Não Informado - 38413

Protetor Jorge na guilhotina Protetor Jorge tem os dias contados na Câmara de Vereadores. Depois de diversas manobras jurídicas, o STJ disse que não cabe mais nenhum recurso. E se tentar postergar a decisão, ainda vai receber multa. Quem assumirá sua vaga é o primeiro suplente, Edson Narizão. Pessoal da prefeitura está feliz com a decisão porque Narizão é amigo do prefeito, e Protetor Jorge era "um homem difícil de lidar". Suas decisões dependiam de seu humor. La Potter O jornal da RPC de sábado à noite foi apresentado pela jornalista Raphaella Potter. Sempre linda e bem vestida, Raphaella é uma das mais competentes dos últimos anos. A nossa Reese Witherspoon tem um futuro brilhante. A RPC já revelou muitas feras, como Thais Beleze, Izabele Ferrari, Tiago Eltz e Alex Barbosa. Tiago está hoje em Nova York. Bens de Dario Messer O Paraguai está fazendo dinheiro com os bens de Dario Messer apreendidos nas operações do Ministério Público, que investigou a maior lavanderia de dinheiro da história. Na última tacada entraram para o Tesouro Nacional nada menos que US$ 600 mil, fruto do leilão de 1.600 cabeças de gado. O advogado dele tentou barrar o leilão, mas a Justiça foi implacável. Vergonha nacional O Brasil concentrou 40% dos casos de feminicídio registrados na América Latina em 2017. Isso significa que, a cada dez crimes do tipo cometidos na região, quatro aconteceram no país. Os números são da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), vinculada à ONU. 2.795 mulheres foram assassinadas no ano passado em razão de sua identidade de gênero.   Crime brutal O brasileiro Marcelo Piloto matou uma mulher de 18 anos no último sábado (17) em sua cela especial em Assunção. Eram 13h50 quando os carcereiros ouviram um grito de horror e correram para ver o que estava acontecendo. A jovem Lidia Meza Burgos, que fora fazer uma visita íntima ao narcotraficante, agonizava ao lado do bandido sujo de sangue. Lidia foi assassinada com 18 facadas no pescoço e no peito. Dias atrás o bandido concedeu uma entrevista coletiva e confessou cinicamente ser comerciante de produtos ilícitos. As autoridades paraguaias dizem que ele praticou o assassinato para não ser extraditado ao Brasil. Um dia antes dessa covardia, a Justiça paraguaia havia impedido o casamento de Piloto com sua namorada, Marisa Penna. Mais uma história de horror no país vizinho.