Trânsito de Foz já deixou 10 mortos e mais de 50 feridos graves neste ano


- Por: Redação 1

Trânsito de Foz já deixou 10 mortos e mais de 50 feridos graves neste ano
Em quase  seis meses as equipes do Corpo de Bombeiros atenderam 1.062 acidentes

Foz do Iguaçu já registrou neste ano um total de 10 mortes por acidentes de trânsito e 58 feridos graves (com fraturas, traumatismos e necessidade de internamento). Dados do Corpo de Bombeiros, que é responsável pela maioria dos atendimentos neste tipo de ocorrência, mostram que todas as vítimas fatais estiveram envolvidas em colisões. 
Em quase seis meses as equipes atenderam 1.062 acidentes. Destes, 653 correspondem a batidas do tipo auto x auto e auto x moto. As quedas de veículo, especialmente motocicletas, ocupam o segundo lugar no ranking de ocorrências, com 267 situações registradas até o momento. 
Os atropelamentos também merecem destaque. Isso porque o número desse tipo de acidente cresceu neste ano, com 74 casos. No mesmo período do ano passado foram contabilizadas 56 situações, 18 a menos que no presente. Os choques contra anteparo (árvores, postes, muros e outros) e os capotamentos também aparecem na lista, com 48 e 14 ocorrências respectivamente. Sete pessoas morreram entre janeiro e junho de 2021.
As vias de grande movimento, como as Avenidas Paraná, República Argentina, Juscelino Kubitschek e Rodovia das Cataratas são alguns dos locais que exigem grande atenção. Um levantamento feito pelas equipes de segurança mostra que estes são alguns dos locais com o maior número de acidentes graves em Foz, especialmente nos cruzamentos e em horários de pico. 
Para evitar fatalidades é importante respeitar as normas de trânsito. Flagrantes de uso de celular durante a direção e uso de álcool são comuns na cidade. Este tipo de conduta expõe a um grande risco a vida do condutor, pedestres e demais usuários das vias públicas.
Além do risco de grandes fatalidades, dirigir manuseando ou segurando o celular, por exemplo, é considerado uma infração gravíssima, com sete pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH ) e multa de R$ 293,47. Em Foz, apenas neste ano, foram registradas 87 ocorrências como essa, com média de uma a cada dois dias.
Para se ter uma ideia do perigo, segundo a Associação Brasileira de Medicina do Tráfego (Abramet), digitar uma mensagem de texto enquanto conduz um veículo a 80km/h equivale a dirigir com os olhos vendados por um percurso de até cem metros.
“Falar ao celular enquanto dirige diminui a concentração visual e auditiva e aumenta o risco de acidentes. O condutor que promove a segurança no trânsito precisa estar atento e concentrado na direção, orientação que também serve para os pedestres”, lembra o Corpo de Bombeiros. 
O excesso de velocidade, a falta de equipamentos de proteção como o cinto de segurança e capacetes com eficiência testada pelo Inmetro também se destacam no atendimento de acidentes graves. Para as forças de segurança ainda falta conscientização dos motoristas quanto à importância desses itens.

Perfil das vítimas
As principais vítimas de acidentes fatais são jovens do sexo masculino na faixa de etária dos 20 aos 25 anos. Em grande parte dos casos, os envolvidos estavam conduzindo motos em vias de grande movimento e em horários de pico. Do total de feridos atendidos este ano, 845 são homens. 

 

Bombeiros concluem Curso Especial para Tripulação de Embarcações
Bombeiros do 9° Grupamento em Foz e de outras localidades do Paraná participaram de um curso especial para tripulação de embarcações. A formação foi ministrada pela Marinha, através da Capitania Fluvial do Rio Paraná, e abordou aspectos fundamentais e técnicos para conduzir e tripular embarcações para as atividades de salvamentos, resgates, e transportes aquáticos.
Além das aulas teóricas, os habilitados tiveram um dia intenso de atividades práticas no Lago de Itaipu, com lancha flexboat e moto aquática (jet-ski). Também foram inseridas ações de salvamentos com “SLED”, uma prancha acoplada à moto aquática, desenvolvida para resgate de vítimas em meio líquido.
“Para o 9° GB que abrange 11 municípios da região oeste do Paraná, banhados pelo Rio Paraná, Iguaçu e Lago de Itaipu, a habilitação é extremamente necessária para o exercício do serviço, em ocorrências de busca de pessoas e objetos, além da atuação periódica preventiva durante a Operação Verão nas praias artificiais do Lago de Itaipu”, destacou a corporação.
 

Da redação 
Foto: 9° GB

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas