Modelo de gestão participativa do Hospital Municipal se consolida e abre espaço para a integração de novos parceiros


- Por: Reciel

Modelo de gestão participativa do Hospital Municipal se consolida e abre espaço para a integração de novos parceiros

A participação da sociedade civil contou com o apoio do prefeito Chico Brasileiro, o que possibilitou grandes avanços na gestão do hospital O Hospital Municipal vive hoje uma nova fase. Tornou-se referência regional em saúde pública, tendo consolidado um modelo de gestão que garante a eficiência dos serviços, a institucionalização do quadro de pessoal, a transparência e a participação da sociedade. Os indicadores comprovam esses avanços. Ao todo, são cerca de 640 mil usuários, considerando a chamada população referenciada. Em média, são 30 mil consultas gratuitas mensais e índice de 96% de aprovação dos serviços entre pacientes e familiares. Em 2018 foram realizadas 9.653 internações, 5.959 cirurgias (eletivas e de urgência) e 12.573 atendimentos no pronto-socorro do hospital. Além disso, possui o menor orçamento e o menor custo anual por leito entre os principais hospitais do interior do Paraná, conforme a tabela abaixo:  

Hospital Leitos Orçamento anual Custo anual por leito
Hospital de Foz do Iguaçu 187 R$ 85.550.626,58 R$ 457.489,98
Hospital de Cascavel 238 R$ 197.817.753,00 R$ 831.167,03
Hospital de Maringá 122 R$ 156.796.179,00 R$ 1.285.214,58
Hospital de Londrina 291 R$ 343.294.408,00 R$ 1.179.705,87
Fontes: Lei Orçamentária Anual 2019 do estado do Paraná e www.hmpgl.com.br.   União da sociedade civil e do poder público Esse novo modelo começou em novembro de 2017, quando a gestão do prefeito Chico Brasileiro (PSD) – por meio da Fundação Municipal de Saúde – assumiu a administração do hospital, até então sob intervenção do Governo do Estado. Naquele momento crítico vivenciado pelo hospital e devido à extrema relevância do tema para a cidade, a sociedade civil organizada local se colocou à disposição da administração municipal para auxiliar nessa nova fase, por meio do apoio do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social de Foz do Iguaçu (Codefoz), que mobilizou parte das entidades que o compõem para a reestruturação da gestão e do Conselho Curador da Fundação Municipal de Saúde, implementando uma gestão participativa. De acordo com Mario Camargo, presidente do Codefoz, a atuação da Câmara Técnica de Saúde do Codefoz foi decisiva para a recomposição e o funcionamento do Conselho Curador da Fundação Municipal de Saúde, por entender que só com a união da sociedade e o poder público iríamos superar a crise do hospital. A participação da sociedade civil contou com o apoio do prefeito Chico Brasileiro, o que possibilitou grandes avanços na gestão do hospital. Uma das primeiras ações foi criar o Portal da Transparência no site da casa de saúde, para o cidadão acompanhar a aplicação de todos os recursos. Conforme Sérgio Fabriz, diretor do Hospital Municipal, as medidas de transparência e controle dos gastos foram abrangentes. Fizemos o mapeamento e passamos a acompanhar todos os processos, regularizamos as condições dos servidores, profissionalizamos as compras e as licitações e instituímos a controladoria. Isso resultou em governabilidade e na correta aplicação do dinheiro público.   Missão cumprida Para Danilo Vendruscolo, presidente da Câmara Técnica de Saúde do conselho, a atuação do Codefoz foi uma situação de exceção. Agora, passado um pouco mais de um ano e meio do início de nosso trabalho e tendo cumprido nossa missão, estamos nos desligando do Conselho Curador e buscando que mais instituições sejam incorporadas a este processo. Segundo Vendruscolo, a contribuição do Codefoz na área da saúde de Foz do Iguaçu continuará sendo intensa. Vamos seguir atuando no assessoramento ao poder público a partir do trabalho da Câmara Técnica de Saúde, que possui um planejamento estratégico elaborado pelas diversas instituições que a compõem, com ações e metas definidas para as áreas de urgência e emergência, de média e alta complexidade e de atenção básica, esclarece.   Câmara Técnica de Saúde Dentro do planejamento estratégico da Câmara Técnica, destacam-se três ações de apoio ao hospital, consideradas prioritárias:
  • Revisão e atualização do estatuto da Fundação Municipal de Saúde, para a consolidação e ampliação do modelo de gestão implementado;
  • Transformação/credenciamento da unidade em Hospital de Ensino, viabilizando a ampliação de repasses financeiros federais e estaduais, de novos investimentos e de parcerias com universidades para ensino técnico e superior na área de saúde;
  • Apoio na articulação para a busca de financiamento e investimentos no hospital.
AI Codefoz Foto: Marcos Labanca  

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas