Sistema prisional opera com deficit de 30% no quadro de agentes


- Por: Reciel Rocha

Sistema prisional opera com deficit de 30% no quadro de agentes
Penitenciárias de Foz do Iguaçu mantém aproximadamente 2,1 mil pessoas privadas de liberdade

O sistema penal de Foz do Iguaçu tem atuado com uma defasagem média de 30% no efetivo de agentes penitenciários. O quadro é composto por aproximadamente 270 profissionais responsáveis por quatro unidades penais, informa a Coordenação Regional do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). O Governo do Estado anunciou, em setembro, autorização de concurso público para novos servidores.
Foz do Iguaçu dispõe de um sistema prisional formado por duas penitenciárias estaduais (I e II), uma Unidade Prisional Feminina e a Cadeia Pública Laudenir Neves, onde são mantidos aproximadamente 2,1 mil pessoas privadas de liberdade. O quadro ideal para atender as estruturas seria de 400 agentes, afirma o coordenador regional do Depen PR, Marcos Marques.
"Os agentes penitenciários se dedicam ao máximo as atividades diárias", destacou. Hoje, de acordo com o coordenador regional, eles fazem plantões seguidos para suprir o número menor de efetivo. "Eles se desdobram, executam os serviços de dois, três agentes. Fazem as revistas diariamente nas celas, nos presos", informou.
"O intuito dos agentes penitenciários é sempre combater os agentes dentro das unidades prisionais", ressaltou Marques. O trabalho das equipes é fundamental para impedir o ingresso, nas unidades penais, de aparelhos celulares e outros objetos que possam ser usados como armas ou para fuga dos presos.

Ronildo Pimentel
Fotos: Roger Meireles 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas