Vereadores votam abono da Educação e o novo piso aos professores de Foz


- Por: Redação 2

Vereadores votam abono da Educação e o novo piso aos professores de Foz
Câmara Municipal deve aprovar ainda nesta semana o reajuste de 8,35% aos 6,5 mil servidores públicos de Foz do Iguaçu

A Câmara de Vereadores de Foz do Iguaçu começa um debatedor nesta segunda-feira (17) uma série de quatro projetos de valorização do funcionalismo público municipal. Entre eles, estão o reajuste de 8,35% aos 6,5 mil servidores urbanos, o abono de R$ 1.810,30 aos 2.617 servidores da educação, o novo piso salarial do magistério e o pagamento de duas referências (reajuste de 6% que será incorporado ao salário da categoria) na educação. O impacto no orçamento deve atingir R$ 20 milhões.
Nesta segunda-feira, a primeira matéria que será votada pelos vereadores será o aumento nos segundos servidores urbanos. A proposta tramita na Câmara Municipal desde dezembro. Em regime de urgência, está o pagamento do bônus aos servidores da educação. Na sequência, a definição do novo piso do magistério e valor das referências - o que deve ocorrer em fevereiro.
"Garantimos o abono aos servidores da educação, não temos uma previsão só de aumento para este ano de receita da educação. Queremos pagar o abono, o novo piso dos professores e o aumento a todos os servidores municipais ainda neste mês de janeiro", disse o prefeito Chico Brasileiro (PSD).
 
Análise do salário da Educação terá prioridade , afirma Ney Patrício

O projeto, que concede abono salarial aos 2.617 profissionais da rede municipal de educação, terá prioridade na Câmara Municipal de Foz do Iguaçu.  A proposta enviada pelo Executivo será analisada em tempo célere garantiu o presidente do Legislativo, Ney Patrício (PSD). A afirmação foi feita em reunião, realizada na tarde desta sexta-feira, 14/01, com representantes do Sinprefi (Sindicato dos Professores e Profissionais da Rede Pública Municipal). 
Também participaram do encontro as vereadoras Anice Gazzaoui (PL), presidente da Comissão de Legislação, Justiça e Redação e Yasmin Hachem (MDB), vice-presidente da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Saúde, além dos vereadores João Morales (DEM) e Adnan El Sayed (PSD).

“Todos os vereadores e servidores desta Casa de Leis estão comprometidos em analisar e votar a proposta em tempo recorde. Neste período até a sessão extraordinária, que deve ocorrer nos próximos dias, manteremos amplo diálogo com o Sinprefi para dirimir eventuais dúvidas”, explicou Ney Patrício.

Novo piso
Outro projeto importante a ser debatido pelos vereadores a ser debatido nos próximos e o no piso dos professores. Hoje, o piso inicial está na casa de R$ 1,5 mil para 20 horas e será reajustado para R$ 2 mil. Aos professores que trabalham 40 horas, o piso vai subir para R$ 4 mil. 
Entre o reajuste dos servidores, abono da educação e o novo piso dos professores, a prefeitura espera um impacto de R$ 11,3 milhões no orçamento. O pagamento de duas referências (reajuste de 6% ao salário da categoria) deverá ser feito a partir do mês de março. As referências representam R$ 8,3 milhões ao ano no orçamento. 
"Isso está sendo possível porque temos um conjunto de previsão ou amentária 2022 e estamos trabalhando com muita responsabilidade, então não foi atendido tudo o que foi solicitado, mas uma grande parte foi atendida dentro da responsabilidade fiscal e dentro do justo que o município deve manter", disse atrás o prefeito,
Com os novos reajustes, os professores municipais de Foz do Iguaçu passam a ter o terceiro piso maior para 40 horas entre as 399 cidades do Paraná - fica apenas de Araucária (R$ 4.830,62) e São José dos Pinhais (R$ 4.470, 94) - e o quarto maior no padrão de 20 horas. Na frente estão Araucária (R$ 2.415,31), São José dos Pinhais (R$ 2.235,47) e Pinhais (R$ 2.179,47).
 

Da redação

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas