Teto da aposentadoria do INSS sobe para R$ 7.087


- Por: Redação 2

Teto da aposentadoria do INSS sobe para R$ 7.087



Os aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) que recebem mais de um salário mínimo aumentarão de 10,16% em 2022. O reajuste de dezembro segue a variação do Índice Nacional de Preços (INPC) 2021, divulgado ontem (11) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
Com o reajuste, o teto do INSS sobe de R$ 6.443,57 para R$ 7.087,22. Aumento de 10,16% vale para os demais benefícios da Previdência Social acima dos benefícios do salário mínimo, como o auxílio-doença, e valerá a partir de 1º de fevereiro, quando será pago a folha de janeiro.
A também incidiu sobre as contribuições recolhidas à Previdência Social, como descontadas automaticamente dos trabalhadores com a carteira assinada como que são pagas por seus membros. No caso dos microempreendedores individuais (MEI), que têm uma contribuição mensal subiu para R$ 60,60, acrescida de R$ 1 para quem trabalha com comércio e indústria e de R$ 5 para quem atua no setor de serviços.
Salário mínimo
quanto aos beneficiários do INSS que recebeu um salário mínimo, a correção mínima de 10,18%, um pouco acima do INPC de 2021. O índice foi definido no fim do ano, quando o presidente Jair Bolsonaro editou a medida que fixou em R$ 1.212 o salário mínimo para 2022.
Proporcionalidade
O reajuste de recebimento10,16% vale apenas para quem estava recebendo os pagamentos em 1º de janeiro do ano passado. Os seguros que receberam em fevereiro um benefício do INSS em percentual menor de reajuste não receberam 12 meses cheios de pagamentos.
Os percentuais de reajuste serão regulamentados nos próximos dias pelo Ministério do Trabalho e Previdência e pelo INSS.

Outros
prazos de entrega do governo foram feitos pelo INPC, como o seguro-desemprego. Gastos com teto para os salários seguintes) como salariais (inclusive abono do teto do salário mínimo).
As emendas constitucionais dos itens pré-definição de $ 6,720 mil.
 

Wellton Máximo – Repórter da Agência Brasil 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas