Ministro da Saúde agradece apoio da Itaipu no combate à pandemia


- Por: Redação 1

Ministro da Saúde agradece apoio da Itaipu no combate à pandemia
Fernando Cossa recebe o kit PCR das mãos do general Ferreira, ministro Queiroga e secretário Beto Preto

Na luta contra a covid-19 no Oeste do Paraná, a união fez a força. Essa foi a mensagem deixada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, durante visita à Foz do Iguaçu, nesta terça-feira (20), acompanhado do secretário de Estado da Saúde, Beto Preto. As autoridades fizeram questão de incluir a Itaipu Binacional no roteiro da visita, para agradecer o apoio que a empresa ofereceu aos órgãos públicos municipais, estaduais e federais no combate ao novo coronavírus.
O ministro e o secretário vieram a Foz do Iguaçu para acompanhar a vacinação contra a covid-19, após o envio de 45 mil doses extras para municípios da fronteira. A última atividade da agenda foi no Centro Executivo da Itaipu, onde foram recebidos pela diretoria da empresa. 
Na ocasião também aconteceu a entrega simbólica de kits de amplificação e extração para o Hospital Costa Cavalcanti, para a execução de testes de RT-PCR.
O ministro agradeceu o apoio e incentivou que essa solidariedade demonstrada pela empresa alcance também os países vizinhos. “Temos que reforçar nossos esforços de vigilância em saúde para avançar com uma campanha de vacinação mais ampla, reafirmando o compromisso que temos com a questão da segurança sanitária dos cidadãos brasileiros, paraguaios e argentinos”, afirmou. 
“As vacinas são a esperança. Elas são fruto, assim como a Itaipu, do esforço da ciência. Aqui [no Brasil], nós temos Itaipu, e também produzimos vacinas de IFA [Ingrediente Farmacêutico Ativo] nacional”, disse Queiroga. Segundo ele, a expectativa é que até dezembro, 100% da população brasileira acima de 18 anos já esteja imunizada com as duas doses da vacina contra a covid-19. 
Beto Preto, secretário de Estado da Saúde do Paraná, foi enfático em seu agradecimento. “Itaipu se colocou à disposição no momento mais crítico. Quando todos os investimentos já tinham sido feitos, quando já não tínhamos mais para onde olhar, Itaipu Binacional se fez presente”, disse. 
O prefeito de Foz do Iguaçu, Chico Brasileiro, agradeceu as parcerias que permitiram salvar milhares de vidas na fronteira, local considerado crítico. Para ele, “muitas histórias serão contadas do ano de 2020. Mas aqui, na nossa região, haverá uma só história: a história da cooperação institucional. Se não fosse por isso, escreveríamos um capítulo muito mais triste.” 

“Atendemos prontamente ao chamado para participar das ações de combate à covid-19, cooperando intensamente com autoridades e instituições”, disse o diretor-geral brasileiro da usina, general João Francisco Ferreira. “Vamos continuar apoiando sempre que necessário”, garantiu. 
Também participaram do encontro a representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS), Socorro Gross; a secretária extraordinária de Enfrentamento à Covid-19 do Ministério da Saúde, Rosana Leite de Melo; Sérgio Okane, secretário de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde; Rosa Maria Jeronymo, secretária de Saúde de Foz do Iguaçu; Fernando Cossa, diretor do Hospital Ministro Costa Cavalcanti; e Ivoliciano Leonarchikb, presidente do Conselho dos Secretários Municipais de Saúde do Paraná. 

Apoio
Desde o início da pandemia, Itaipu investiu mais de R$ 86 milhões, em várias frentes. A empresa se tornou a principal parceira de Foz do Iguaçu e do governo do Estado na região Oeste do Paraná, por meio de convênios que permitiram a compra de insumos diversos, como respiradores, camas hospitalares e até mesmo robôs de desinfecção, entre outros.
Com os recursos da Itaipu, foi possível abrir 55 leitos de UTIs e 22 de enfermaria em Foz do Iguaçu, especificamente para tratar a covid-19, além de mais 15 leitos de UTI no Hospital Madre de Dio, em São Miguel do Iguaçu. Também foram contratados mais de 300 profissionais para ajudar no combate à pandemia. Os recursos também permitiram a compra de 77 mil testes PCR, utilizados no HMCC e na rede municipal de saúde.
Com apoio da Itaipu, o Centro de Medicina Tropical foi o primeiro laboratório de Foz a ser habilitado pelo Lacen para analisar os resultados de covid-19, em abril de 2020. Antes disso, os resultados demoravam até 10 dias para sair. Com a habilitação do Centro, o tempo caiu para menos de 24 horas. Até o momento, o Centro já fez 75 mil testes.
A Itaipu firmou um termo de cooperação com o governo do Estado, na ordem de R$ 4 milhões, para a contratação direta de 733 bolsistas na área de saúde, em caráter emergencial, para tirar dúvidas e orientar a população sobre a doença. 
Em parceria com a Fundação Municipal de Saúde e a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), em um convênio de 2 milhões de reais, foram contratados 100 bolsistas das áreas de Medicina e Enfermagem para atendimento remoto de casos suspeitos, na triagem de pacientes e no apoio às UTIs e ambulatórios.


Imprensa de Itaipu
Foto: Rubens Fraulini/Itaipu Binacional

 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas