Porto Seco de Foz movimentou mais de US$ 4,6 bilhões em 2020


- Por: Redação 1

Porto Seco de Foz movimentou mais de US$ 4,6 bilhões em 2020
Até fevereiro deste ano a capacidade do Porto Seco de Foz deve saltar de 810 vagas para 1.000 espaços

A Estação Aduaneira do Interior (EADI), o Porto Seco de Foz do Iguaçu, movimentou mais de US$ 4,6 bilhões em produtos e mercadorias que entraram ou saíram do Brasil em 2020. O montante corresponde a R$ 23,9 milhões em cotação livre. De acordo com a Receita Federal do Brasil (RFB), do valor total, cerca de US$ 2,5 bilhões correspondem a mercadorias exportadas, e US$ 2,1 bilhões são provenientes de importações. 

A movimentação financeira deve-se a grande liberação de caminhões. Durante todo o ano passado o Porto Seco recebeu 169.657 veículos, superando os 161.950 registrados em 2019. No último trimestre de 2020, a movimentação de cargas foi a maior da história. Só em dezembro, 25.891 caminhões passaram pela Ponte Internacional da Amizade, fluxo que supera o recorte anterior, batido em outubro. 
No ano passado, de acordo com um levantamento feito pelo Sistema de Armazenagem para Recintos Alfandegados (SARA), o volume de exportações e importações pesou 3,2 milhões de quilos. Durante o ano, foram liberadas 96.843 cargas de importação. Destas, o destaque foram as importações do Paraguai, com expressivo aumento de cargas no segundo semestre, e maior ainda no último trimestre. 
Entre outubro e dezembro foram importados mais de U$ 737 milhões, mais do que o total resultante dos seis primeiros meses do ano, U$ 731 milhões. Em relação ao quarto trimestre de 2019, essas operações tiveram um aumento de mais de 58%.

Tais resultados fazem da EADI Foz a maior da América Latina no quesito movimentação de cargas, tendo como destaque a operação de exportação para o Paraguai, em que foram liberadas 66.237 cargas, o que representa em número de caminhões 39% de todo o fluxo do período, considerando o total de 169.657 cargas liberadas no ano.

Produtos em evidência 
Dentre os destaques de importação para o Brasil em 2020 estão peixes, frutas, leite, alho, azeitonas, feijão, farinha de trigo, alumínio, óleos, ferro, produtos têxtil, arroz, trigo em forma natural, milho e soja.  Estes produtos vieram do Paraguai, Argentina e Chile. 
Quanto às exportações, para Paraguai e Argentina, em 2020 foram 72.814 cargas, o resultado apresentou um aumento de aproximadamente 12,6 % com relação a 2019, quando foram liberadas cerca de 64.662 cargas. Os principais gêneros exportados foram derivados de celulose, plásticos, fertilizantes, maquinários agrícolas, veículos, peças, aço e madeiras.

Da redação 
Foto: Receita Federal 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas