Queda do dólar pode atrair mais visitantes à Tríplice Fronteira


- Por: Redação 1

Queda do dólar pode atrair mais visitantes à Tríplice Fronteira
Sedenir Vaz acompanhou o irmão na última segunda nas compras em Ciudad del Este

A queda do dólar, que nesta quarta-feira (09) chegou a R$ 5,04 na cotação oficial, deve aumentar a movimentação das lojas, ruas e avenidas de Ciudad del Este. O importante centro comercial do Paraguai tem na moeda dos Estados Unidos o parâmetro principal dos preços dos produtos comerciais. A redução do valor é a esperança de atrativo dos compristas, que relataram um ambiente de "tranquilidade" para ir as compras do outro lado da fronteira.
A crise financeira criada pela pandemia do novo coronavírus (covid-19) atingiu em cheio o comércio de Ciudad del Este. A situação se agravou especialmente com o fechamento da fronteira com Foz do Iguaçu, principal porta de entrada, no período de março a meados de outubro do ano passado. Desde então, o alto valor da moeda estadunidense praticamente afugentou os compristas brasileiros.
O transportador de passageiros com uso de aplicativos, Sedenir Vaz, contou que veio até Foz do Iguaçu com a esposa, acompanhando o irmão para comprar no Paraguai. Os produtos adquiridos em Ciudad del Este, especialmente de inverno, serão revendidos no Sudoeste do Paraná e em Santa Catarina. 
"Nós vimos que o movimento estava bem fraco", disse ele, que concordou que isto pode ter acontecido por ser uma segunda-feira. "Também percebemos que muitas lojas estão fechadas, principalmente aquelas que estavam sempre cheias antes da pandemia. Acredito que o Paraguai se quebrou. Acho que não dá 30% da época de pico", disse. 

Fechamento e desemprego
De acordo com os empresários de Ciudad del Este, mais de 60% das lojas fecharam as portas durante a pandemia, gerando milhares de desempregos. "Antes tinha que ficar em filas para pagar, hoje não, é rapidinho. Nas ruas também, a gente vivia se batendo nas pessoas, mas desta vez foi bem tranquilo" disse. 
De acordo com Vaz, algumas coisas compensam comprar devido ao preço. "Mas muitas coisas não compensam, é melhor ir em São Paulo buscar", completou. Ele contou ainda que nas lojas, conseguiu comprar com o dólar a R$ 5,22, em média.
A estudante de Medicina, Gabriela Larissa, que é natural de Minas Gerais e mora em Ciudad del Este, disse que costuma acompanhar a movimentação do comércio. "As lojas que geralmente passo em frente, estão com bastante promoções, porém o dólar ainda não está ajudando muito na hora da conversão", disse.

Da Redação

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas