No Bico do Corvo
Agonia

A inércia do leão estava incomodando não só os contribuintes. Os contadores viviam na expectativa do adiamento do prazo de entrega das declarações. Em Foz, há mais de 50 mil declarantes e 20% apenas, haviam antecipado a obrigação. Com o prazo dilatado até 30 de junho, foi possível ouvir os suspiros. 

Contradição
Corvo, a todo momento você publicam matérias sobre o inconformismo do empresariado em seus mais diversos setores. O povo quer trabalhar, reclama, e vocês abrem espaço. Não acha que isso cai em contradição, uma vez que a ordem é "quarentena"? Afinal, de que lado vocês estão? Dos que acreditam no recolhimento, ou nos que acham que o mundo "deve" abrir normalmente?
Mari José T. Hass

O Corvo responde: prezada, estamos apenas ao lado da notícia e o nosso jornal abre espaço para todas as manifestações da sociedade. Para formar e ajudar na solidificação da opinião como um todo, é natural o diálogo e ouvir o pensamento, as justificativas e o que acontece em todos os setores.  

Teleserviço
Graças à tecnologia o mundo está se comunicando e setores importantes estão operando, alguns até com muita eficiência, como é o caso do Judiciário. As "teleconferências", antes complicadinhas, porque nem todos empresários ou políticos dinossauros sabiam operar o computador ou celular, estão salvando a lavora. Cursos e palestras continuam à toda, em especial as que já haviam sido marcadas. Com o advento, muitos começaram a calcular uma nova era, sem a necessidade do presencial. Isso, além de agilizar, pode economizar luz e toda uma estrutura que em geral, custa caro. 

Não demora...
... colocarão no mercado prospectores em 3D, como nos filmes de ficção, onde as pessoas se reúnem normal e formalmente, mesmo cada uma em um canto do mundo. Ou em cada lado do universo. 

Consultas médicas
Não faz muito tempo, os pacientes reclamavam dos médicos quando iam consultar no serviço público. Diziam: "poxa, ele só me olhou do outro lado da mesa e já disse o que eu tinha?". Pois agora a distância aumentou, com o atendimento por vídeo. Taí um jeito de acabar com as filas nos postos de saúde. 

Vereadores na telinha
Ontem nossos valorosos vereadores entraram para o rol da tecnologia ao realizarem a primeira sessão na história, por vídeo conferência. Este Corvo assistiu e notou que tinha gente de olho inchado, de tanto dormir. Num dos "cenários" havia listras bancas e vermelhas, como as da bandeira norte-americana! Bolsonaro iria adorar! O curioso é em boa parte, participaram da reunião virtual, em seus gabinetes, na Câmara, não em casa, como deve ocorrer hoje. A assessoria explicou que a necessidade de irem até a sede do Legislativo, foi para se familiarizarem com as ferramentas de transmissão. Não vamos admirar caso alguém entenda que nem será mais preciso construir uma sede para a Câmara, no futuro. Bom, seria uma bela economia nos cofres públicos. 

Competição 
Foz e Cascavel são praticamente idênticas em muitos aspectos, a começar pelo número de habitantes. Com a pandemia, andam lado a lado no número de infectados. Pelo menos até o fechamento desta coluna. Infelizmente houve um óbito em Cascavel; em Foz, por sua vez, dos 13 casos (até ontem), nove foram liberados do isolamento e três continuam em tratamento domiciliar. Apenas um internamento. Olhando as cidades com a mesma faixa populacional, os índices são semelhantes. 

9 mil quilos de ração
A prefeitura distribuiu nove toneladas de ração para os cuidadores, o que deu cerca de 100 quilos para cada um. Existem muitas ongs dedicadas aos animais de rua na cidade. O caso é que a quantidade de ração doada, não dura uma semana, dependendo do canil ou gatil, mesmo assim os ares de agradecimentos foram positivos. Mas alguém enviou uma reclamação para o Corvo: "prezado, essa ração que foi doada, os meus cachorros não comem. Precisava ser algo melhor, com mais proteínas. Infelizmente terei que continuar comprando". Sensibilizado, o Covo vai fazer uma campanha para arrecadar filé e alcatra para a dita cuja. Ultimamente, lá em casa, os cachorros comem a carne e o Corvo rói os ossos!

Gente nas ruas
Prezado Corvo, você escreveu e eu fiquei pensando, porque ao dar uma saída até a farmácia (o farmacêutico leva o remédio até o carro), me deparei com as ruas infestadas de gente, inclusive botecos abertos, como nada houvesse. A ficha desse povo ainda não caiu. Pior, eu entrei na padaria usando máscara e luvas, uns caras que estavam lá, deram uma olhada e depois se desmancharam em gargalhadas. Um deles disse: "tá com medo hein parceiro? Tira isso aí que você está ridículo, além do mais, não vai dar em nada". Corvo, tenho 74 anos, faço um tratamento e tenho plena certeza, que se precisar ser entubado por causa do coronavírus, numa mais vou voltar para casa; vou de pés juntos para o cemitério do Jardim São Paulo. Fico pensando as pessoas preocupadas como eu, que se intimidam com esses otários. 
Joaquim R. F. Ramires

Passeios
Assisti na Tv que muitas cidades à beira mar passaram arames nas praias e agora, a polícia está até multando quem insiste em caminhar pela orla. Mas aqui em Foz, os "buchódromos" estão mais cheios do que nunca, com o povo andando em bandos, rindo, esbanjando saúde. Será que é essa gente que vai acabar nos ambulatórios, UPAS, roubando o lugar dos doentes necessitados nos hospitais? Até porque não haverá lugar para tanta gente. E essas academias do tipo cross fit, com os caras levantando pneus? Elas não deveriam estar fechadas? Como você diz, isso é uma barbaridade! Cadê a lei! 

O Corvo responde: prezados, é bom saber que estão firmes e conscientes. A situação é de fato muito preocupante. Agora, está na hora das autoridades fazerem valer as Leis e os decretos que baixaram, penalizando estabelecimentos que descumprem as regras e pessoas que colocam a sociedade em risco. 

Falta tudo
Prezado Corvo, faz semanas que procuro e não consigo comprar nem máscaras e luvas. E não entendo, uns dizem que é pra usar e outros não. Ou será que estão espalhando isso, para sobrar material para os hospitais? E que situação hein Corvo, um pais como o Brasil, com uma indústria tão criativa e precisa comprar respiradores da China? Puxa vida, sou capaz de fazer um equipamento desses na minha oficina, na garagem de casa. E nas farmácias vendem isso a preços bem baratos. O que e diz Corvo?
Geraldo M. B. Gisustri

O Corvo responde: meu caro, as farmácias vendem nebulizadores, e eles não são respiradores hospitalares. Se possui a capacidade de fazer um equipamento assim em sua garagem, é melhor consultar antes do que em realidade se trata. Há várias empresas brasileiras que estão estudando a fabricação em larga escala de respiradores. Já as máscaras e luvas, há várias recomendações, e estão em falta, porque houve uma corrida nos postos de venda e hoje médicos, atendentes e enfermeiros não dispõem de proteção. É um caso sério.  

Juízes
Prezado colunista, estamos vendo o trabalho dos médicos. Essa gente está mostrando o seu valor. Mas devemos também reconhecer o trabalho dos promotores, juízes e desembargadores, porque estão trabalhando com muita rapidez. Ontem entrei no site da AMAPAR, que tem acesso também no Gdia e li a quantidade de decisões em prol da sociedade. Dá gosto ver quando as instituições estão sintonizadas e provem resultados. 
Marcos Gustavo A. Gutierrez

O Corvo responde: O Judiciário paranaense e o MP estão revertendo somas consideráveis em favor do combate ao covid-19 e o trabalho ágil, mesmo que por teleserviços, ajuda e muito no cumprimento das regras de segurança para conter a pandemia. O Gdia disponibilizou o acesso ao portal da Associação dos Magistrados do Paraná, entendendo que ele é de grande interesse púbico.   

Calendário
Apenas para lembrar, o Gdia não circula nem neste sábado e nem na segunda-feira. Isso faz parte das medidas de quarentena e proteção dos colaboradores, a começar por distribuidores e gráficos. Desta forma eles, se deslocam dois dias a menos. Mas em breve, retomaremos a circulação normal