No Bico do Corvo
1.000 dias

Excelentíssimo Corvo, tenho uma ponderação a fazer. O nosso ilustre prefeito Chico Brasileiro comemora as mil e uma noites de governo — e o asfaltamento, segundo vocês, na edição de ontem, é uma obra de destaque. Eu avalio positivamente a atual administração, mas tenho uma dúvida e, se puder, me responda por favor: será que não seria o ideal pavimentar com asfalto algumas ruas nos bairros e depois a área rural? Veja, moro no Jardim das Bandeiras e só passando pelas ruas de lá para saber da situação. O mesmo acontece no Jardim Tarobá e adjacências. Corvo, em outras palavras, o ideal seria passar asfalto onde moram os contribuintes, não acha? 
José Roberto S Vieira

O Corvo responde: segundo o prefeito, em matéria publicada aqui, ontem, o asfalto é a maior demanda da população. No caso das áreas rurais, a manutenção no asfalto não atende apenas os moradores, e sim quem utiliza as vias, o que não é pouca gente. No mais, o questionamento do leitor é lógico. Há algumas ruas muito difíceis de passar com um automóvel, o que dizer das dificuldades com os serviços, como o recolhimento de lixo, por exemplo. Segundo o Corvo pesquisou, a proposta de asfaltamento da cidade é muito robusta e deverá atender às localidades mencionadas. Se o Chico quiser reeleger-se, terá de trabalhar muito neste ano. 

Pesquisas
Algumas pessoas estão divulgando pesquisas sem o devido registro eleitoral. É um engano acreditar que isso gera dor de cabeça apenas no período de campanha. Para o TSE, o ano eleitoral começou no dia 1º de janeiro, portanto qualquer apanhado referente ao assunto requer o processo de acordo com as leis. A multa é pesada aos que descumprirem as regras. 

Reconstrução
É inegável o empenho da atual administração em arrumar o estrago deixado pelos antecessores. Qualquer prognóstico estava aquém daquilo que o Chico conseguiu fazer. A estimativa era de no mínimo dez anos até a prefeitura recuperar-se da dantesca situação em que foi deixada. Em três anos e alguns dias, as contas foram equilibradas, a cidade adquiriu vida financeira, e muitas obras estão na pauta da realização, fora o que está pronto. Resta saber o seguinte: será que o cidadão reconhecerá? Para muitos, quem se submete a uma eleição deve ter consciência de que enfrentará uma pauleira pela frente, logo não faz mais que a obrigação. O formador de opinião é quem pensa assim, no entanto os moradores dos bairros, que recebem e sentem as melhorias, possuem uma visão diferente. 

Pontos positivos
Deixando de lado a materialidade das obras públicas, ou o que foi realizado, como asfaltamento, creches e outras providências importantes, um dos pontos altos da administração Chico foi o cumprimento da agenda participativa, na série de encontros com lideranças de bairros e os que lotaram os locais onde ocorreram as reuniões. Muita gente fala nisso até hoje. 

Alinhamento
Algo acontece na Câmara de Foz quando o assunto é apoio ao governo. Segundo disseram a este colunista, Chico poderá contar com uma maioria expressiva. Mas o Corvo andou ligando para algumas pessoas e não sentiu essa facilidade toda. As conversas aconteceram ao longo do final de semana. Alguns vereadores estão fechados com a administração, mas, segundo consta, Chico está trazendo oposicionistas para o seu lado. Quem será? 

Facão
O ano começou, estamos para colocar o pé em fevereiro, e o prefeito deve anunciar as mudanças em seu primeiro escalão. Quem sai e quem entra? Taí uma boa pergunta. Pelo visto, as alterações não serão tão abrangentes nem marcantes. 

Na praça
Os eventos realizados na Praça da Paz são laureados pela participação popular. O cidadão já aprendeu o caminho toda vez que anunciam alguma apresentação no local. Não foi diferente com o Ano Novo Chinês, independentemente das notícias do vírus made in China. Ainda bem. Os artistas que se apresentaram na cidade são da província de Henan, vizinha de Hubei, região hoje isolada, cuja capital, Wuhan, é a sétima maior cidade da China e a número 42 do mundo. 

Intolerância
Há muitos alertas mundiais quanto ao coronavírus, que já infectou cerca de mil pessoas; e 10% morreram. As autoridades sanitárias brasileiras não identificaram a presença do vírus, mas devem intensificar o controle em portos e aeroportos. Resta saber que o Brasil possui equipamentos que medem a temperatura corporal a distância. Não vai dar para colocar um termômetro no sovaco de cada pessoa que veio da China. Para variar há quem cometa exageros, do tipo ver um chinês, cobrir a cara e atravessar a rua. Calma, nem é preciso tanto. Usar máscara cirúrgica já ajuda bastante. 

Blitz 
Quem não quer correr o risco de ver o veículo subir num guincho e não se complicar com a Justiça que beba água ou refrigerante, ou saia de casa por meio de um táxi ou carro de aplicativo. Segundo uma informação segura, a fiscalização será intensificada em fevereiro, época em que muita gente antecipa o carnaval e enche a cara o tempo todo. No final de semana, 16 motoristas foram flagrados e dez veículos estão morando no pátio, isso em operações da PRF. Já no trecho de Três Lagoas, o número de apreensões foi bem maior. 

Fronteira Tech
O Corvo deu uma boa pesquisada no investimento recém-implantado para o controle na Ponte da Amizade. Funciona muito bem, e o reconhecimento facial é coisa de filmes de ficção. A leitura é muito rápida e, entre a câmera e o posto de controle, há tempo suficiente para agarrar o suspeito.

Temor
O Corvo recebe imagens e informações sobre elementos "suspeitos" que estariam rondando residências em vários bairros. O ideal é enviarem o material para a polícia, porque não dá para publicar as fotos sem mais nem menos. Vai que é um trabalhador em busca de emprego? Mas a boa notícia é saber que muita gente tratou de monitorar as ruas e residências. Além do mais, os moradores estão organizando-se em "grupos de vizinhos", uma medida muito eficaz. 

Mercado Municipal
Técnicos de Itaipu estudam a modalidade ideal para licitar os boxes do mercado, que deve ser entregue em breve. Tomara que isso cause uma variedade de opções aos frequentadores, do contrário, caso os espaços sejam entregues para entidades, só encontraremos salame, queijo, tapioca, franco caipira, mandioca e pastel. Itaipu deve ter liberdade para desenvolver e cumprir um projeto aos moldes culturais e gastronômicos como espera a cidade. Contaram para o Corvo que associações estariam organizando um documento reivindicando os boxes. 

Diferencial 
Certamente, em Foz, um mercado não será como em Curitiba e São Paulo, mas teremos um espaço com a influência regional e, por que não, variedade? Bom, o pessoal sabe o que faz na binacional. Já devem possuir uma pesquisa para o funcionamento do local.        

Pegação de pé
O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, deslocando-se entre as cidades afetadas pelas chuvas e vestindo um colete da Defesa Civil, resolveu ligar para o presidente em exercício, general Mourão, pedindo ajuda para o seu estado. Foi uma conversa rápida e gravada por alguém que estava no veículo. Claro, as imagens e a conversa foram parar nas redes sociais, o suficiente para virar assunto nacional. E qual o problema se foi uma conversa entre homens públicos? Pode ser que o enrosco tenha sido o fato de o motorista do veículo gravar, ou seja, cometer uma falha na condução, quando o recomendado é manter as mãos no volante e não fazer uso do celular. No mais, não há nada de errado. Witzel não invadiu a privacidade de Mourão, pelo contrário, mostrou que foi muito bem atendido.  

Reformas
O presidente Bolsonaro, direto da Índia, sabe que as novas reformas enfrentarão embates duríssimos do Congresso, uma vez que no âmbito tributário é difícil alguém ceder, sobretudo quem leva vantagem. O mesmo acontecerá na área administrativa. Se o Brasil precisa mudar, o sofrimento, infelizmente, faz parte, porque para melhorar é necessário sangrar.   

Nome de craque
Corvo, me explica, o Foz Cataratas Futsal contratou o Daniel Alves? Isso é verdade? Nossa, que luxo, hein? O assunto rapidamente se espalhou pela cidade e ontem, ao ler o seu jornal, vi que a foto dele está um pouco diferente do que normalmente vemos pela TV. Conta aí, Corvo!
KLH (O leitor pediu para não ter o nome divulgado.)

O Corvo responde: naturalmente o leitor está aprontando uma travessura, porque sabe que o Daniel Alves contratado pelo Foz Futsal não é o mesmo dos gramados (Seleção Brasileira e São Paulo FC). O nome é igual e o potencial no trato da pelota também, porque são esportes distintos. O recém-contratado pelo Azulão come a bola, e isso vai nos causar muita alegria! Seja bem-vindo, Daniel Alves do futsal! 

Aquele abraço!
O abraço desta terça-feira vai ao amigo de longa data Clóvis Mazzutti, o homem que sabe dar um tapa na cabeleira da freguesia, além de mestre na barba e bigode. Clóvis é o "cara" nas imediações da Vila A, com grande clientela fixa, porque a pessoa muda de marca de carro, de padaria, restaurante, posto de gasolina, farmácia..., mas nunca troca de barbeiro! Abraço, Clóvis!