Judicialização pode mudar um terço na Câmara de Foz do Iguaçu


- Por: Reciel

Judicialização pode mudar um terço na Câmara de Foz do Iguaçu

A decisão do Tribunal de Justiça do Paraná (TJPR), que anulou o procedimento administrativo disciplinar por quebra de decoro parlamentar que afastou a ex-vereadora Anice Gazzaoui do cargo, abre um precedente judicial que pode mudar até um terço da atual legislatura da Câmara de Foz do Iguaçu. Na sessão de 1º de julho de 2017, junto com Anice, foram cassados os mandatos de Edílio Dall'Agnol, Darci Siqueira, Luiz Queiroga e Rudinei de Moura. A legislatura atual da Câmara é formada por 15 vereadores. Juntos, os cinco somam um terço do total. "Com certeza os demais pegarão carona, claro, salvo suas devidas proporções", comentou um jurista especialista e legislação eleitoral consultado pelo Gazeta Diário. Outro ponto fundamental citado por ele, é com relação a própria Justiça Federal. Esses vereadores que tiveram o mandato cassado podem voltar "porque", segundo o jurista, passados dois anos e meio após terem sido presos e escrachados, a Justiça Federal não condenou nem absolveu. "Ela (a Justiça) sequer interrogou os denunciados. Isso é que está levando ao retorno deles", explicou. Enquanto as mudanças ficam na área da especulação, o presidente da Câmara, vereador Beni Rodrigues, disse que aguardará notificação sobre o retorno de Anice ao cargo. Havendo protocolo de pedido de posse, a Presidência consultará o setor jurídico para o devido encaminhamento e cumprimento de decisão judicial, comentou ele. Ronildo Pimentel / Foto: Divulgação

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas