Novembro negro terá extensa programação sobre equidade racial


- Por: Reciel Rocha

Novembro negro terá extensa programação sobre equidade racial
A abertura do Novembro Negro foi realizada na noite de terça-feira na Fundação Cultural 

A abertura do Novembro Negro, mês dedicado à visibilidade da equidade racial, contou com grande público na noite de terça-reira (05) na sede da Fundação Cultural. O prefeito Chico Brasileiro, a secretária de Direitos Humanos e Relações com a Comunidade Rosa Maria Jerônymo, autoridades e convidados estiveram presentes. O Coral Afro Ilê Baru e do coletivo de poetisas, do Slam da Fronteira, realizaram apresentações, e na mesma noite foi aberta a exposição fotográfica “Diásporas Negra entre fronteiras”. 

O evento abriu a programação que inclui ações, apresentações culturais, debates e oficinas ao longo de todo o mês de novembro, coordenadas pelo Conselho de Promoção da Igualdade Racial, Secretaria Extraordinária dos Direitos Humanos e Relações com a Comunidade e Unila. 

Na abertura, o prefeito Chico Brasileiro falou sobre as política voltadas à igualdade racial e salientou os esforços conquistados ao longo dos anos. “Este é um ato de celebração, mas também um ato de resistência, de organização em torno de algo que a sociedade deve muito, pois permitiu que tivéssemos a segregação em nosso país. Esse é o momento de estarmos à frente da luta contra o racismo, e novembro simboliza a expressão desse movimento, mas sabemos que precisamos de uma continuidade para que a sociedade reflita e compreenda, que não seremos uma nação civilizada se continuarmos praticando a desigualdade”. 

AMN

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas