Formato de ligação da Ponte da Integração Brasil-Paraguai começa se tornar realidade


- Por: Redação 1

Formato de ligação da Ponte da Integração Brasil-Paraguai começa se tornar realidade
Obras da Ponte da Integração Brasil-Paraguai estão 43% concluídas

O formato de ligação da Ponte da Integração Brasil-Paraguai começa a virar realidade um mês após a instalação da primeira peça. A estrutura, a segunda unindo os dois países na região de Foz do Iguaçu, está com 43% das obras concluídas, segundo o boletim de acompanhamento produzido pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR). A conclusão está prevista para março de 2022.

A Ponte da Integração está sendo construída na região do bairro Porto Meira (Brasil) e em Presidente Franco (Paraguai), próximo ao Marco das Três Fronteiras, incluindo a Argentina. O investimento na estrutura, uma reivindicação de quase três décadas, será de aproximadamente R$ 460 milhões, incluindo a Perimetral Leste, em recursos da margem brasileira da Itaipu Binacional.
A gestão da obra é do governo do Estado e a execução do consórcio Construbase-Cidade-Paulitec. Aproximadamente 450 trabalhadores trabalham diretamente na estrutura. A conclusão da obra está prevista para março de 2022, juntamente com a Perimetral Leste, um acesso direto até a BR-277. 

O diretor-geral brasileiro da Itaipu, general Joaquim Silva e Luna, tem acompanhado o ritmo acelerado das obras. De acordo com ele, todos os cuidados estão sendo observados para garantir o compromisso da binacional de entregar a ponte dentro do prazo previsto no contrato.

"Para nós, é uma grande satisfação ver a ponte tomando forma, gerando empregos e trazendo a perspectiva de dias melhores para a nossa gente da Região Oeste do Paraná", ressalta Silva e Luna. A estrutura trará ganhos socioeconômicos para toda a fronteira, consequentemente, Paraná, Brasil e Paraguai.

Mais infraestrutura
A segunda ponte representa um investimento de aproximadamente R$ 323 milhões. Outros R$ 140 milhões serão investidos nas obras da Perimetral Leste, que ligará a ponte à rodovia BR-277. O recurso é resultado da política de reestruturação da Itaipu promovida na gestão Silva e Luna na Itaipu, em consonância com as diretrizes de desenvolvimento regional do governo Jair Bolsonaro.
O tabuleiro que vai sustentar a pista de rolagem da ponte começou a ser formado com uma peça de metal e concreto de 1.437 toneladas cada. Ela consiste numa aduela de disparo metálica composta por duas vigas longarinas (as maiores estruturas da ponte que pesam 60 toneladas cada) unidas por sete vigas transversinas.
Toda a estrutura metálica pesa 159 toneladas e mede 20 metros de comprimento por 20,15 metros de largura. Este conjunto é acoplado por 542 cordoalhas de aço a outra estrutura, esta de metal e concreto: são duas vigas longarinas e nove transversinas além de uma laje de concreto de 34 cm de espessura, que pesam um total de 1.278 toneladas e medem 25,40 metros de comprimento por 20,50 metros de largura.

Ronildo Pimentel
Foto: Roger Meireles

 

Leia mais na edição impressa.

Relacionadas