Sexta 13


- Por: Redação 1

Sexta 13

Que medo hein? Mas tudo não passa de superstição e se querem saber, o número dá é muita sorte. Pé de pato mangalô três vezes! O Corvo vai até dormir ao lado do gato, que é preto, se bem que em casa, tem gato de todas as cores. Todos os dias algum desumano larga um bicho no portão. Bom dia!  

Porto seco
Prezado Corvo, será que tens circulado pela BR 277 na altura do local onde os caminhões fazem os processos aduaneiros? Chega a dar dó. E agora falam em licitação para “estudar” a viabilidade de um novo Porto Seco. Pergunto: isso já não deveria ter sido planejado, uma vez que a Perimetral está com o traçado definido? Ou será que vão deixar bem para depois, fazendo com que a via fique sem sentido, uma vez que está sendo construída para desviar o trânsito do centro da cidade. 
Paulo L. M. S. Rangel

O Corvo responde: o Porto Seco, ou outro tipo de Estação Aduaneira tem sido tema recorrente nesta coluna. A perimetral só será funcional, se houver um local para o desembaraço de cargas, do contrário a situação será bem pior. Vamos imaginar, que as cargas oriundas da Argentina e Paraguai, pela nova ponte, precisem seguir direto até a BR 277, saindo lá pelas bandas de Três Lagoas e os veículos precisarem retornar até a EADI atual? Como dizem lá no Nordeste, isso não vai prestar. Mas em todos os casos é bom saber que estão avaliando um terminal multimodal e para começar, precisam licitar um projeto. 

Falta muito...
Até a Perimetral se tornar uma realidade, vários fatores serão importantes, a começar pelos acessos do lado paraguaio. Enquanto eles não existirem, a EADI atual terá que se manter em funcionamento, o que é um contrassenso. Contaram para o Corvo, que há técnicos da Receita que acreditam que o atual posto deverá se mantido, inclusive. A nova ponte ficará pronta e provavelmente os tais acessos não existirão. Será uma bela estrutura sem serventia, ligado o nada a lugar algum. Servirá apenas para tirar foto. 

Desembaraços
Apesar das obras e aqui entre nós, elas são bem bonitas de se ver, faltam acordos e desapropriações em vários trechos. Segundo informou alguém na prefeitura, o desembaraço não é tão fácil quanto se imaginava. É bem provável que tenhamos em funcionamento e durante um bom tempo, apenas o trecho entre a Ponte da Integração e o trevo com a BR 469, sem passar disso. 

Em apuros
Ao mencionar as obras nas proximidades da atual aduana com a Argentina, os tratores estão limpando o terreno e trabalhando no sentido da Avenida Morenitas. Um engenheiro disse ao Corvo, que não demora, o acesso ao Porto Meira será fechado rente à Avenida Mercosul. Os comerciantes estão juntando pneus para queimar, ou alguém acredita que vão ficar quietinhos? 

Como será?
Se interditarem o acesso, os moradores que não possuem veículos até poderão se virar, pulando valetas e cancelas, mas quem possuir um automóvel terá que seguir pela Avenida das Cataratas até o contorno do Shopping Catuaí Palladium (Avenida Safira), passarem em frente do Horto Municipal e acessarem a Av. Javier Koelbl. Pensa? Certamente, com isto, muitos comerciantes temem a erradicação de seus negócios. Teremos um Jardim Jupira II, na região Sul da cidade. É inimaginável isso, no lugar de progresso, essa bagunça.  

As campanhas da EMBRATUR
Tomara elas ajudem mesmo Foz do Iguaçu na conquista de visitantes estrangeiros, até porque as últimas peças publicitárias mais atrapalharam do que outra coisa. Bom, sem mais voos, conexões e atividades junto aos operadores, a cidade no máximo vai conseguir reconquistar o estágio da pré-pandemia. Para crescer além disso precisará afinar o discurso e melhorar o entendimento entre o setor local, meio que igual a Torre de Babel, ultimamente, como cada um falando uma língua diferente e sem centrar de interpretes. 

Onde é que vai a grana
Uma notícia na edição de ontem deu uma sacudida no balaio. A prefeitura deve gatar um bilhão e meio de reais. Só a folha de pagamento supera os 900 milhões. Esse dinheiro a gente sabe que circula no comércio, o que já é uma mão na roda. 

Na Praça da Paz
Corvo, francamente, não vejo problema algum em festejarem o aniversário da cidade na Praça da Paz e adjacências. Afinal trata-se do Marco Zero, onde sempre, durante décadas, ou quase um século, tudo acontecia. O que importa é que façam algo, e, arrumem um jeito de ordenar onde a população vai estacional. Porque será, não abrem de vez aquele muro que dá para o Rio Monjolo hein?
Cláudia P. S. Dandeo

O Covo responde: ouvindo as pessoas, é possível sentir que aprovam as atividades culturais e festivas pelas bandas da Terceira Pista. “É muito aconchegante” disse um cidadão a este colunista. Vamos aguardar e avaliar. 

Cracolândia
Corvo do céu, nem te conto. Nas imediações de casa, no Jardim Guarapuava, tem uma rua onde um monte de gente se reúne para fazer coisas estranhas. A gente fica olhando de longe e vê isqueiros acendendo cachimbos e apagando. Pensa a aflição que dá? E já tem até umas pessoas morando por lá, andando pelo bairro pedindo comida, vestidas com cobertores cobrindo o corpo. Tomara não aconteça como em São Paulo. 
Jair G. L. Fonseca

O Corvo responde: prezado, Foz mantém a situação sob controle, mas você deve passar a localização para as autoridades. Em situações assim é preciso muita sensibilidade e serviço de apoio. Esses problemas, infelizmente, não acontecem apenas na localidade onde mora. Sobre o que acontece em São Paulo, o Corvo coincidentemente recebeu uma nota e publica nesta edição.

Praça Princesa Isabel
Prezado Corvo, veja só o que aconteceu com um dos locais mais bonitos da capital paulista, a Praça Princesa Isabel, onde há um belo monumento. Cresci nas imediações e vivia passeando pela praça, onde acontecia uma feira de artesanato e arte nas manhãs de domingo. É triste ver de que jeito a situação avançou, sem que as autoridades fossem competentes em amparar os usuários de drogas. 
Paulo S. M. Gonçalves

O Corvo responde: cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e até mesmo capitais menores são apanhadas com situações lamentáveis, com muita gente vivendo assim, à margem da sociedade. O fato é que em São Paulo as imagens são muito ruins em matéria de ver pessoas naquelas situações. É tudo muito triste. O Corvo captou alguns registros para ilustrar a situação. É bom as cidades se prepararem para um dia, evitar situação igual. 
 

Seo Cesar
Cesar Silvestri, declarado candidato pelo PSDB circulou por Foz e ganhou a simpatia de muita gente. Ele é jovem, fala bem, propõe coisas boas e tudo o mais. Difícil será suplantar o Ratinho e o Ex Governador Roberto Requião na discussão rumo ao Palácio Iguaçu. Mas como em política tudo pode acontecer, vai que ele consegue se dar bem, quando começarem os debates?  

Dona Rússia
A encrenca começou com a Ucrânia e deve seguir adiante, porque outros países querem entrar na OTAN, como é o caso da Finlândia. A Rússia não quer nem pesar que isso aconteça e ameaça impor sanções. Francamente, qual o problema dos países se protegerem? Isso está parecendo discurso dos tempos do Stalin.
Francesca M. Berdelinni

O Corvo responde: prezada, alguns futuristas do século passado acreditavam que a esta altura nem existiriam mais fronteiras e muito menos essas bobagens que os russos e americanos andam aprontando. Em verdade estão é prolongando a guerra fria, sem dar chance para a paz. É lamentável. É uma pena ver o mundo capengando, no lugar de superar as pequenices.  

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas