Crusoé revela como eram gastos da Itaipu nas antigas diretorias


- Por: Reciel Rocha

Crusoé revela como eram gastos da Itaipu nas antigas diretorias

A edição do final de semana da Crusoé revelou como era gasto parte dos recursos da Itaipu, até o início da nova gestão em 2019. As informações chamaram à atenção da imprensa após o presidente Jair Bolsonaro assinar uma portaria substituindo o diretor Jurídico da Binacional, Cezar Ziliotto, pela servidora de carreira Mariana Favoretto Thele. Ninguém explicou os motivos até então.

Em reportagem assinada pelos jornalistas Caio Junqueira e Mateus Coutinho, intitulada “Usina de Mordomias”, a Crusoé revela que os ministros das mais altas cortes de Justiça do país viajaram pelo Brasil e exterior com passagens e hotéis pagos pela Itaipu. A “farra” acabou com a posse do novo diretor-geral, general Joaquim Silva e Luna.

Ao assumir direção-geral brasileira da hidrelétrica, Silva e Luna adotou uma linha de austeridade no cumprimento de sua missão: gerir bem Itaipu, melhorando o emprego do uso de recursos como uma ação de responsabilidade e de respeito ao consumidor que paga a conta da energia elétrica. O ritmo de trabalho calcado na moralidade incluiu corte de gastos e aplicação dos recursos em obras estruturantes, como a segunda ponte com o Paraguai e a Avenida Perimetral Leste.

Até então, de acordo com a revista, a mordomia "corria solta" na binacional. Segundo a Crusoé, a Itaipu tinha virado uma "generosa fonte de recursos para bancar a doce vida de altas autoridades do Judiciário em eventos pelo mundo”. Entre os "beneficiados" estão "ministros do STF, STF e TST, além de tribunais regionais federais e de tribunais estaduais”.

Da Redação / Foto: Reprodução

 

 

 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas