Vereadores requerem ao prefeito que adote protocolo preventivo da Covid-19


- Por: Redação 1

Vereadores requerem ao prefeito que adote protocolo preventivo da Covid-19
Vereadores querem buscar soluções que possam evitar mortes ou a progressão da doença e poupar os internamentos que duram em média 15 dias na UTI

Um requerimento, de iniciativa de Luiz Queiroga (PTB) e assinado por todos os vereadores, aprovado na sessão desta terça-feira (7), pede informações ao prefeito Chico Brasileiro (PSD), e defende adoção de protocolos para tratamento precoce da Covid-19 com uso de cloroquina e hidroxicloroquina, bem como a profilaxia (procedimento medicamentoso preventivo) de quem teve contato com a pessoa positivada. Segundo o vereador, a proposição tem por objetivo reduzir os efeitos da pandemia utilizando protocolos aplicados com excelentes resultados em vários municípios do país e no exterior.

A iniciativa leva em conta manifestações oficiais do governo federal. “Considerando que o Ministério da Saúde divulgou no dia 20 de maio de 2020 diretrizes para ampliar o acesso de pacientes com COVID-19 ao tratamento medicamentoso precoce, ou seja, nos primeiros dias de sintomas, o médico poderá prescrever a cloroquina ou hidroxicloroquina, combinados com a azitromicina, para pacientes que apresentarem qualquer um dos sintomas”, consta na justificativa do requerimento. 

Queiroga citou ainda a Ivermectina como opção de profilaxia revelando que a esposa e o filho testaram positivo para o vírus e que fez uso do medicamento, este, segundo ele, sem contraindicação. “Tem medicação que depende de prescrição médica e o Ivermectina não tem contraindicação. Não tive nenhum sintoma e em casa quem testou positivo cumpriu a quarentena”, afirmou.

O vereador reforçou: “Considerando a atual situação, onde o problema não é apenas de falta de leitos mas, sobretudo, de equipes especializadas para trabalhar nestes leitos, é imprescindível buscar soluções que possam evitar a progressão da doença, poupar os internamentos (que duram em média 15 dias na UTI), diminuir o risco de colapso no do sistema de saúde e principalmente, impedir a crescente perda de vidas em nosso município”.

A vereadora Nanci Rafagnin Andreola (DEM) adiantou que vai reforçar o apelo ao prefeito para adotar o procedimento e revelou que ela mesma e família tomaram a iniciativa pela profilaxia. Já o vereador Marcio Rosa (PSD) alertou para o risco da automedicação. “Tudo tem protocolo e precisa o médico prescrever de acordo com cada paciente. Não queremos, de forma alguma, estimular qualquer forma de automedicação”, ponderou Marcio. Os vereadores Rudinei de Moura (Patriota), Inês Weizemann (PL) e Celino Fertrin (Podemos) também comentaram que fizeram uso preventivo.

 Da redação com CMFI

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas