Paraguai oferece recompensa 1 bi de guaranis pela cabeça dos líderes do EPP


- Por: Redação 1

Paraguai oferece recompensa 1 bi  de guaranis pela cabeça dos líderes do EPP
Oscar Denis continua nas mãos dos guerrilheiros do EPP

O governo do Paraguai decidiu endurecer  ainda mais a luta para capturar os líderes do Exército do Povo Paraguaio (EPP), oferecendo 1 bilhão de guaranis pela cabeça de cada um dos quatro líderes.

De acordo com o governo, os líderes dessa guerrilha são Osvaldo Daniel Villalba, Manuel Cristaldo Mieres, Esteban Marín López e Luciano Argüello. Cartazes com as fotos dos acusados foram espalhadas em toda a região Norte, onde o EPP costuma agir.

Não é a primeira vez que o governo oferece prêmio em dinheiro por informações sobre os líderes guerrilheiros. Em agosto de 2018, a oferta foi de 5 bilhões de guaranis, mas até agora nenhum foi preso.

O confronto entre as forças de segurança do Paraguai e o EPP recrudesceu após a morte de duas meninas durante uma ação da Força Tarefa Comum (FTC), criada pelo governo parra combater os guerrilheiros.

De acordo com familiares, as duas meninas de 11 anos foram torturadas e assassinadas com tiros de fuzil. Seus corpos teriam sido vestidos com uniformes do EPP e enterrados em seguida para evitar uma investigação mais severa. O governo diz que a morte ocorreu durante um confronto e que o EPP utilizou as crianças como escudo para poder fugir no meio da selva.

Sequestro
As crianças foram mortas no dia 4 de setembro. Cinco dias após o EPP sequestrou o fazendeiro Oscar Denis Sánchez, de 74 anos e seu motorista Adelio Mendoza, 21 anos. Oscar Denis foi senador e vice-presidente do Paraguai.

O sequestro foi realizado na Estância Tranquerita, de propriedade do fazendeiro, localizada na região de Concepción e Amambai, a 60 quilômetros da divisa com o Brasil. Seu veículo foi encontrado com as portas abertas a 20 km da fazenda.

Poucos dias após, familiares receberam um cartão de memória com uma mensagem do EPP fazendo uma série de exigências para libertar o fazendeiro. Entre as exigências está a libertação dos fundadores do EPP, Alcides Oviedo e Carmen Villalba, presos e condenados por atos de terrorismo.

Os sequestradores também exigiram uma soma em dinheiro e a distribuição de toneladas de alimentos para famílias pobres e indígenas da região. Ao final da mensagem, os guerrilheiros falaram que Oscar Denis seria fuzilado se os pedidos não fossem atendidos. A família distribuiu os alimentos e pediu que o fazendeiro fosse medicado, uma vez que é portador de diabetes e hipertensão. Os remédios deixados nas proximidades não foram retirados pelo EPP.

Adelino de Souza

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas