Turismo com pets vira tendência no Brasil e gera adaptação do mercado


- Por: Reciel Rocha

Turismo com pets vira tendência no Brasil e gera adaptação do mercado
Eva sempre viaja com a família e não desgruda da Júlia, da Alice e do papai Luis Oscar

Só quem tem bichinhos de estimação em casa sabe a alegria que eles trazem: eles são companhia, família, dão amor, brincam com as crianças. Por isso, como deixá-los para trás quando chega a hora de fazer turismo? Uma pesquisa realizada pelo Booking.com revelou que 51% dos entrevistados donos de pets só irão viajar em 2020 se puderem levar seus pequenos companheiros.

Fazer turismo com animais de estimação virou uma tendência no Brasil. Para revelar um pouco mais desse segmento turístico, a Agência de Notícias do Turismo preparou uma reportagem especial para mostrar como está o mercado de viagens para quem tem pets, com dicas de hospedagem, deslocamentos e a opinião de uma especialista.
O turismo é apenas uma parte desse mercado, que cresce ano a ano. Dados do Instituto Pet Brasil (IPB) mostram que o segmento nacional fechou 2019 com projeção de um faturamento de mais de R$ 36 bilhões. Os números, que ainda não estão fechados, representam um crescimento de 5,4% sobre o resultado consolidado de 2018 (R$ 34,4 milhões). A projeção para 2020 é ainda mais otimista: R$ 40 bilhões. De acordo com dados do IBGE, em 2013 existiam mais de 132 milhões de animais de estimação no país. Já um estudo mais recente, do Instituto Pet Brasil, estimou a presença de 139,3 milhões de pets no país em 2018.


A veterinária Juliana Stephani, fundadora da PETFriendly Turismo, agência de turismo especializada em viagens com animais de estimação, afirma que é cada vez mais comum os tutores fazerem turismo acompanhados de seus pets. E a busca aumenta tanto para viagens nacionais como internacionais. “Os tutores que reconhecem a relação do pet como um membro da família, e na maioria das vezes como filhos, optam por viajarem com seus pets ou não viajarem”, aponta.
Juliana, que fundou a agência em 2018, explica que hoje as hospedagens já estão entendendo essa nova realidade e muitas se adaptam para ter um serviço realmente especial a esses novos hóspedes. 

Por Rafael Brais/MTur
Foto: arquivo pessoal

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas