Jovem agredida a pauladas pelo namorado morre no hospital


- Por: Redação 1

Jovem agredida a pauladas pelo namorado morre no hospital
Maria Martins, de 19 anos, foi agredida a pauladas; crime ocorreu na Ocupação Bubas, no dia 29 de agosto 

A Polícia Civil está investindo um feminícidio registrado em Foz do Iguaçu. Maria Martins, de 19 anos, morreu neste final de semana, no Hospital Municipal, onde estava internada após ser vítima de uma violenta agressão. 

A jovem foi brutalmente espancada com pedaços de pau pelo namorado. O crime foi registrado no dia 29 de agosto, no interior da Ocupação Bubas. A vítima foi encontrada por populares, caída ao lado de uma residência. 

Uma equipe do SIATE foi acionada e encaminhou a jovem ao Hospital Municipal. Ela tinha graves ferimentos por todo o corpo, especialmente na região da cabeça. Depois de permanecer internada por vários dias, ela acabou entrando em óbito. O sepultamento ocorreu na segunda-feira (21), no Cemitério de Três Lagoas. 

Investigação
O caso está sendo apurado pela Delegacia da Mulher. De acordo com a delegada Mônica Ferracioli, Maria já havia sido vítima de agressão por diversas vezes. Ela chegou, inclusive, a registrar boletins de ocorrências e possuía medidas de proteção contra o namorado. 

“Em 2019 foi registrada uma ocorrência na Delegacia da Mulher e a vítima solicitou medidas protetivas. Essas medidas foram deferidas, mas acabaram revocadas posteriormente a pedido da vítima. Este ano ela compareceu novamente a delegacia e solicitou as medidas novamente. O inquérito foi instaurado e estava em andamento”, explicou a delegada. 

Segundo repassado pela delegada, a jovem era mãe de duas crianças e estava grávida do terceiro filho, que também morreu. O agressor já possui passagens policiais e atualmente é considerado foragido, tendo um mandado de prisão preventiva em aberto pela morte de Maria. 

“A polícia solicita a população que, caso alguém saiba onde ele [suspeito] possa estar, entre em contato com a Delegacia da Mulher, pois estamos à procura dele”, esclarece a delegada Mônica. 

Da redação 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas