro e olha lá. O Corvo declara que é voluntário!  

Lista
A verdade é que a lista de óbitos, divulgada todos os dias, causa um temor medonho, porque independente do covid-19, inexplicavelmente, muitas pessoas estão morrendo e isso é desolador. E o que causa mais espanto, é a forma com a qual muitos recebem as notícias, com um ar robótico, um sintomático anormal. Literalmente a ficha não caiu. 

2020
O atual ano está sendo praticamente anulado do calendário, algumas pessoas declaram que não querem nem comemorar nem o aniversário, do tipo, vamos pular "2020". Só que não é assim. O correto é lembrar o período, para que situações iguais nunca mais ocorram. E o que se vê, é muita gente discutindo o pós-pandemia. Mas aqui entre nós, do jeito que as coisas vão, corremos o risco de não ver muita coisa sobrando no fim do túnel. Corvo, eu tento ser otimista. Mas é difícil.
Naiara L. G. Pilatti 

O Corvo responde: vamos deixar o pessimismo de lado e tocar a vida, tentando desatar os nós, porque eles, de qualquer maneira, sempre aparecem pelo caminho. O que não se pode é entregar os pontos. 

Agradecimentos
O colega Rogério Bonato pediu a este Corvo para publicar "todos os agradecimentos do mundo" pela chuva de cumprimentos no dia do seu aniversário (04/06). Foram tantas as lembranças que ele não conseguiu responder a todas nas redes sociais e por isso, recorreu a este espaço. Bonato diz que está confinado e às vezes, diante de tantos alertas, sente-se como um porco no caminhão da JBS, a caminho do frigorífico. Bom, todos em algum momento, nos sentimos assim, mas isso vai passar! 

Retorno
Este Corvo aproveita para desejar a todos um glorioso final de semana, informando que no dia 15 de junho o GDia voltará à circular nas segundas-feiras. A operação foi encurtada em dois dias, mediante a paralisação no comércio, mas como a reabertura gradual, as coisas voltarão ao normal.  E no dia 15, o jornal encartará uma bela edição de aniversário da cidade. Ela foi programada após a data (10 de junho), para conter as manifestações festivas em razão da data.

A magia da vida
O Corvo recebeu um aviso via rede social e na primeira leitura, deu pulos de raiva. Mas depois, passado um momento, tornou a olhar o texto e entendeu melhor o recado, uma bela composição sobre a maneira das pessoas lidarem com a situação. Umas são muito pessimistas, e outras, sob a ótica da esperança, acreditam que tudo pode ser diferente. Confira a ilustração aqui.