Unidades de saúde de Foz terão como prioridade atendimento de sintomáticos respiratórios


- Por: Redação 007

Unidades de saúde de Foz terão como prioridade atendimento de sintomáticos respiratórios

As unidades básicas de Saúde de Foz do Iguaçu, a partir de segunda-feira (17), terão como prioridade a atenção aos casos de pacientes sintomáticos respiratórios, devido à crescente demanda registrada desde o início do ano. Apenas 10 unidades, duas em cada um dos cinco distritos da cidade, seguem com os atendimentos essenciais.

Das 30 unidades de saúde do Município, incluindo a Unidade Padre Ítalo 24h, somente 10 ficarão voltadas aos atendimentos essenciais da saúde, que são pediatria, ginecologia e obstetrícia, pré-natal e puericultura. São elas: AKLP e Vila C Nova (Distrito Norte), São João e Sol de Maio (Nordeste), Vila Yolanda e Maracanã (Oeste), Portal da Foz e Campos do Iguaçu (Leste), Profilurb II e Padre Monti (Sul).

“Estamos mais uma vez reorganizando nossa rede de atendimentos e, neste momento, é fundamental que as unidades básicas de saúde deem suporte a essa situação extraordinária que estamos vivendo. O objetivo é evitar a demora no atendimento e aglomeração nas UPAs e UBS”, afirma a secretária municipal de Saúde, Rosa Maria Jerônymo.  

Preocupação

A decisão pela nova reorganização dos atendimentos de sintomáticos respiratórios foi referendada pelo Comitê de Enfrentamento à Covid-19 em reunião extraordinária na tarde desta sexta-feira (14).

A medida leva em conta a sobrecarga nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA), nas UBS e no Plantão Covid devido ao “boom” de casos pós festividades e viagens de final de ano. Em duas semanas, foram mais de 4.100 novos casos de covid em Foz. A média móvel de casos desta sexta-feira (14) em relação ao dia 30 de dezembro aumentou quase 3.000 %, de 17,57 para 542,12.

Outra preocupação da Vigilância Epidemiológica é em relação à alta taxa de transmissão, que está em 3,85 - o ideal é que esse índice esteja abaixo de 1 para a situação da pandemia ser considerada controlada.

“A vacinação possibilitou que esse aumento de casos não se  refletisse tanto nas internações e nos óbitos pela doença. Mas a situação é muito preocupante, porque mesmo as pessoas vacinadas podem se contaminar. Então, mais uma vez, apelamos a todos que cooperem mantendo as medidas básicas de uso de máscara, distanciamento social e higienização frequente das mãos”, destaca o prefeito Chico Brasileiro.

AMN

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas