Paraguai detona pistas clandestinas usadas para o tráfico de drogas


- Por: Jordan Moreira

Paraguai detona pistas clandestinas usadas para o tráfico de drogas
Militares preparam explosivos, cavam buracos......

A Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) e o Exército paraguaio, juntamente com o Ministério Público, concluíram nesta quarta (12) mais uma fase da Operação Céu Guarani Soberano, que culminou com a destruição de oito pistas clandestinas usadas por pequenas aeronaves para transportar drogas e armas.
Durante 12 dias as forças de segurança lideradas pela Senad lograram atacar a logística de estrutura do crime organizado na região do Amambay e Concepción, destruindo campos clandestinos de aterrisagem.
"Conseguimos destruir cinco pistas em Concepción e outras três na região do Amambay. A última pista contava, inclusive, com um hangar para o depósito de aeronaves pequenas e depósito de mercadorias ilícitas", informou a Senad. Essa pista contava com 900 metros de comprimento. Mais de 400 quilos de drogas foram apreendidos.
Para desativá-las, os policiais e militares implantaram explosivos ao longo da via, que foram detonados em sequência, destruindo e tornando o solo irregular, impróprio para a passagem de aeronaves. A operação deve continuar por tempo indeterminado, levantando também informações sobre a localização de acampamentos com plantações de maconha.
Os militares especialistas usaram dinamites de alto poder de destruição para implodir as pistas clandestinas. Nas pistas pequenas foram colocadas cargas de explosivos em cada cabeceira e no centro. Nas demais,  o poder dos explosivos foi aumentado.
A Direção Nacional de Aeronáutica Civil (Dinac) informou ao ABC Color que das mais de 2.200 pistas existentes no Paraguai, apenas 530 estão cadastradas no órgão.

Cigarreiros
Em outra frente de trabalho, com foco no contrabando, a Senad desarticulou na semana passada um complexo usado por cigarreiros na fronteira. A ação foi desencadeada na região de Salto del Guairá, no Paraguai, na linha internacional, com o município sul-mato-grossense de Mundo Novo. O trabalho foi considerado um marco no combate ao crime organizado.
 

Adelino de Souza

Fotos: Senad

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas