Puerto Iguazú teme escassez de combustível com a abertura da ponte com Foz do Iguaçu


- Por: Redação 1

Puerto Iguazú teme escassez de combustível com a abertura da ponte com Foz do Iguaçu
Empresários temem formação de filas para abastecimento no entorno dos postos de combustíveis

A abertura da Ponte Internacional Tancredo Neves pode provocar escassez de combustível nos postos de Puerto Iguazú, cidade argentina na fronteira com Brasil, na região de Foz do Iguaçu. O alerta é do presidente da Câmara de Estações de Serviços do Nordeste da Argentina (CESANE), Faruk Jalaf. 
Na avaliação dele, como no país o preço médio de gasolina custa 100 pesos, no Brasil e Paraguai o produto sai por 210 e 190 pesos, respectivamente, pode acontecer uma corrida aos postos do município. "Sem dúvida virão carregar (abastecer) aqui e haverá linhas em Iguazú, (Bernardo) Irigoyen), Posadas, San Javier, Paso de Los Libres...", disse ele sobre cidades nas fronteiras com os dois países.
À imprensa, Jalaf explicou que haverá cotas de combustível para cada região do país, de acordo com a média de consumo. "Não posso pedir mais quantidade (em litros) do que tenho recebido. Já vivemos isso em 2001 e 2008. Eles fixam os preços e os deixam congelados por muito tempo, depois os valores reais disparam (nos países vizinhos", disse ao Primeira Edição.
O empresário ressaltou que "já vivemos este filme, não é uma experiência nova. Os combustíveis são 'comodities', têm valor internacional. Na Argentina são muito baratos", analisou. O temor, em função desta diferença de preços, é a formação de longas filas nos entornos dos postos, por falta do produto.

Registros
Misiones teve vendas de combustíveis ao público em agosto, no volume de 39.973 mil litros, o maior volume dos últimos 32 meses, segundo o jornal. Desse total, 50,2% correspondem ao diesel e 49,8% à gasolina.
De acordo com relatório da consultoria Politikon Chaco, publicado pelo portal Economis, “comparando esses resultados com o mês anterior (julho de 2021), há um aumento nas vendas de 7,1% (+2.645 metros cúbicos), o terceiro maior do país, estando bem acima da média nacional (+ 1,5%). Foi o segundo mês consecutivo de aumentos consideráveis nas vendas de combustíveis em Misiones".

Da Redação

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas