Não Informado - 44244
Não Informado - 44244

  Iguazú Este Corvo está pesquisando, mas até alguns anos atrás toda a cidade de Puerto Iguazú, na Argentina, fazia parte do Parque Nacional, ou seja, as regras eram bem parelhas e sempre foram muito duras nos casos ambientais. Foi a pressão dos argentinos, por exemplo, que fechou o heliporto nas Cataratas do lado brasileiro. No entanto nossos vizinhos mantêm um aeroporto internacional praticamente dentro da área de reserva. Bom, do lado de cá também não é muito diferente. Então é óbvio que temas como glampings gerariam enorme confusão.   Paralisação Ao contrário de Foz, onde o comércio e a construção civil ainda movem a roda, em Puerto Iguazú quem manda é o turismo. É a principal atividade econômica. Diante disso, a população se divide com relação ao uso de áreas para a implantação de novos negócios. E ela embirra mesmo sabendo da possibilidade de geração de postos de trabalho. O argentino encara as mudanças de uma maneira bem diferente dos brasileiros. Os tais "alojamentos privados" e outras inovações, no entendimento de muitos, prejudicarão a economia local. Ontem paralisaram o acesso rodoviário às Cataratas.   No Paraguai Foz, neste momento, é uma ilha cercada de cidades em pé de guerra. Em Ciudaddel Este, estão trocando a Sandra McLeod pelo Kelembu, uma situação inusitada e que causa frisson na população. As redes sociais estão fazendo festa com imagens do vereador — e, aqui entre nós, elas são hilárias. O homem aparece simulando uma luta de boxe, chutando cones de trânsito pelas ruas... Pior, ele usa roupas espalhafatosas e chamativas que nos remetem aos tempos do Paulo Rocha.   Folclore? Pelo visto não é, pois o Kelembu fala com propriedade sobre os disparates que pretende levar adiante. Causou arrepios na sociedade ao anunciar a instalação de prostíbulos como forma de incrementar o turismo. No fim é a Sandra quem está orquestrando essa esculhambação. Situação pior não poderia haver. Pobres de nossos irmãos do outro lado do rio.   ISSQN Ele será fixo e dividido pela escolaridade do trabalhador. Sim, porque um profissional liberal, que empreende um pequeno negócio, é um trabalhador como os demais, com a desvantagem de não ser um assalariado, tampouco contar com os benefícios oferecidos pelas empresas privadas ou setores públicos. Um recém-formado, por exemplo, seja qual for o ramo de atividade, precisa meter a mão na massa, do contrário se machuca com os compromissos. Autônomos com curso superior pagarão um fixo de R$ 2.527 por ano, o que seria um valor aproximado mensal de R$ 210. Mais uma vez, as opiniões se dividem.   Categorias Na realidade há apenas três categorias que contribuirão com o ISSQN: autônomos com nível superior, com nível médio e os que não possuem formação. A primeira parcela, num total de dez, vencerá em março. É o tipo de contribuição obrigatória; quem se enrolar vai parar na dívida ativa.   Reivindicações Os vereadores receberam muitas cobranças da população, mesmo assim concentraram tudo em 176 pedidos de atendimento ao Executivo, em grande parte na área da pavimentação. A população parece incomodar-se muito com o estado das ruas. No grosso das reclamações há um fenômeno, o asfalto ganha da saúde e da educação.   Volta às aulas A criançada foi feliz para as escolas municipais, e essa ansiedade é natural. Qual o leitor que nunca passou pelo mesmo? Coisa boa encontrar novos amiguinhos e professores e começar tudo de novo. O Corvo deu um rasante em algumas escolas e encontrou uma situação favorável, com as salas de aula bem confortáveis. Há unidades em reforma, mas o pessoal estava mandando ver.   Creches O município está edificando uma nova creche na Vila Carimã, precisamente no Jardim Buenos Aires. É um modelo diferenciado que ocupará uma área estratégica para os moradores do bairro, mais os do Novo Horizonte e Jardim Cataratas. A Rua Tigre deverá ligar os bairros e isso facilitará muito o trânsito na BR-469. Quase todos os dias este colunista recebe cartas, e-mails e recados nas redes sociais sobre a famigerada travessia da Rodovia das Cataratas, nas duas saídas da Vila Carimã. O acesso da Rua Tigre vai dar na Morenitas, uma belezura de solução.   Violência De uns tempos para cá, vários casos violentos foram registrados na ocupação do Bubas, na região do Porto Meira. Alguém que mora lá garante que pessoas estranhas se mudaram para o local e estão tentando impor um regime miliciano. Taí um assunto a mais para as autoridades na área de segurança.   Show Rural Corvo, estava regressando para Foz, vindo de Curitiba, não resisti e dei uma olhada no Show Rural. Acontece que isso já é convidativo olhando pelo lado de fora. Fico pensando em como conseguem plantar aquele milho e as flores. Deve ser uma operação e tanto. Será que Foz não poderia fazer um evento assim? O nome já diz tudo, é um show! Kako Valverde   O Corvo responde: prezado, as empresas que ocupam a área do Show Rural começam a trabalhar por lá nos períodos de plantio e dão toda a assistência nos canteiros como prova dos serviços que oferecerão, desde sementes aos equipamentos de colheita. Cascavel é uma cidade que concentra a sede de grandes cooperativas e, por isso, realiza um evento assim todos os anos. Foz pode, sim, realizar eventos próprios, como é o caso do Festival de Turismo. O caso é que, quando a cidade faz algo de bom, isso irrita os invejosos e eles dão um jeito de destruir tudo. Essa predação é um problema da cidade.    Animais de rua Corvo, deixaram uma caixa de gatos na porta da minha casa, só que não tenho condições de cuidar, porque viajo muito e os bichos vão precisar de atenção. Jamais faria isso, largar os animais assim, como fizeram comigo. Tentei a ajuda de várias ONGs, mas ninguém pode me ajudar. Mas esses protetores não existem para isso, para socorrer as pessoas em casos como o meu? Jacira Valente   O Corvo responde: dona Jacira, as ONGs e entidades com esta finalidade existem para ajudar na proteção dos animais. Eles é que devem ser protegidos dos humanos. O abandono de animais é um problema crônico em Foz e, embora o esforço dos protetores, há centenas de casos em que as pessoas se conscientizaram e acabaram cuidando dos bichinhos. O problema é tão sério que Foz está tornando-se uma sociedade de protetores.   Castração A solução para o grande número de animais abandonados nas ruas de Foz, infelizmente, precisa ser radical, e a castração é o caminho mais curto. Castrados, não proliferarão. Com o passar dos anos, a quantidade de animais vai diminuir. Há várias ONGs trabalhando em convênios com profissionais veterinários, com preços dos mais acessíveis para castrar cães e gatos.   Coleta seletiva A Prefeitura de Foz e os agentes ambientais lançaram ontem a terceira etapa do Programa de Gestão Integrada de Resíduos Recicláveis. Foi em Três Lagoas. O que falta agora é a população aprender a separar o lixo e a companhia de coleta fazer o mesmo. De que adianta o morador fazer a separação, com cuidado e noção de proteção ambiental, se na hora da coleta vai tudo empilhado e prensado no mesmo caminhão? Tudo junto e misturado não ajuda na seleção de resíduos, uma maneira mais branda de usar a palavra lixo.   Sujismundo Ele poderá voltar à cena. Contaram para o Corvo que um projeto será apresentado para o presidente Bolsonaro. O personagem dos anos 70 se converteu num dos ícones do período militar. Ele era protagonista de questões comportamentais para a sociedade, a começar pela higiene pessoal. Decerto alguém aparecerá com ideias para reimplantar o Mobral, o Projeto Rondon e as aulas de OSPB.   Será que volta? O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio, apareceu como exonerado no Diário Oficial da União de ontem para tomar posse na Câmara dos Deputados. "O ato de exoneração assinado junto com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, é mera formalidade. Como já confirmaram fontes da Casa Civil, amanhã o ministro retorna ao Ministério do Turismo para dar continuidade ao trabalho", diz uma nota à imprensa. Mas há fontes que garantem que o retorno dele à pasta passará por negociações. Bom, logo mais saberemos.   Aposentadoria Então vamos imaginar: tudo bem que alguns deputados estaduais sonham em um dia ser governador, mas só uma minoria tem chances de chegar lá, logo votar o fim da aposentadoria para ex-governadores não esbarra em nenhuma cristaleira. Oito ex-governadores recebem cerca de R$ 30 mil em aposentadoria: Paulo Pimentel, Emilio Hoffmann Gomes, João Elísio Ferraz de Campos, Mário Pereira, Jaime Lerner, Roberto Requião, Orlando Pessuti e Beto Richa. O pagamento da pensão a Jayme Canet Junior foi interrompido com o seu falecimento. Três viúvas recebem a pensão, mas os valores são menores.   Sem Mourão Os norte-americanos parecem que cansaram do vice-presidente. O Steve Bannon, estrategista do governo Trump, disse que o general "não é útil e é desagradável". A utilidade do chefe dele, o presidente dos EUA, não anda muito em alta, ao contrário, está prestes a arranjar a sua guerrinha de mandato: vai mexer no cacho do Nicolás Maduro.