Perigos da automedicação em cães e gatos.

Perigos da automedicação em cães e gatos.


- Por: Eliane Luiza Schaefer

 Perigos da automedicação em cães e gatos.

COLUNA PET


Medicamentos aparentemente inofensivos são considerados extremamente perigosos para algumas espécies como diclofenaco ou paracetamol, por exemplo

A automedicação se resume em usar medicamentos para tentar aliviar sintomas de doenças, sem acompanhamento médico e com pouco ou nenhum conhecimento técnico sobre o medicamento usado.
Sabemos bem do desespero das pessoas que gostam de animais quando se deparam com o seu animalzinho de estimação doente, e esse desespero que acaba levando o dono do animalzinho a tentar resolver o problema "rápido". Dessa forma esse proprietário acaba utilizando medicamentos humanos em doses erradas acabando por piorar ainda mais a situação.
Muitos medicamentos humanos são utilizados na medicina veterinária, mas só o médico veterinário tem o conhecimento adequado para medicar seu animal. Medicamentos que aparentemente são inofensivos, são considerados extremamente perigosos para algumas espécies. E qualquer medicamento em dose errada pode se tornar um "veneno".
Muitas pessoas tentam medicar seus animais com boa intenção, então acabam trazendo um grande risco para o seu animalzinho. É muito comum os donos seguirem indicações de pessoas leigas no assunto, ou então de um amigo que tinha um animal com um problema "parecido" e usou tal medicamento. Nesses momentos as pessoas também acabam procurando informações na internet, mas nesse caso a internet acaba sendo o maior inimigo do seu animal, pois diversas doenças se assemelham nos sintomas clínicos, e até mesmo o Veterinário necessita de exames laboratoriais para diagnosticar a doença.
As pessoas não entendem que dão ao animal uma dosagem, muitas vezes, deduzida de forma errada. Não calculam a massa corporal e tampouco sabem se o bicho pode consumir aquele remédio.
- Princípios ativos proibidos para gatos: ácido acetilsalicílico, paracetamol, diclofenaco sódico, ibuprofeno, peróxido de benzoíla entre outros.
- Princípios ativos proibidos para cães: diclofenaco de potássio, diclofenaco de sódio, Piridium® entre outros. Atualmente existem vários produtos no mercado veterinário brasileiro para as mais diversas finalidades, sendo estes os mais indicados uma vez que foram elaborados especificamente para cães e/ou gatos.  
È importante que os proprietários se conscientizem dos perigos que a automedicação traz tanto para seus animais de estimação quanto para si mesmos. È imprescindível consultar um médico veterinário sempre que houver qualquer alteração em seu animal doméstico antes de medicá-lo com qualquer tipo de remédio.

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas