Vermelho pede reabertura da Ponte da Amizade para reativar a economia


- Por: Redação 1

Vermelho pede reabertura da Ponte da Amizade para reativar a economia
Vermelho falou na tribuna pela liderança do PSD, partido que tem muita influência em Brasília.

Ao usar a tribuna da Câmara na tarde desta quinta-feira (6) pela liderança do PSD, o deputado federal Vermelho pediu a reabertura da Ponte da Amizade, para reativar a economia na região da Tríplice Fronteira em Foz do Iguaçu.

A ponte que liga Foz do Iguaçu a Ciudad del Este foi fechada em 17 de março de 2020 em função da pandemia do novo coronavírus. “Na época, nós concordamos com o fechamento para organizar o setor de saúde no início da pandemia da covid-19”, disse o deputado. “Já se passaram mais de quatro meses e hoje Brasil e Paraguai estão preparados para reabrir a fronteira”, acrescentou.

Vermelho traçou o panorama sombrio que se abateu sobre a região trinacional com o fechamento prolongado da ponte. Um estudo da Associação Comercial e do Sindhotéis revela que mais de 6 mil trabalhadores com carteira assinada perderam o emprego e que 18 mil trabalhadores tiveram a redução de salário e jornada de trabalho.

Informalidade
O deputado mostrou sua preocupação com os trabalhadores informais. “Além dos trabalhadores formais que ficaram sem serviço, nós temos um grande número de homens e mulheres que vivem da informalidade e dependem dessa ponte para ganhar o pão de cada dia”, frisou o deputado.

”Estima-se que em Foz do Iguaçu mais de 30 mil pessoas estão sem trabalho para manter o sustento da família. Apelamos ao presidente Bolsonaro e ao ministro Ernesto Araújo para que intercedam junto ao presidente Paraguaio e reabram essa ponte o mais rápido possível porque a situação tende a piorar a cada dia que passa”, pontuou Vermelho.

Entre os trabalhadores que vivem na informalidade em função da ponte e do turismo, o deputado cita motoristas de vans, taxistas, mototaxistas, ambulantes, autônomos, guias de turismo e até profissionais liberais. “É um exército de gente humilde que precisa sobreviver e viu, da noite para o dia, sua fonte de renda desaparecer”.

O levantamento elaborado pela Acifi mostra que somente em Foz 23.761 vagas foram impactadas diretamente pela crise econômica, o que equivale a 39,6% da capacidade de empregabilidade do município. Quatro de cada dez vagas formais foram atingidas de alguma forma. Também foi registrado o aumento de 28% no número de encerramento de empresas entre os meses de janeiro a maio de 2020.

Paraguai
A situação no Paraguai é ainda mais grave porque o número de trabalhadores informais é ainda mais alto. Já ocorreram vários protestos nas ruas, com forte repressão, incêndios e muitas pessoas feridas. Já ocorreram até saques em algumas lojas.
“Brasil e Paraguai precisam encontrar uma solução urgente e reabrir a Ponte da Amizade de uma forma segura para restabelecer a economia e evitar o caos”, disse Vermelho. “Esse ir e vir precisa ser restabelecido para garantir o sustento de milhares de irmãos brasileiros e paraguaios da fronteira precisam sobreviver e saberão manter os cuidados para evitar o contágio deste vírus”, finalizou o deputado.


Adelino de Souza

 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas