Vermelho condena proposta da Aneel em taxar energia solar


- Por: Redação 1

Vermelho condena proposta da Aneel em taxar energia solar

A proposta do Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em taxar a energia solar produzida no país foi duramente rechaçada pelo deputado federal Vermelho. O projeto deve ser analisado pelos deputados e senadores no retorno do recesso parlamentar.
A proposta da Aneel é mudar a normativa 482, de 2012 que prevê incentivos às empresas, produtores rurais e pessoas físicas que gerem sua própria energia. Esses benefícios seriam válidos por 25 anos, mas agora a Aneel quer mudar as regras do jogo.
O deputado lembra que a normativa atual estabelece que o consumidor, empresário ou produtor rural pode consumir ou injetar na rede de distribuição a energia elétrica produzida por ele. Essa diferença entre o que é consumido e produzido a mais pode se transformar em crédito para abatimento na conta de luz.
“Na tentativa de reduzir os custos da energia, os brasileiros começaram a investir em placas solares e equipamentos para produzir energia para seu consumo próprio e movimentar seus negócios. Agora vemos que a Aneel pretende cortar esses benefícios gradativamente. Isso é um absurdo que nós devemos evitar a qualquer custo na Câmara dos Deputados”, frisou Vermelho.
O deputado tem suas bases no Oeste e Sudoeste do Paraná, regiões agrícolas que consomem muita energia. “Andei pelos municípios e vi o clamor dos produtores, suinocultores, avicultores, piscicultores, enfim, todo o agronegócio que investiu e continua investindo, mostrando sua preocupação com essa proposta da Aneel”, disse Vermelho.
“Os produtores precisam reduzir seus custos e encontraram uma maneira, produzindo sua própria energia. Não podemos compactuar com essa proposta e vamos brigar contra essa fome arrecadadora da agência de energia”, acrescentou o deputado.
“O agronegócio não aguenta mais essa carga tributária, que já é pesada demais. Daqui a pouco vão querer taxar o vento e até o ar que respiramos”, finalizou o deputado, que irá conversar com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia e demais parlamentares para barrar essa proposta.
Vermelho sabe eu o assunto é muito sério. Empresas ligadas ao setor de energia solar avaliam que haverá um desincentivo à instalação de painéis e que isso inibirá o crescimento de uma fonte de energia limpa em um momento de retomada da atividade econômica, com impacto não só sobre o setor como no meio ambiente.

Adelino de Souza / Freelancer / Foto: Divulgação

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas