Nilton Bobato fala sobre orçamento municipal a pré-candidatos do MDB


- Por: Jordan Moreira

Nilton Bobato fala sobre orçamento municipal a pré-candidatos do MDB
Vice-prefeito Nilton Bobato detalhou a elaboração e aplicação do orçamento aos pré-candidatos do MDB de Foz do Iguaçu


O vice-prefeito Nilton Bobato abordou, nesta quarta-feira (12), todo o processo de elaboração e aplicação dos recursos do orçamento municipal a pré-candidatos a vereador pelo MDB de Foz do Iguaçu. No encontro, as 19h30 no Hotel Foz do Iguaçu, ele destacou as prerrogativas dos legisladores na elaboração de leis e fiscalização do Poder Executivo. As informações corretas são fundamentais aos futuros candidatos, disse o presidente Licério Santos.
Bobato abriu a série de seminários programados pelo MDB, direcionados aos pré-candidatos, assessores de coordenadores de campanha. Até o mês de março serão realizados ainda mais dois. O vice-prefeito, que já exerceu dois mandatos na Câmara de Foz do Iguaçu, destacou a experiência da atuação na Casa de Leis. "Ser vereador não é simplesmente participar das sessões plenárias", ressaltou.
No seminário, Bobato focou na preparação dos pré-candidatos do partido, para garantir uma atuação plena, caso garantam uma cadeira na eleição de 4 de outubro. Ele abriu o seminário destacando os ciclos econômicos de Foz do Iguaçu. Até 1960, a cidade tinha aproximadamente 30 mil habitantes, lembrou.
A explosão demográfica de Foz do Iguaçu teve início com a construção da Ponte Internacional da Amizade, mas acelerou assimetricamente a partir das obras da Itaipu Binacional, já na década de 1970. "De repente, na década de 1980 a cidade pulou para mais de 200 mil habitantes num crescimento desenfreado, sem qualquer planejamento", disse.

Orçamento
Bobato focou no orçamento do município, fechado em 2019 com pouco mais de R$ 1 bilhão e previsto para 2020 em aproximadamente R$ 1.071 bilhão - crescimento de 5%. O vice-prefeito detalhou como é composta a peça orçamentária detalhando as receitas (arrecadação) e despesas (onde os recursos são efetivamente gastos).
"No ano passado, só na saúde, o município destinou 30,9% do orçamento, o que dá mais de 4% do dobro previsto na Constituição Federal", frisou. O vice-prefeito lembrou ainda que, para a educação, foram destinados 22,5% dos recursos.
O orçamento, que precisa ser aprovado pela Câmara de Vereadores, começa a ser elaborado em junho, com a apresentação da Lei de Diretrizes e Bases (LDB). "A LDB é de fato o orçamento, mas que passa por toda uma discussão no legislativo", ressaltou.
Bobato também destacou que a próxima legislatura da Câmara, que assume em 1º de janeiro de 2021, será responsável pela elaboração do Plano Plurianual, que vai definir o orçamento nos próximos quatro anos, dentro do Plano Diretor. "Por isto a importância desta preparação dos quadros do MDB", completou.

Debate
O advogado Almir Santos, pré-candidato a vereador, disse que foi muito importante a apresentação sobre as funções dos vereadores. "A primeira é fiscalizar os atos do executivo e a segunda apresentar leis de interesse da população". 
Os gastos do poder público, segundo ele, tem que ser pautados pela legalidade, publicidade e moralidade. "Estes são os pilares essenciais para a lisura no tratamento do patrimônio público e a sociedade", completou.

Da redação

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas