Vendas do Dia das Mães devem injetar R$ 820 milhões na economia paranaense


- Por: Redação 1

Vendas do Dia das Mães devem injetar R$ 820 milhões na economia paranaense
Procura por roupas e calçados deve aumentar no final de semana em Foz

O Dia das Mães, celebrado em 9 de maio, deve injetar R$ 820 milhões na economia do Estado. A estimativa tem como base uma sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Paraná (Fecomércio PR). O levantamento aponta ainda que 80,2% dos paranaenses pretendem presentear as mães. 
“A intenção de compras para a data é 18% maior do que em 2020, quando 68,0% dos consumidores planejavam comprar presentes para as mães. Essa elevação considerável pode ser justificada pela tentativa dos filhos em compensar o distanciamento social imposto pela pandemia, presenteando as mães, e também porque em 2020 muitas pessoas deixaram de presentear por problemas financeiros ou por estarem desempregadas”, destacou a Fecomércio. 

As lembranças preferidas para este ano são as roupas, bolsas e calçados. Estes itens devem ser a escolha de pelo menos 37,1% dos filhos. Na sequência aparecem os perfumes, cosméticos e comidas (20,5%). Diferente de anos anteriores, os eletrônicos devem ficar entre a minoria dos produtos escolhidos, figurando em apenas 1,7% dos selecionados para a data. 
No setor de comidas, ganharam bastante espaço as cestas de café da manhã. O presente é bastante simbólico e pode ser montado com diversos itens de acordo com a preferência de cada mãe. As entregas podem ser encomendadas por delivery, o que facilita muito a vida dos filhos que ainda precisam manter o distanciamento social por conta da pandemia. 
As lojas já estão preparadas e apostam em descontos e até brindes para chamar os clientes. Em Foz do Iguaçu as vitrines estão decoradas e os vendedores seguem todos os protocolos sanitários para garantir a tranquilidade na hora das compras. O maior movimento deve ser registrado entre quinta e sexta-feira (6 e 7). 

Valor do presente
A maior parte dos presentes, 51,1%, deve ser de até R$100. O tíquete médio aumentou em relação ao ano passado, subindo de R$ 105,15 para R$ 116,03, o que pode ser explicado que para compensar a distância, os filhos estão presenteando mais e com presentes melhores.

Lojas de rua são a preferência da maioria 
As lojas de rua continuam sendo a preferência da maioria das pessoas. Muito preferem escolher os presentes pessoalmente, em especial quando se trata de roupas e calçados. Por conta da pandemia, a internet ganhou mais espaço e aparece em segundo lugar na escolha dos consumidores para fazer as compras. Os shoppings estão na terceira posição. 

Da redação 
Foto: arquivo GDia

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas