Foz inicia conversação com o Instituto Butantan para aquisição da vacina


- Por: Redação 1

Foz inicia conversação com o Instituto Butantan para aquisição da vacina
Foz do Iguaçu teve ontem confirmado o maior índice mortes em um dia desde o início da pandemia

A Vigilância Epidemiológica confirmou, nesta segunda-feira (21), mais oito óbitos em consequência de complicações provocadas pelo novo Coronavírus (Covid-19). É o maior índice de mortes em um espaço de 24 horas, desde o início da pandemia, em meados de março deste ano. O prefeito Chico Brasileiro (PSD) anunciou que o município já iniciou conversas para adquirir a vacina da doença.
De acordo com a Vigilância Epidemiológica, ontem foram contabilizados 123 novos casos de Covid-19, totalizando 17.217 infectados pela doença. Deste total, 16.304 pessoas já estão recuperadas. Dos novos registros, 48 são mulheres e 75 homens com idades entre 1 e 84 anos. Dos novos casos, dois se encontram hospitalizados e 121 em isolamento domiciliar. Dos confirmados ativos, 546 estão em isolamento domiciliar com sinais e sintomas leves e 124 pessoas estão internadas.

Os oito óbitos confirmados pela Vigilância Epidemiológica em consequência da Covid-19 foram registrados de sábado (18) até ontem. Com isto, o município totalizou 243 mortes pela doença. As mais recentes vítimas são cinco homens de 60, 83, 83, 84 e 87 anos e três mulheres de 65, 71 e 74 anos. 

Os pacientes estavam internados no Hospital Municipal Padre Germano Lauck e no Hospital Ministro Costa Cavalcanti no momento do óbito. Dezembro já entrou para a história como o mês em que mais morreram iguaçuenses em consequências da Covid-19. Do dia 1º até ontem (21 dias), foram acumulados 54 óbitos. Anteriormente, novembro detinha a maior mortalidade com 45 registros.

Imunizante
O prefeito Chico Brasileiro confirmou, em coletiva à imprensa no sábado (19), que o município já iniciou as conversas com o Instituto Butantan, em São Paulo, para uma possível aquisição da vacina contra o novo Coronavírus. Trata-se do imunizante chamado CoronaVac, que é desenvolvido em psrceria com um laboratório chinês.

"Nós tivemos um contato com o Butantan, estamos em contato permanente, nós e vários prefeitos do Paraná", adiantou Chico Brasileiro. De acordo com ele, "Foz do Iguaçu está acompanhando e se colocando como um dos municípios prioritários em termos de vacinação".

Foz do Iguaçu articula, junto com as prefeituras de Curitiba, Cascavel, Ponta Grossa e Maringá, uma preferência na aquisição do produto, assim que for aprovado em definitivo pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). O prefeito lembrou que a vacina só será comprada se o governo federal não apresentar um plano nacional de vacinação, que contemple os municípios brasileiros.

"Nós estamos articulando com todos os prefeitos do Brasil para que o Ministério da Saúde implante um plano nacional, que possa contemplar todos os municípios, através de uma ação coordenada pelo órgãos", ressaltou Chico Brasileiro. 

Linha de frente
De acordo com apuração do GDia, a intenção de Foz do Iguaçu é pela aquisição de um lote com  aproximadamente 200 mil doses. No entanto, o instituto sinalizou com a liberação, na fase inicial, de remédio apenas para imunizar as equipes de frente no combate ao novo Coronavírus.

A Anvisa ainda não aprovou o uso de nenhuma vacina para o Brasil. Recentemente o governo de São Paulo comprou mais de dois milhões de doses do medicamento, que já chegaram ao país. O imunizante será distribuído pelo Instituto Butantan, tão logo aprovado pela Anvisa.

Ronildo Pimentel

 


 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas