Idgar Dias Júnior
Não Informado - 31888

Olá, caro leitor. Bom dia!   ‘Carpe diem!’ - Hoje, segunda-feira, dia 20 de agosto, é comemorado o ‘Dia dos Maçons’; - A data também é de comemoração do ‘Dia do Vizinho’; - Nesta segunda-feira tem início a ‘Semana Nacional da Educação Infantil’; - Aqui no Paraná é o dia do início da ‘Semana Estadual da Pastoral da Criança Zilda Arns’.   Por que somos dependentes de caminhoneiros? Ferrovias são uma das formas de transporte mais baratas que existem. Ferrovias são bens mais baratas de construir e trens enormes precisam de somente três maquinistas para transportar dezenas de toneladas a mais. As ferrovias começaram privadas no Brasil com concessões de somente 40 anos, depois estendidas a 90. Por isso a melhor de todas foi estatizada no final de sua concessão, em 1948. Em 1948 tínhamos 35.000 quilômetros de estradas, os Estados Unidos têm 300.000 por um território parecido em tamanho. Pior, lá foram criadas para promover o comércio interno, aqui para escoar café para exportação. Tudo é ligado ao mar, e não para os outros estados da União. São Paulo criou 22 ferrovias, todas independentes e sem muitas interligações, um verdadeiro caos. Ferrovias são administrativamente complexas ao extremo. Muito em administração foi desenvolvido nos Estados Unidos por ferrovias: comunicação rápida, teoria dos grafos, contabilidade de custos por processo, logística. Os Presidentes dessas ferrovias eram normalmente engenheiros que continuaram depois da fase de construção da ferrovia, quando os problemas depois eram outros: Marketing, Negociação, Política de Preços, Treinamento. Dei um curso de Política de Preços na USP usando o método de casos, e os casos em ferrovias eram os mais cabeludos. Para piorar, com Getúlio Vargas as ferrovias passaram a ser estratégico para a nação como viria a ser o petróleo. De fato dá para transportar petróleo, mas petróleo sem transporte não vale nada. Criaram as estatais Rede Ferroviária Federal e a FEPASA em São Paulo e ao fim de 50 desistiram nessa experiência de esquerda. Resumo da ópera, hoje há 25.000 km caindo aos pedaços, serviços não confiáveis, e um país dependente de caminhoneiros muitíssimo mais caros. É como se cada vagão de trem tivesse um motorista e um motor. Nada disso apareceu nessa crise de transporte, fruto da nossa esquerda estatizante que há 70 anos atrasa o país. Há um limite à cegueira ideológica possível. Você de esquerda não pode ser tão insensível aos danos causados. Você de esquerda não pode continuar recusando a aceitar que errou, só para não ferir o seu ego e autoestima. Estude um pouco de administração socialmente responsável, saiba desse movimento que tem muito de seus objetivos e sonhos, e mais, capacidade de colocá-los em prática, algo que a esquerda de sociólogos e economistas nunca tem. Da lavra do espetacular administrador Stephen Kanitz.   Verdades eternas ‘Sempre me senti isolado nessas reuniões sociais: o excesso de gente impede de ver as pessoas...’ Mário Quintana   Contato: [email protected] Acesse a Gazeta Diário na internet em www.gdia.com.br Façamos desta segunda um dia de primeira, leitor! Até amanhã, ok? Sorte e saúde sempre!