Manifestação quer parar trânsito de cargas entre Brasil e Paraguai


- Por: Redação 1

Manifestação quer parar trânsito de cargas entre Brasil e Paraguai
Apenas caminhões estão autorizados a trafegar pela Ponte da Amizade

A aduana brasileira na cabeceira da Ponte Internacional da Amizade, em Foz do Iguaçu, será novamente palco de manifestação pela reabertura da fronteira entre Brasil e Paraguai. Um grupo de comerciantes e trabalhadores da região vai se concentrar, a partir das 8h da manhã, com a intenção de interromper o trânsito de caminhões com cargas entre os dois países.

As fronteiras do Paraguai estão fechadas desde o dia 18 de março, dentro da estratégia adotada pelo governo Mario Abdo Benítez, para conter o ingresso e a propagação do novo Coronavírus. O país contabilizou nesta terça-feira (26), de acordo com boletim do Ministério da Saúde, 12 novos casos chegando a 877 contaminados, sendo 382 recuperados e 11 óbitos desde o início da pandemia.
De acordo com o comerciante Carlos Arend, a concentração dos participantes está prevista para o início da manhã em frente a aduana e não tem data (ou dia) para acabar. "Vamos permanecer no local até abrir (a fronteira)", adiantou. De acordo com ele, a principal motivação é que a economia da cidade e da região está parada desde o fechamento da fronteira.

"O comércio de Foz do Iguaçu está fechado, os donos de estacionamento e trabalhadores estão sofrendo, dos restaurantes estão sofrendo, do hotel então, nem se fala, vive do turismo. Está virada uma cidade fantasma", disse. De acordo com ele, a manifestação é pelo direito de abrir, "para ter direito de receber os turistas na cidade. Até quando vai ficar isto? É esta a motivação".

Na última quarta-feira (20), um grupo de comerciantes, mototaxistas, motoristas de vans e outros trabalhadores da região organizaram uma carreata pedindo a reabertura da passagem entre os dois países. O ato, convocado pelo Movimento Pró-Abertura das Fronteiras, foi comunicado às autoridades e ocorreu de forma pacífica, sem incidentes e todos os participantes usavam máscaras.

Em relação a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que na última semana informou que iria agir com rigor no caso de interrupção de tráfego na BR-277, Carlos Arend disse que o órgão, assim como a Receita Federal (RF), que é responsável pela aduana, serão comunicados da mobilização nesta quarta.

Ronildo Pimentel
Foto: Roger Meireles


 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas