Obras da Ponte da Integração avançam em Foz do Iguaçu


- Por: Reciel Rocha

Obras da Ponte da Integração avançam em Foz do Iguaçu
A Ponte da Integração vai ligar Foz do Iguaçu (Brasil) a Presidente Franco (Paraguai) e ajudará a aliviar o trânsito de veículos pesados Ponte da Amizade


O consórcio responsável pela construção da Ponte da Integração Brasil-Paraguai, entre Foz do Iguaçu (PR) e Presidente Franco, já conclui a terraplenagem do canteiro de obras, iniciou a edificação do setor administrativo e está terminando os diques que vão permitir a execução das fundações da torre principal, na margem brasileira do Rio Paraná. Outro pilar idêntico, que terá 190 metros de altura, será construído na margem paraguaia.
A escavação para a construção da torre também está adiantada. A expectativa é que até o final de outubro comece a fase de desmonte de rochas. “Estamos dentro do cronograma, inclusive com algumas atividades adiantadas no lado brasileiro”, afirmou o gerente de contrato do consórcio, Osman Bove.
A construção da Ponte da Integração está sendo feita com recursos de Itaipu Binacional. Na última sexta-feira (11), o diretor de Coordenação, general Luiz Felipe Carbonell, e empregados da diretoria estiveram no canteiro de obras e puderam acompanhar a evolução dos trabalhos. Cerca de cem empregados do setor, que é responsável pelo acompanhamento das obras, participaram da atividade.
“É um momento histórico para o pessoal da Diretoria de Coordenação, representando aqui Itaipu como um todo”, afirmou Carbonell. “Estamos muito satisfeitos de poder trazer esses profissionais que fazem parte da diretoria e trabalham diuturnamente para fazer com que isso aconteça.”
Carbonell também disse estar otimista com o ritmo de trabalho no canteiro de obras. “Temos a certeza de que vamos conseguir concluir essa ponte dentro do prazo estabelecido. É um desejo nosso, é um desejo do diretor-geral brasileiro, general Joaquim Silva e Luna, para que se cumpra essa meta”, salientou.
No lado paraguaio, o consórcio aguarda a resolução de entraves burocráticos para a passagem de equipamentos de uma margem a outra do rio. Essas mesmas dificuldades já foram sanadas no lado brasileiro, com a publicação de uma instrução normativa da Receita Federal que estabelece regime especial para a obra e dá mais agilidade aos processos aduaneiros.

Imprensa Itaipu 
Foto: Alexandre Marchetti

 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas