Moradores de Foz do Iguaçu pagaram  R$ 269 milhões em impostos em 2021


- Por: Redação 2

Moradores de Foz do Iguaçu pagaram  R$ 269 milhões em impostos em 2021
Apesar de alta, a arrecadação, federal, estadual e municipal sofreu uma queda de R$ 43,3 milhões em comparação aos tributos recolhidos em 2020(Foto: Divulgação)

Os moradores de Foz do Iguaçu pagaram exatos R $ 269 milhões em impostos federais, estaduais e municipais em 2021. O montante foi liquidado pelo “impostômetro” da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que acompanha a arrecadação em todo o país e disponibiliza os dados para consulta pública. 
Apesar de alto, o valor sofreu uma queda de R $ 43,3 milhões quando comparado a uma arrecadação de 2020, que foi de 312,4 milhões. Entretanto, mesmo com a redução, os tributos pagos pelos iguaçuenses ainda são superiores aos outros municípios de porte semelhante à Foz. 
Em Toledo, por exemplo, o cronômetro do impostômetro encerrou a contagem de 2021 em R $ 140,4 milhões. Em Francisco Beltrão foram contabilizados R $ 57,1 milhões em tributos. Pato Branco somou exatos R $ 50,4 milhões; e, apenas um pouco acima dos números de Foz, Ponta Grossa registrou R $ 288 milhões. 
Em todo o Paraná o acumulado de tributos somou R $ 144,6 bilhões. Na contramão de Foz, o estado teve um aumento em comparação ao mesmo período do ano anterior, quando foram registrados R $ 116,3 bilhões. Os tributos pagos pelos paranaenses pagam apenas 5,59% do total de contabilizado no Brasil. 
Em nível nacional a sondagem revela que em todo o país foram arrecadados R $ 2,59 trilhões em impostos no ano passado. Em 2020, foram R $ 2 trilhões. O pequeno crescimento, segundo o economista da ACSP, Marcel Solimeo, é o resultado de três fatores: “Temos a recuperação das atividades, comparadas com o ano anterior, que foi fraco; a informa que está em projeção acima dos 10%, o que influi nos preços finais dos produtos; e os pagamentos de impostos que estavam atrasados ​​”, explicou.
Brasileiro trabalha 151 dias para pagar impostos 
De 2016 a 2019, segundo dados do Instituto Brasileiro de Planejamento e Tributação (IBPT), os brasileiros tiveram de trabalhar 153 dias para pagar impostos. No ano passado, foram 151. Ou seja, apenas dois dias trabalhados a menos. O mesmo levantamento aponta que todos os tributos somados equivalem a 41% do salário do brasileiro. A grande disparada na infração é um dos motivos para o alto valor pago em impostos. 
“Várias prestações de serviços e o comércio foram muito afetados na pandemia, mas atividades que geram muitos impostos cresceram bastante também. Um exemplo é o montante das vendas em supermercados que, além de estar muito elevado, ainda oferece maior arrecadação por conta dos preços dos produtos que subindo ”, disse o economista Marcel Solimeo.
Entenda o cálculo
O impostômetro considera todos os valores arrecadados pelas três esferas de governo a título de tributos, incluindo como multas, juros e correção monetária. O levantamento feito pelo sistema utiliza como base de dados, na esfera federal, a Receita Federal Brasil, Secretaria do Tesouro Nacional, Caixa Econômica Federal, Tribunal de Contas da União e Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

Da redação 
 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas