Fórum Internacional em Foz debate a Logística Multimodal Sustentável


- Por: Redação 1

Fórum Internacional em Foz debate a Logística Multimodal Sustentável
Autoridades na abertura do evento realizado em Foz do Iguaçu - Foto Wilson  Ruanis

Sistemas logísticos eficientes levam desenvolvimento aos países e transformam a realidade das cidades. Isso é o que ressaltou o ministro João Carlos Parkinson de Castro, da carreira diplomática do Ministério das Relações Exteriores, na abertura do Fórum Internacional de Logística Multimodal Sustentável (FILMS), em Foz do Iguaçu. 
Participaram da solenidade, de forma presencial e virtual, representantes de governos, embaixadores, parlamentares, prefeitos, empresários, investidores e dirigentes de cooperativas e de entidades da sociedade civil da Argentina, Brasil, Chile e Paraguai, entre outros países. Até sábado, 14, as lideranças discutirão a multimodalidade como solução para problemas logísticos. 
Na palestra inaugural do fórum, o diplomata defendeu a implantação do corredor ligando os oceanos Atlântico e Pacífico para reduzir distâncias e o custo do transporte para o acesso a mercados. Ele explanou à plenária as vantagens dessas rotas, como elas impactam as atividades produtivas e os territórios integrados por esses corredores.  
“Um corredor passa por onde tem carga e há trabalho, leva riqueza, investimentos e oferta de trabalho com qualidade”, enfatizou. “Vimos agora um aumento sem precedentes de fretes marítimos e enormes dificuldades para se obter frequências pelo mar e encontrar contêineres. Corredores logísticos respondem a essas questões”, frisou. 

Rota bioceânica

Para o ministro João Carlos Parkinson de Castro, a rota bioceânica representará uma mudança importante na logística do Paraná e em sua inserção na região. Garantirá melhor acesso aos mercados asiáticos, favorecendo o desenvolvimento da maquila no Paraguai e a exportação de produtos com mais valor agregado.
“Produtos brasileiros, paraguaios, argentinos e chilenos serão exportados para Ásia, Costa Oeste das Américas, Peru, Colômbia e Equador com maior eficiência e menor custo e tempo”, elencou. “Essa rota promoverá investimentos, digitalização de sistemas logísticos e melhor integração aduaneira”, completou. 
A autoridade federal também destacou a criação do corredor de ligação oceânica como fator de estímulo ao desenvolvimento na fronteira trinacional. “Fomentando um polo industrial e agrícola no entorno de Foz do Iguaçu, criando novos empregos e agregação local de valor”, enumerou João Carlos Parkinson de Castro. 

Agenda pública 

Coordenador do evento logístico, Danilo Vendruscolo afirmou que a representatividade do fórum fortalece a agenda pública para a criação do Corredor Bioceânico Multimodal de Capricórnio, ligando portos do Chile ao de Paranaguá, conectando Argentina e Paraguai. “Reduzindo, assim, em 30% os custos para o transporte de cargas e atraindo investimentos”, sublinhou. 
Ele chamou a atenção para a mudança dos mercados pós-pandemia. “Mostram uma nova dinâmica voltada à segurança alimentar. Nossa região, nossos países têm tudo para ser o principal fornecedor de alimentos, mas precisamos evoluir em soluções logísticas para levar esses produtos aos grandes mercados mundiais”, salientou Danilo.  

Integração entre os países 

O embaixador do Paraguai no Brasil, Juan Ángel Delgadillo, disse que o governo de seu país está à disposição para contribuir com soluções logísticas na região. “Nós, dos governos, temos o papel de ser a voz para levar as demandas à prática, trabalhando sempre juntos, setor público e privado”, declarou. 
O cônsul da Argentina em Foz do Iguaçu, Alejandro Massucco, mencionou que o corredor bioceânico será um indutor para o comércio e os transportes. “O futuro está na integração de nossos povos. Nessa época difícil, com o mundo precisando de alimentos, Brasil, Paraguai e Argentina são produtores por excelência. Com uma integração inteligente, não vamos parar”, pontuou. 

Cooperativas 

O presidente da Lar Cooperativa, Irineu da Costa Rodrigues, apresentou um cálculo demonstrando o alto custo adicional com que os setores da produção arcam pela ausência de outros modais de transporte. “Temos oportunidades enormes, mas só um modal, o rodoviário. Esse fórum está mostrando que a logística é o ponto que precisamos atacar”, analisou. 
Representando as cooperativas do Paraguai, Romualdo Zocche apontou a criação do corredor bioceânico e o hub logístico na região como solução para escoar a produção. “O Paraguai vai ser um dos principais beneficiados. Necessitamos que esse corredor ferroviário passe por nosso país”, realçou.

Realização - Com patrocínio da Itaipu Binacional, o fórum logístico tem realização da ACIFI (Associação Comercial e Empresarial de Foz do Iguaçu) e execução do POLOIGUASSU (Instituto para Desenvolvimento da Região Trinacional), além de apoio de instituições da Argentina, Brasil e Paraguai. Saiba mais no site www.forumfilms.org.

Fórum Internacional de Logística Multimodal Sustentável
Data: 11 a 14 de maio de 2022
Local: Recanto Cataratas Thermas Resort & Convention, Foz do Iguaçu
Informações: www.forumfilms.org 

Da assessoria /  Foto Wilson  Ruanis

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas