Itaipu vai usar robôs para desinfecção de ambientes na retomada no turismo


- Por: Redação 1

Itaipu vai usar robôs para desinfecção de ambientes na retomada no turismo
Robô usa tecnologia de radiação ultravioleta

A tecnologia será uma importante aliada no processo de retomada das atividades do Turismo Itaipu, que acontece a partir da próxima quinta-feira (11). Para assegurar as condições sanitárias necessárias no enfrentamento ao novo coronavírus, a binacional está investindo em inovações, como é o caso do uso de robôs para a desinfecção de ambientes. Além dos robôs, a equipe de atendimento do Complexo Turístico Itaipu (CTI) passou por capacitação e os todos os demais cuidados foram adotados para a recepção do visitante.

Os dois modelos que vão auxiliar no processo de descontaminação dos ambientes internos e externos do Complexo Turístico Itaipu (CTI) já foram devidamente testados e validados após um desenvolvimento conjunto que envolveu a Itaipu Binacional, por meio da 
Superintendência de Informática, o Parque Tecnológico Itaipu (PTI-BR) e a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). 
A primeira solução conta com a tecnologia de radiação ultravioleta do tipo C (UVC), capaz de destruir a capa proteica e o material genético de qualquer tipo de vírus, assim como fungos e bactérias. Esse mesmo tipo de tecnologia deve ser utilizado para a descontaminação dos ônibus utilizados no transporte dos visitantes.

    Já o outro modelo, mais tradicional, permite a pulverização da solução de produtos de limpeza. Ambas as soluções podem funcionar tanto em modo automático como por controle remoto, via aplicativo. Além do CTI, o Hospital Municipal Padre Germano Lauck também deve receber, em breve, dois modelos semelhantes para auxiliar no processo de esterilização do local.
“A Itaipu Binacional está medindo todos os esforços para apoiar iniciativas que ajudarão a sociedade a enfrentar o novo momento que viveremos. Esta é mais uma ação que em conjunto com a tecnologia tornaremos os espaços físicos mais seguros”, destacou o superintendente de Informática da Itaipu, Everton Schonardie Pasqual. 

“O propósito do PTI é integrar e transformar conhecimentos e tecnologias em soluções para o progresso da sociedade. Esse é um exemplo prático de como o Parque Tecnológico vem atuando em prol da sociedade, em parceria com agentes do nosso ecossistema", comentou o diretor técnico do PTI-BR, Rafael Deitos.  

O Prof. Me. Antonio Marcos Hachisuca “Shiro”, da Unioeste, explica que o projeto exigiu a adaptação de uma outra iniciativa: “Com a suspensão das atividades acadêmicas no mês de março, e pensando como poderíamos ajudar no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus, surgiu a ideia de adaptarmos os robôs desenvolvidos para uso rural (de pulverização apresentado no Show Rural) na desinfecção de espaços externos”. Lucas Caravaglia e Caio Cezar nas Neves Moreira, universitários do curso de Ciência da Computação da Unioeste, foram responsáveis pela adaptação da programação dos robôs para a nova finalidade e o funcionamento de forma autônoma. Coube ao aluno do curso de Engenharia Mecânica, Eduardo Dimas, a adaptação mecânica do robô.

Imprensa de Itaipu
Fotos: Kiko Sierich/PTI

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas