Jejum Intermitente: Risco ou Benefício?


- Por: Redação 2

Jejum Intermitente: Risco ou Benefício?
(Foto: Imagem: Divulgação)

 

Há muitos anos atrás o jejum já era uma prática cultural e religiosa adotada por diversos povos como: muçulmanos, judeus, evangélicos, etc. Existem ainda aquelas pessoas que não sentem fome pela manhã e acabam por fazer jejum durante toda a noite e só irão se alimentar no almoço do dia seguinte, nestes casos o chamado "jejum natural", onde o corpo daquela pessoa já esta habituado a fazer este processo há muito tempo, e não há problemas nisto.

Estudos mostram  que o principal fato fisiológico que liga o jejum intermitente ao emagrecimento é a sua atuação no equilíbrio e controle de 3 dos principais hormônios envolvidos na perda de peso, que são : INSULINA (regula a glicemia no organismo); GRELINA (hormônio que libera a sensação de "fome") e LEPTINA (hormônio que produz o efeito de saciedade). 

O jejum vem sendo utilizado nos últimos anos como uma nova estratégia para aquelas pessoas que já tentaram inúmeras dietas moderadas, equilibradas e até mesmo restritivas, e que mesmo acompanhadas de profissionais não obtiveram o resultado esperado. O que pode, justamente, estar ligado a um desequilíbrio hormonal do organismo.

Na prática, o jejum pode não funcionar para muitos pacientes que não conseguem seguir o protocolo; sentem fraqueza durante o processo; exijam uma demanda mais alta de energia devido a sua rotina; e ainda aqueles que quando estiverem na "janela de alimentação" (horários em que puder se alimentar livremente) acabam tendo uma breve compulsão alimentar e ingerem muito mais do que deveriam, ás vezes até o dobro para se sentirem satisfeitos.

Um estudo realizado em 2017 pela revista científica internacional JAMA comparou o jejum intermitente com uma dieta convencional, equilibrada e fracionada ao longo do dia com restrição calórica, e os resultados foram praticamente os mesmos entre os dois métodos, no quesito "perda de peso". 

Por isso, cuidado! Existem maneiras corretas de iniciar o jejum intermitente, o qual envolve todo um processo que deve ser gradativo, por isso não é recomendado que uma pessoa que queira tentá-lo como estratégia de emagrecimento, inicie este processo sozinho e sem ajuda profissional. Sempre haverá uma estratégia mais indicada para cada pessoa.


Nutricionista 
Juliana Cigerce

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas