Painel Covid-19 traz gráfico mostrando ocupação de leitos de UTI em Foz do Iguaçu


- Por: Redação 1

Painel Covid-19 traz gráfico mostrando ocupação de leitos de UTI em Foz do Iguaçu
Escalas à esquerda referem-se ao número de leitos e à direita ao número de casos ativos - para ampliar o gráfico clique na imagem

Foz do Iguaçu iniciou o enfrentamento da Covid-19, em março, com 30 leitos de UTI específicos para pacientes com a doença. Esse número quase dobrou no último mês para atender o crescimento da demanda, e hoje são 55 leitos. Em 21 de junho, quando ainda eram 30 leitos, a taxa de ocupação era de 63,3% – 19 pacientes estavam internados em UTIs. Em 26 de julho, com 55 leitos, a taxa de ocupação era maior, chegando a 85% – 47 pacientes internados. As informações sobre a taxa de ocupação das UTIs e a evolução no número de leitos passaram a fazer parte, nesta terça-feira (28), do Painel Covid-19, elaborado por um grupo de pesquisadores da UNILA e disponível desde o dia 10 de julho. O Painel apresenta ainda um histograma, um gráfico de média móvel de casos ativos e uma linha do tempo com as principais decisões e ações do município no enfrentamento da Covid-19.

Os acréscimos de leitos de UTI, que estão instalados no Hospital Municipal Padre Germano Lauck e Hospital Ministro Costa Cavalcanti, foram feitos em etapas (essa evolução pode ser acompanhada na Linha do Tempo disponível no Painel). Cada aumento de leitos correspondeu a uma taxa de ocupação muito próxima de 100%.

A primeira ampliação foi feita no dia 29 de junho, com o acréscimo de cinco leitos. No dia anterior, a taxa de ocupação era de 93% (28 dos 30 leitos estavam ocupados). Em 5 de julho, a ocupação chegou a 100% e, no dia seguinte, mais cinco leitos foram acrescidos à rede de atendimento. No dia 10 de julho, houve novo acréscimo de cinco leitos. Mesmo assim, a taxa de ocupação permaneceu nos 80%. No dia 16 e 17 de julho, mais dez leitos de UTI são acrescentados ao sistema de saúde, baixando a taxa de ocupação para a casa dos 70%. No entanto, uma nova subida na ocupação foi registrada no dia 23, quando 46 dos 55 leitos estavam ocupados (84%). “Desde então, a taxa de ocupação de leitos tem oscilado entre 85% e 89%, índice que não tem acompanhado a queda na média móvel de casos ativos”, destaca Elaine Della Giustina Soares, coordenadora do trabalho, que é realizado por pesquisadores de diferentes áreas, para estudar os dados em relação à Covid-19 em Foz do Iguaçu.

O gráfico ao acima, também elaborado pelo grupo de trabalho, embora não esteja disponível no Painel, é mais uma ferramenta para auxílio na análise da ocupação de leitos, exemplificando diferentes cenários. “A linha amarela, por exemplo, demonstra que, se não houvesse a ampliação de dez leitos nos dias 16 e 17 de julho, a taxa de ocupação estaria acima de 100%”, explica Elaine.


AI Unila
Fonte: Unila

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas