Ministério fecha 2º lote de aeroportos que irão a leilão; Foz integra a relação


- Por: Reciel Rocha

Ministério fecha 2º lote de aeroportos que irão a leilão; Foz integra a relação
Avança processo de privatização do Aeroporto de Foz do Iguaçu

O Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu Cataratas integra a lista do segundo lote de terminais aeroportuários que irão a leilão e foram repassados pelo Ministério da Economia à Secretaria Nacional de Aviação Civil (SAC). A privatização está prevista para a segunda metade de 2020. A lista contém ao todo 17 aeroportos civis regularizados em todo o país.
Os termos de entrega dos terminais foram assinados no início da última semana pelo secretário da SPU, Fernando Bispo, e pelo secretário da SAC, Ronei Glanzmann. O estudo foi montado pela Secretaria de Coordenação e Governança do Patrimônio da União (SPU/ME). 
O novo lote que está sendo repassado à SAC, destacou Bispo, engloba aeroportos de suma importância ao país, incluindo três capitais estaduais, e que serão objeto da próxima rodada de concessões para a administração privada. Antes, no mês de agosto, outros 18 sítios aeroportuários já haviam sido repassados.
O Aeroporto de Foz do Iguaçu, que completou 46 anos de operações no dia 7 de janeiro de 2019, tem uma localização geográfica privilegiada na Tríplice Fronteira entre Brasil, Argentina e Paraguai. O terminal é uma importante ferramenta para o desenvolvimento da economia e do turismo no Paraná.
Investimentos
A estrutura está recebendo um pacote de obras e ações com previsão de investimento de R$ 122,8 milhões. O plano prevê melhorias e adequações do terminal, quatro fingers (pontes de embarque), extensão da pista de pousos e decolagens para perto de três mil metros e duplicação da via de acesso, na BR-469.
Com a conclusão das obras, a capacidade do terminal passará dos atuais 2,8 milhões de passageiros para perto de cinco milhões ao ano. A estrutura possui 18 posições de estacionamento para aeronaves (dez para a aviação comercial regular e oito para a aviação geral) e cinco portões de embarque.

Ronildo Pimentel
Foto: arquivo GDia 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas